Arquivos do Blog

Muitas cadeiras caíram na dança de hoje

Será o lobo na pele do cordeiro?

Fala, pessoal! Hoje um dia muito movimentado com relação a notícias. Não é de forma oficial, mas pelo andar da carruagem, hoje foi uma bela chacoalhada no paddock.

E o lobo foi uivar lá em Stuttgart

Para surpresa geral de todos, Christian “Toto” Wolff será o novo diretor esportivo da Mercedes, no lugar de Norbert Haug. A surpresa é pelo fato do austríaco ser acionista da Williams na Fórmula 1.

A notícia foi dada pelo jornal Sport Bild, que informou a participação do austríaco nos testes da DTM em Valência, nesta semana. O destaque desta sessão será a presença de Robert Kubica, que testará pela equipe das três pontas. Foi justamente na Mercedes, que a sua esposa Susie (ex-Stoddart) Wolff andou ano passado (agora ela parou). O curioso é que um velho empregado pode topar no seu caminho. (ou não)

O que posso dizer é que a família Senna deve nesse momento estar amaldiçoando amargamente o senhor Wolff, tudo porque foi este que atazanou a vida de Bruno na equipe do tio Frank e fez de tudo para que seu pupilo Valteri Bottas conseguisse a vaga em 2013, deixando o Primeiro-Sobrinho a ver navios.

“O que esse bambino quer fazer? Me imitar?”

Com essa função de Wolff na Mercedes, tudo indica que ele venderá as ações para não ter mais nenhum vínculo com a escuderia de Grove. Contudo, e se ele puder manter as duas coisas? Muitos se lembram da raposa velha Flávio Briatore, que foi diretor da Benetton nos anos 90 e ao mesmo tempo acionista da Ligier, facilitando a manobra que levou a equipe da grife a usar os motores Renault em 1995. Essa poderia ser uma manobra para a Williams passar trocar justamente os motores gauleses pelos teutônicos em 2014?

E a presença do austríaco pode mudar as perspectivas de uma ida de Bruno Senna Lalli para o turismo alemão, já que o brasileiro testou carros da montadora em Estoril, Portugal.

ATUALIZAÇÃO: A Williams confirmou que Toto Wolff não é mais membro da equipe. Com isso, ele ficará apenas com o cargo na Mercedes. De qualquer forma o estrago já está feito. Cada um agora segue o seu caminho e a escuderia de Grove que se prepare para ter um nome para levá-la ao topo novamente.

Mas as possibilidades do Primeiro-Sobrinho não estão, digamos, mais diminutas, por causa da segunda notícia:

Chega de carroça!

“Já corri até de Champ Car, mas ficar mais um ano nessa fossa, não dá mais!”

O mesmo Sport Bild avisou que Timo Glock não será mais piloto da Marussia esta temporada. O alemão estava insatisfeito em ficar só na rabeira do grid e vai procurar um lugar para ser feliz. Os indícios são por uma vaga na BMW na mesma DTM.

Com isso, mais uma vaga se abre no grid e a dança das cadeiras traz notícias boas para quem briga. Se a disputa pela Caterham estava apertadíssima, a abertura na escuderia bolchevique dá uma nova cara no mercado.

E essa é a chance para Bruno Senna e Luiz Razia. A disputa no time de Tony Fernandes estava apertada, pois além dos dois,, Vitaly Petrov e Giedo van der Garde estão na disputa. Com essa segunda vaga, a batalha parece mais folgada. Petrov tem as melhores condições de pintar na Marussia, já que é um conterrâneo e, com a inclusão de um GP na cidade de Sochi, a esperança que haja uma combinação russa para agradar a torcida da casa.

Mas se o quesito grana pesar, a coisa pode ser mais equilibrada e o dilema vai ser intenso Pode acontecer com elas o que acontece com a Force India, de definir seu piloto depois de mostrar os carros que irão correr este ano. Sinal que vai ser uma angústia antes e durante o ano destas tr~es equipes e de seus pilotos, mas para sobreviver no circo, a coisa tem que ser assim e torcer para que as grandes mudanças em 2014 possam surtir efeito.

Bom, é isso, a qualquer momento, mais novidades daremos a vocês. Abraço!

Fórmula 1, não posso parar de te amar!!!

Grande trabalho, galera. Vocês fizeram um grande campeonato!!!

Não há outras palavras para descrever o GP Brasil. Uma das corridas mais sensacionais de todos os tempos. Um final digno da temporada que foi uma das melhores da história. Algo que Hollywood não poderia escrever melhor. É a despedida do certame sensacional. A chuva foi a aliada, caindo na medida certa e na hora certa das emoções. Se acham que exagero, perguntem a Nelson Piquet, o mestre de cerimônias no pódio de hoje.

O vencedor foi o simpático Jenson Button. A vitória veio meio que na sorte, mas o britânico teve a competência para se manter com slick no aperto do começo da prova e contou com o enrosco entre Lewis Hamilton e o surpreendente Nico Hulkenberg. Para Lewis, o fim da corrida foi o fim da sua era em Woking, sendo bem aplaudido nos boxes. mas a vitória deu um alento para a McLaren, que teve o carro mais rápido em muitos momentos, mas os acasos não a deixaram nem com o vice-campeonato.

A Ferrari conseguiu o vice nos construtores e nos pilotos. Fernando Alonso se aguentou o quanto pode e andou no ritmo que a Ferrari lhe permitia. Mas o segundo lugar não lhe foi o suficiente para fazer o caneco. É de fato muito injusto ele ficar sem a taça pelo nível de seu talento e nunca desistiu, lutou até o fim. Caiu em pé! Mas como só um pode ganhar, a dama do destino não quis assim. Fica para 2013.

Felipe Massa fechou bem a temporada. O brasileiro fez uma super largada, chegando a ficar em segundo, depois sofreu com os pneus, teve que fazer duas paradas quase que seguidas, mas se recuperou bem e andou num bom ritmo. Só não subiu mais, pois tinha de ajudar Alonso. Mas o terceiro lugar, um pódio em casa, é mais um grande resultado, simbolizando o bom final de campeonato que fez. Chorou no pódio e bateu no peito, como em 2008. Saiu de bem com todo mundo no autódromo.

Mark Webber ficou em quarto lugar, numa corrida sem brilho, com rodada e alguns problemas. Com isso fechou o ano em sexto lugar, bem longe de fazer qualquer ameaça na briga pelo título, como chegou a se pensar na metade do ano.

Já o Hulk fez uma bela corrida. Assumiu a terceira posição a partir da segunda volta e ficou no ritmo das McLaren. Passou Button por fora no S do Senna, assumindo a liderança e dominou a maior parte da prova. Com o retorno da chuva, o alemão deu uma escapada e perdeu a ponta para Hamilton, tentou recuperar enquanto o inglês estava enrolado com os retardatários e na tentativa, o piloto de Force India escorregou e tirou o campeão de 2008 da disputa. Tomou uma punição mas ainda somou pontos consistentes para a equipe.

Não é qualquer um para montar no Touro Vermelho

E chegamos ao principal personagem da corrida. Sebastian Vettel viveu uma epopeia. Levou um toque de Bruno Senna e rodou. Voltou em último, foi galgando posições e em poucas voltas voltou a zona de pontuação. Tomou alguns sustos, como a perda de parte da asa na metade da corrida, decorrência do toque, além de disputas ferrenhas com Kamui Kobayashi. Segurou a sexta posição. O safety-car causado por Paul di Resta na penúltima volta, depois de bater no Café, foi o alívio definitivo e o começo da festa da turma dos energéticos.

Vettel é o mais jovem tricampeão da história. Agora ele faz parte de um clube, com Jack Brabham, Jackie Stewart, Niki Lauda, Nelson Piquet e Ayrton Senna. Podem falar que é o carro com treta e tudo, é o Adrian Newey (tudo bem que o cara é gênio nas pranchetas), mas o fato é que o alemão corresponde na pista. Bem-vindo ao clube dos gênios, Sebastian!

Em sétimo, a posição que remete a quantidade de títulos na carreira, ele: Michael Schumacher. E ele até fez uma corrida de despedida interessante. Teve os velhos problemas de pneus, levou algumas ultrapassagens, mas fechou pontuando e sem cometer excessos. Foi uma despedida boa, se levar em conta a segunda passagem, E a título de curiosidade, o pódio da primeira despedida, em 2006 foi exatamente com Button, Alonso e Massa (não nessa ordem, já que a corrida daquele ano foi vencida pelo Felipe).

O oitavo lugar foi de Jean-Eric Vergne, somando mais pontinhos para a Toro Rosso e sendo mais eficaz que seu companheiro Ricciardo, apesar do australiano ser mais constante. Os dois ainda quase se enroscaram no começo da prova, mas no fim o francês teve uma melhor tática de pneus e terminou entre os dez primeiros.

O nono posto foi pouco para a corrida do mito Kamui Kobayashi. O japa andou de igual para igual até mesmo com os postulantes ao título trocando ultrapassagens com Alonso e Vettel. No final, tentou passar Schumacher e levou a pior. Somou dois pontos nesta que pode ser sua última corrida na Fórmula 1. tomara que os deuses do automobilismo permitam que haja verba suficiente de patrocinadores para colocá-lo no grid em 2013, de preferência na Force India, que é o melhor lugar disponível.

O último pontuável foi Kimi Raikkonen, que teve uma corrida muito estranha. Rodou e escapou algumas vezes. Uma muito comédia, inventando um novo caminho usando o velho traçado. Ainda somou um ponto, fechando a temporada num excelente terceiro lugar e terminando todas as corridas. Uma ótima marca no seu retorno.

Fora dos pontuáveis, batalha tensa e o 11º lugar de Vitaly Petrov garante além do melhor resultado da história da Caterham, garante a décima posição nos construtores para a equipe de Tony Fernandes, ficando à frente de Charles Pic por muito pouco. Pic, que estará na equipe verde a partir de 2013, enquanto a segunda vaga ainda está disputada por 237 pilotos diferentes.

Da turma que abandonou, além de Hamilton, ficou o Primeiro-Sobrinho, que quase arrancou Vettel da prova e deu o caneco para Alonso, junto com Sergio Perez, colhido na encrenca e terminando a temporada zerando em todas as provas depois que assinou na McLaren. Pastor Maldonado também se achou na primeira volta, embora a TV não tenha notado e Romain Grosjean achou os pneus na Junção, para confirmar a fama dos dois.

Bom é isso. Foi-se mais um ano e mais um campeonato. Que irá entrar para a história da Fórmula 1 como um dos melhores de todos os tempos. E a corrida final foi a representação desse ano. Espero que todos tenham curtido a nossa cobertura e em 2013 vem mais. Parabéns a todos que estão aqui e até 17 de março de 2013, com o GP da Austrália!

(P.S. Mas não deixem de frequentar o blog, pessoal, tem muito mais coisa a se falar durante a Silly Season e teremos muita coisa para falar, além da premiação do FUFA Awards 2012!!!)

Beijos e abraços!

1 – Jenson Button (ING/McLaren-Mercedes): 1h45m22s656 (71 voltas)
2 – Fernando Alonso (ESP/Ferrari): a 2s754 (71)
3 – Felipe Massa (BRA/Ferrari): a 3s615 (71)
4 – Mark Webber (AUS/Red Bull-Renault): a 4s936 (71)
5 – Nico Hulkenberg (ALE/Force India-Mercedes): a 5s708 (71)
6 – Sebastian Vettel (ALE/Red Bull-Renault): a 9s453 (71)
7 – Michael Schumacher (ALE/Mercedes): a 11s907 (71)
8 – Jean-Eric Vergne (FRA/Toro Rosso-Ferrari): a 28s653 (71)
9 – Kamui Kobayashi (JAP/Sauber-Ferrari): a 31s250 (71)
10 – Kimi Raikkonen (FIN/Lotus-Renault): a 1 volta (70)
11 – Vitaly Petrov (RUS/Caterham-Renault): a 1 volta (70)
12 – Charles Pic (FRA/Marussia-Cosworth): a 1 volta (70)
13 – Daniel Ricciardo (AUS/Toro Rosso-Ferrari): a 1 volta (70)
14 – Heikki Kovalainen(FIN/Caterham-Renault): a 1 volta (70)
15 – Nico Rosberg (ALE/Mercedes): a 1 volta (70)
16 – Timo Glock (ALE/Marussia-Cosworth): a 1 volta (70)
17 – Pedro de la Rosa (ESP/HRT-Cosworth): a 2 voltas (69)
18 – Narain Karthikeyan (IND/HRT-Cosworth): a 2 voltas (69)
19 – Paul di Resta (ESC/Force India-Mercedes): a 3 voltas (68)

Não completaram:
20 – Lewis Hamilton (ING/McLaren-Mercedes): 54 voltas
21 – Romain Grosjean (FRA/Lotus-Renault): 5 voltas
22 – Pastor Maldonado (VEN/Williams-Renault): 1 volta
23 – Bruno Senna (BRA/Williams-Renault): 0
24 – Sergio Perez (MEX/Sauber-Ferrari): 0

Volta mais rápida: Lewis Hamilton (ING/McLaren-Mercedes) 1:18.069 (38)

Campeonato de pilotos (final)

1. Sebastian Vettel 281
2. Fernando Alonso 278
3. Kimi Raikkonen 207
4. Lewis Hamilton 190
5. Jenson Button 188
6. Mark Webber 179
7. Felipe Massa 122
8. Romain Grosjean 96
9. Nico Rosberg 93
10. Sergio Perez 66
11. Nico Hulkenberg 63
12. Kamui Kobayashi 60
13. Michael Schumacher 49
14. Paul di Resta 46
15. Pastor Maldonado 45
16. Bruno Senna 31
17. Jean-Eric Vergne 16
18. Daniel Ricciardo 10
19. Vitaly Petrov 0
20. Timo Glock 0
21. Charles Pic 0
22. Heikki Kovalainen 0
23. Jerome D’Ambrosio 0
24. Narain Karthikeyan 0
25. Pedro de la Rosa 0

Campeonato de construtores (final)

1. Red Bull-Renault 460
2. Ferrari 400
3. McLaren-Mercedes 378
4. Lotus-Renault 303
5. Mercedes 142
6. Sauber-Ferrari 126
7. Force India-Mercedes 109
8. Williams-Renault 76
9. Toro Rosso-Ferrari 26
10. Caterham-Renault 0
11. Marussia-Cosworth 0
12. HRT-Cosworth 0

Disputas em corrida (final)

Disputas em Corrida

Vettel 13 X 7 Webber
Button 9 X 11 Hamilton
Alonso 18 X 2 Massa
Schumacher 11 X 9 Rosberg
Raikkonen 17 X 2 Grosjean
Raikkonen 1 X 0 D’Ambrosio
Di Resta 9 X 11 Hulkenberg
Kobayashi 10 X 10 Perez
Ricciardo 11 X 9 Vergne
Maldonado 9 X 11 Senna
Kovaleinen 10 X 10 Petrov
De la Rosa 15 X 4 Karthikeyan
Glock 13 X 7 Pic

E nada de folga

Enquanto a  silly season ainda está no forno, coisas andam rolando por aí. Vamos aos fatos:

Yes, we can!

I don't give up

E a FIA confirmou o calendário 2012, com Tio Bernie dando mais uma colher de chá aos texanos, ou seja. O GP dos States tá garantido para o dia 18 de novembro, uma semana antes do GP Brasil, que fechará a temporada.

Com a temporada do ano que vem terá 20 provas, já que o GP do Bahrein volta, mesmo com a situação longe de ser resolvidas por aqueles lados. Mas a grana do sheik ainda interessa ao velho Ecclestone, portanto, ele vai tentar fazer engolir o autódromo mequetrefe. Aff…

Observando o calendário, temos sete corridas em dobradinha, apenas as corridas da Espanha, de Mônaco, do Canadá, da Europa, da Inglaterra e de Singapura terão intervalos de 2 semanas entre uma corrida e outra. O chato é que o mês de agosto inteiro será sem corridas. O motivo vamos explicar abaixo.

A abertura será em 18 de março no Parque do Alberto, como este ano. Vejamo o calendário e programem-se:

18/03 – Austrália – Melbourne
25/03 – Malásia – Sepang
15/04 – China – Xangai
22/04 – Bahrein – Sakhir
13/05 – Espanha – Barcelona
27/05 – Mônaco – Monte Carlo
10/06 – Canadá – Montreal
24/06 – Europa – Valência
08/07 – Inglaterra – Silverstone
22/07 – Alemanha – Hockemhein
29/07 – Hungria – Hungaroring
02/09 – Bélgica – Spa Francorchamps
09/09 – Itália – Monza
23/09 – Singapura – Singapura
07/10 – Japão – Suzuka
14/10 – Coreia do Sul – Yeongam
28/10 – Índia – Nova Delhi
04/11 – Emirados Árabes – Abu Dhabi
18/11 – Estados Unidos – Austin
25/11 – Brasil – Interlagos

Novidades técnicas para 2012!

Pneus seão um pouco mais exigidos

A FIA também divulgou o regulamento técnico de 2012. vamos as novidades:

-Em agosto, o período sem corrida, haverá três dias de testes. Uma ótima oportunidade para as equipes melhorarem e equilibrarem a parada. Desde que a o Adrian Newey não invente nenhuma novidade mirabolante.

-Todos os carros tem que passar por crash test antes de começarem a pré-temporada. Ouviu Hispania?

-Haverá um limite máximo de 4 horas para a corrida rolar, levando em conta paralisações por chuva ou outra coisa, para evitar corridas terminando ao anoitecer sendo em corridas que não haja condições de luz natural.

-Os retardatários que estiverem no pelotão durante um safety car, podem recuperar a volta e voltar ao fim do grid. Evita congestionamento para os ponteiros e pode beneficiar algum piloto que pode ter sofrido um azar na corrida. Vai dar o que falar!

-A FIA proibiu os pilotos de saírem da pista sem motivo justificável. Tinha piloto cortando chincane na volta de instalação para poupar combustível. Portanto, inventem outra vigarice!

-Tá liberado usar todos os tipos de pneus durante os treinos de sexta, para verificar os compostos. Agora, para classificação e corrida permanece a mesma regra. Uma pena que ainda ficaremos com a obrigatoriedade de troca.

-E Gerhard Berger será o presidente da Comissão de Monopostos do Conselho Esportivo Mundial (WMSC). Com isso, as chances de assumir um cargo na Lotus   no ano que vem vão abaixo.

E então? O que acharam? Cartas para a redação!

A coisa tá russa?

O russo preocupa

 

A situação de Vitaly Petrov vai piorando cada vez mais. Agora se fala que o piloto do Kremilin teria que correr na equipe com a mesma bandeira em 2012, ou seja, a Marussia. A empresária Oksana Kosachenko não disse que sim, nem que não.

A briga intensa com Bruno Senna e Romain Grosjean pela segunda vaga na Lotus pode fazer com que o russo vá para o plano B. O problema é que a ex-Virgin tem dupla confirmada (Timo Glock e Charles Pic), portanto, só quebrando o contrato para correr lá, mas é sinal de sofrimento ao Petrov nos próximos dias…

 

Mais um fora. ou dois?

Lá vai mais uma...

A Sauber é outra equipe a deixar a Fota, em companhia à Ferrari e Red Bull. A informação é da AUTOSPORT. O motivo não foi revelado publicamente, mas a influência de usar os motos da Estaberria de Maranello pode ser um fator.

Outra que tem tudo para sair é a Toro Rosso, que tem relações diretas com as duas primeiras dissidentes. Ainda não houve a confirmação, mas tudo indica que será a quarta a deixar a associação.

Houve uma reunião de emergência na terça feira para definir o rumo das equipes. Ha uma história que as equipes que pularam fora tem um acordo para ficar uns dois meses, para ver se saem, ou não. A grande questão está no RRA (Em inglês é a sigla de Acordo de Restrição de Recursos), que é o motivo das discussões acaloradas entre as escuderias. Se um acordo não sair agora. pode ser o fim da Fota.

Verstappen “revela a bomba”

Agora que ele fala!!!

Vocês se lembram de Jos Verstappen? O holandês, que correu na Benetton em 1994, ao lado de Michael Schumacher revelou que a equipe escondia aparatos eletrônicos no carro do Queixudo naquele ano.

Não é por nada não, mas é agora que ele fala? Todo mundo tava careca de saber que o carro 5 da Benetton tinha TRETA das grossas naquele ano, e que ajudou muito ao primeiro título do Heptacampeão. Agora só falta o Webber declarar em 2028 que o carro do Vettel tinha TRETA. Quem se surpreende?

++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++

E não se esqueçam. Até domingo, votem a vontade no FUFA Awards, para revelar o resultado! Vamos lá!

Um Campeão Sem Contestação

Por Eduardo Casola Filho

Cena inevitável!

Depois do revés na classificação, a Red Bull resolveu colocar a McLaren no seu devido lugar. Já na largada Sebastian Vettel pulou na frente e disparou rumo à vitória. Com Mark Webber fechando o pódio e com direito a melhor volta do proctologista na última passagem, a turma dos energéticos sacramenta o bicampeonato nos construtores. E uma conquista incontestável.

Hamilton até largou bem, mas não conseguiu segurar a pressão na primeira volta e acabou perdendo a liderança. Lutou bravamente pelo segundo lugar com o australiano e aguentou como pôde, contando com o fato de estar em um Tilketródromo, Webber tentou mesmo com a asa móvel, mas sem sucesso.

Jenson Button esteve aquém das últimas corridas, não largou bem e sofreu um pouco com o rendimento do carro, ainda assim ficou na mesma situação em relação ao vice-campeonato, levando ligeira vantagem.

Fernando Alonso veio logo atrás. O asturiano teve dificuldades para superar Felipe Massa, só conseguiu na estratégia dos pneus. Ainda ameaçou o inglês no fim da corrida mas ficou em quinto, mesmo gastando todo o combustível que podia, parando depois da chegada. Ao brasileiro, o sexto lugar era o que dava mesmo a fazer.

Na sequência vei Jaime Alguersuari, em grande exibição. O espanhol aproveitou-se das oportunidades e da estratégia, fez um a bela manobra em Nico Rosberg na última volta e foi o melhor do resto. Rosbife teve também problemas com combustível no fim da prova. Para confirmar a boa fase da Toro Rosso, Sebastien Buemi também chegou aos pontos, chegando à frente de Paul di Resta, o último entre os pontuáveis.

Equipe em má fase é a Sauber, hoje os dois pilotos tiveram azares. Kobayashi teve o bico danificado em uma briga com Bruno Senna, enquanto Sergio Perez foi forçado a fazer um pit extra no fim da prova. Os dois acabaram atrás da Lotus/Caterham de Heikki Kovaleinen, preocupante a situação do time do tio Peter que pode perder a sétima posição para a turma 1B dos energéticos.

Rubens Barrichello levou a Williams ao 12º na base da raça mesmo, sem um carro competitivo e com muitos problemas. Bruno Senna teve outra atuação pífia e ficou imediatamente atrás. Lalli vem apanhando na briga interna nas últimas corridas, as largadas e o ritmo de corrida não é nada bom.

Para completar o drama da Renault-Lotus, Vitaly Petrov fez a barbeiragem da corrida. Ao tentar passar Alonso quando o espanhol saía dos boxes, o russo simplesmente abalroou Michael Schumacher, eliminando os dois da corrida e provocando o único Safety Car da prova. A FIA deve puni-lo depois da investigação. Pastor Maldonado foi o outro a não terminar, com problemas mecânicos.

Parabéns a Red Bull, fechando o double-double, com Vettel e a equipe. Uma marca merecida ao desempenho do conjunto, que foi o melhor ao longo do ano e comprovou nesta etapa. Daqui há duas semanas, a estreia em solo indiano. Veremos como será este novo circuito e como as instalações funcionam, pois na Coreia a coisa tá feia, nem a comida salva! Abraço!

1 – Sebastian Vettel (ALE/Red Bull-Renault) – 55 voltas em 1h30m01s994
2 – Lewis Hamilton (ING/McLaren-Mercedes) – a 12s019
3 – Mark Webber (AUS/Red Bull-Renault) – a 12s477
4 – Jenson Button (ING/McLaren-Mercedes) – a 14s694
5 – Fernando Alonso (ESP/Ferrari) – a 15s689
6 – Felipe Massa (BRA/Ferrari) – a 25s133
7 – Jaime Alguersuari (ESP/Toro Rosso-Ferrari) – a 49s538
8 – Nico Rosberg (ALE/Mercedes) – a 54s053
9 – Sebastien Buemi (SUI/Toro Rosso-Ferrari) – a 1m02s762
10 – Paul di Resta (ESC/Force India-Mercedes) – a 1m08s602
11 – Adrian Sutil (ALE/Force India-Mercedes) – a 1m11s229
12 – Rubens Barrichello (BRA/Williams-Cosworth) – a 1m33s068
13 – Bruno Senna (BRA/Renault-Lotus) – a 1 volta
14 – Heikki Kovalainen (FIN/Lotus-Renault) – a 1 volta
15 – Kamui Kobayashi (JAP/Sauber-Ferrari) – a 1 volta
16 – Sergio Pérez (MEX/Sauber-Ferrari) – a 1 volta
17 – Jarno Trulli (ITA/Lotus-Renault) – a 1 volta
18 – Timo Glock (ALE/Marussia Virgin-Cosworth) – a 1 volta
19 – Daniel Ricciardo (AUS/Hispania-Cosworth) – a 1 volta
20 – Jerome D’Ambrosio (BEL/Marussia Virgin-Cosworth) – a 1 volta
21 – Vitantonio Liuzzi (ITA/Hispania-Cosworth) – a 3 voltas

Não completaram:

Pastor Maldonado (VEN/Williams-Cosworth) – a 25 voltas/motor
Vitaly Petrov (RUS/Renault-Lotus) – a 39 voltas/acidente
Michael Schumacher (ALE/Mercedes) – a 40 voltas/acidente

Volta mais rápida: Sebastian Vettel (Red Bull-Renault) 1:39.605 (55)

Enfim, o touro deitou

Por Eduardo Casola Filho

Agora vai!

Lewis Hamilton quebra a sequência quase interminável de poles da Red Bull e pula na frente em Yeongam. Com isso a turma dos energéticos dá adeus a possibilidade de largar na frente em todas as corridas do ano. Para o Cirilo, é a grande chance de redenção depois de sofrer muito com a má fase queatravessa.

Falando em fase, parece que a McLaren está em melhor momento, pois nesta fase final de campeonato, tem um ritmo melhor que o carro de Adrian Newey nas corridas e está também andando melhor nos treinos. A sina do Luisinho atrapalhou um pouco a chance da equipe de Working tentar alcançar a liderança do campeonato, mas a situação deles é melhor agora.

Jenson Button está em terceiro, atrás de Sebastian Vettel, mas é uma desvantagem relativa, pois a pista coreana apresenta uma distância muito grande das posições ímpares para as pares, além da diferença de sujeira na pista, o que pode ser uma grande vantagem para a equipe que completa 700 GP’s neste fim-de-semana.

Felipe Massa também pode ter sorte no começo da corrida, largará em quinto, à frente de Alonso, mas a dúvida é em quanto tempo ficará na frente, já que o asturiano deverá pular na frente. Por enquanto, uma vantagem relativa no seu GP 150.

Os demais brasileiros sofreram. Bruno Senna levou um chocolate de Vitaly Petrov o fim-de-semana inteiro. Enquanto o russo larga em sétimo, Lalli partirá só de 15º, o Primeiro-Sobrinho ainda lamenta a “inexperiência” com a pista, já que andou mais de PlayStation do que com a HPV ano passado.Vai ser um fim de semana difícil, um presente de grego no seu aniversário.

Também Rubens Barrichello vive o drama. Hoje, sequer passou do Q1. O carro não ajuda mesmo, mas as coisas estão se complicando cada vez mais para o veterano piloto. Fica a cada corrida mais melancólica sua participação. Rubinho não precisa disto, definitivamente!

E é isto, amanha corrida as 4 da madruga, afinal o horário de verão vem aí. Vamos ver se aguentamos a parada!

1º. Lewis Hamilton (ING/McLaren-Mercedes), 1min35s820 ( 14 voltas )
2º. Sebastian Vettel (ALE/Red Bull-Renault), 1min36s042 ( 12 )
3º. Jenson Button (ING/McLaren-Mercedes), 1min36s126 ( 14 )
4º. Mark Webber (AUS/Red Bull-Renault), 1min36s468 ( 11 )
5º. Felipe Massa (BRA/Ferrari), 1min36s831 ( 16 )
6º. Fernando Alonso (ESP/Ferrari), 1min36s980 ( 11 )
7º. Nico Rosberg (ALE/Mercedes), 1min37s754 ( 12 )
8º. Vitaly Petrov (RUS/Renault Lotus), 1min38s124 ( 19 )
9º. Paul di Resta (ESC/Force India-Mercedes), sem tempo-larga na frente porque abriu volta no Q3( 16 )
10º. Adrian Sutil (ALE/Force India-Mercedes), sem tempo ( 14 )

11º. Jaime Alguersuari (ESP/Toro Rosso-Ferrari), 1min38s315 ( 11 )
12º. Michael Schumacher (ALE/Mercedes), 1min38s354 ( 9 )
13º. Sebastien Buemi (SUI/Toro Rosso-Ferrari), 1min38s508 ( 11 )
14º. Kamui Kobayashi (JAP/Sauber-Ferrari), 1min38s775 ( 13 )
15º. Bruno Senna (BRA/Renault-Lotus), 1min38s791 ( 14 )
16º. Pastor Maldonado (VEN/Williams-Cosworth), 1min39s189 ( 8 )
17º. Sergio Pérez (MEX/Sauber-Ferrari), 1min39s443 ( 14 )

18º. Rubens Barrichello (BRA/Williams-Cosworth), 1min39s538 (4)
19º. Heikki Kovalainen (FIN/Lotus-Renault), 1min40s522 ( 6 )
20º. Jarno Trulli (ITA/Lotus-Renault), 1min41s101 ( 6 )
21º. Timo Glock (ALE/Marussia Virgin-Cosworth), 1min42s091 ( 7 )
22º. Jérôme D’Ambrosio (BEL/Marussia Virgin-Cosworth), 1min43s483 ( 8 )
23º. Vitantonio Liuzzi (ITA/Hispania-Cosworth), 1min43s758 ( 8 )
24º. Daniel Ricciardo (AUS/Hispania-Cosworth), sem tempo ( 2 )

%d blogueiros gostam disto: