Arquivos do Blog

Façam outra coisa da vida!

Salve galera! Quem aqui perdeu tempo assistindo o GP de Cingapura. A corrida foi um porre na maior parte do tempo. Não aconteceu absolutamente nada digno de nota na corrida desde a largada até as dez voltas finais, exceto a batida de Daniel Ricciardo que trouxe um safety-car na metade da prova. Foi um grande prêmio tenebroso.

Mais uma para a coleção!

O vencedor era a barbada de sempre: Sebastian Vettel sumiu da vista e só viu alguém no retrovisor durante as voltas em bandeira amarela. Foi uma vitória impiedosa. Agora o alemão tem 60 pontos de vantagem para o segundo colocado e pode se dar ao luxo de chegar em terceiro lugar todas as corridas para chegar ao tetracampeonato, até porque dificilmente ele chegará daí para baixo nas demais corridas.

Fernando Alonso é o cara mais próximo. Fez mais uma grande largada e não fez a última parada para conseguir ser o primeiro dos últimos. Sabe que não é o que queria, mas faz o que pode e o que sabe, mesmo que não tenha como enfrentar Vettel.

Kimi Raikkonen, seu futuro companheiro, voltou a ter uma grande atuação. Também economizou uma parada e superou as dores na costa, chegando ao pódio depois de duas corridas sem pontuar e com as dores nas costas que ameaçaram sua participação. Já foi o recado para avisar que não vem a passeio na Estaberria de Maranello.

A Mercedes voltou a sua situação de sempre: começou na frente, mas não conseguiu nada grandioso no fim das contas. Nico Rosberg e Lewis Hamilton ficaram fora do pódio e sabem que dificilmente poderão brigar por vitórias no futuro.

Logo atrás, um Felipe Massa burocrático, mas que fez o dever de casa, mesmo com a Ferrari teimando em arruinar sua corrida fazendo paradas e soltando-o no meio do pelotão (o mesmo aconteceu com Alonso, para provar a incompetência dos estrategistas italianos). Ainda assim, foi um resultado razoável.

Na sequência, vieram as duas McLaren se arrastando com pneus muito gastos no final. Foram os carros de Woking que permitiram as melhores brigas nas voltas finais, graças a estratégia arriscada e com todo mundo fazendo as ultrapassagens. Pelo menos para alguma coisa o MP4/27 presta.

Em nono, o herói saubista Nico Hulkenberg! Depois de garfado com uma recomendação ridícula da FIA sobre uma ultrapassagem em cima de Sergio Perez, o alemão partiu para a mesma tática da McLaren e sofreu as mesmas ultrapassagens, mas salvou dois pontinhos para a equipe austríaca, segurando a pressão de Adrian Sutil, o último pontuável.

Tirando onda de Ferrari.

Webber colaborando para o dia mundial sem carro

A corrida não esteve boa para os australianos rubrotaurinos. Além da batida de Ricciardo, Mark Webber também não terminou com o câmbio em frangalhos, provocando um princípio de incêndio no seu carro. Para voltar aos boxes, só com o favor pago por Fernando Alonso dois anos antes, voltando de carona. Se é ilegal? Pode ser, mas dane-se!

Romain Grosjean sonhava com uma boa corrida e andava no meio do pelotão, mas um problema de motor acabou com suas chances. Paul di Resta seria outro a somar bons pontos, com uma ótima corrida, segurando Alonso em alguns momentos e andando na frente de Massa, mas errou e bateu a cinco voltas do fim, complicando as chances da Force india.

Bom, é isso. Daqui a duas semanas, a Fórmula 1 faz a jornada da madrugada começando na Coreia do Sul, onde tudo indica que a Red Bull fará a festa. basta agora apostar quando que a conquista será sacramentada: eu aposto na Índia. Abraço!

Pos. Piloto (Nac./Equipe) Tempo
1º. Sebastian Vettel (ALE/Red Bull-Renault) 61 voltas
2º. Fernando Alonso (ESP/Ferrari) a 32s6
3º. Kimi Raikkonen (FIN/Lotus-Renault) a 43s9
4º. Nico Rosberg (ALE/Mercedes) a 51s1
5º. Lewis Hamilton (ING/Mercedes) a 53s1
6º. Felipe Massa (BRA/Ferrari) a 1min03s8
7º. Jenson Button (ING/McLaren-Mercedes) a 1min23s3
8º. Sergio Pérez (MEX/McLaren-Mercedes) a 1min23s8
9º. Nico Hulkenberg (ALE/Sauber-Ferrari) a 1min24s2
10º. Adrian Sutil (ALE/Force India-Mercedes) a 1min24s6
11º. Pastor Maldonado (VEN/Williams-Renault) a 1min28s4
12º. Esteban Gutiérrez (MEX/Sauber-Ferrari) a 1min37s8
13º. Valtteri Bottas (FIN/Williams-Renault) a 1min44s0
14º. Jean-Éric Vergne (FRA/Toro Rosso-Ferrari) a 1min52s3
15º. Mark Webber (AUS/Red Bull-Renault) a 1 volta/cãmbio
16º. Giedo van der Garde (HOL/Caterham-Renault) a 1 volta
17º. Max Chilton (ING/Marussia-Cosworth) a 1 volta
18º. Jules Bianchi (FRA/Marussia-Cosworth) a 1 volta
19º. Charles Pic (FRA/Caterham-Renault) a 1 volta
Abandonaram:
Paul di Resta (ESC/Force India-Mercedes) na volta 54/acidente
Romain Grosjean (FRA/Lotus-Renault) na volta 37/motor
Daniel Ricciardo (AUS/Toro Rosso-Ferrari) na volta 23/acidente
Anúncios

E viva Spa-Francorchamps

Salve galera! Depois de um bom tempo sem o escriba dar as caras, resolvi dar um descanso aproveitando a silly season, mas volto a falar sobre o que acontece no mundo da Fórmula 1. E quem ficou para acompanhar o treino de classificação, não se arrependeu.

Luisinho conseguiu de novo!

O tempo na região das Ardenas sempre foi lotérico e no treino oficial não foi diferente, com a chuva indo e voltando. Com isso a situação do grid foi mudando completamente e permitiu algumas surpresas e reviravoltas.

A pole position mudou de mão várias vezes. A situação de chove-seca mudou os rumos da classificação, favorecendo a Mercedes, no fim das contas. mesmo sem ter um grande carro no fim de semana, Lewis Hamilton encontrou uma grande volta e larga na posição de honra pela 30ª vez. Mais um feito e tanto.

A pole parecia certa para a turma dos energéticos, que conseguiu abrir a última volta antes do cronômetro estourar, mas não contaram com o dono do Roscoe, mas o P2 de Vettel e o P3 de Webber ainda podem ser considerados como ótimo, até porque seus rivais estão bem atrás na briga.

Na sequência vem Nico Rosberg, que fez duas grandes voltas em condições de pista mais molhada, mas não teve a chance de fazer a volta no mesmo timing em relação aos tr~es primeiros.

Em quinto, um dos nomes da classificação: Paul di Resta quase repetiu o feito de Giancarlo Fisichella em 2009 e liderou quase todo o Q3, para conseguir uma pole para a Force India. Uma pena que a pista secou e ele caiu para quinto. mas quem sabe o tempo pode dar ao escocês a chance de um resultado histórico.

Jenson Button também fez uma excelente classificação, mesmo com um carro inferior conseguiu um sexto lugar considerado satisfatório para a McLaren, diante do modesto 13º de Sergio Perez, o britânico fez um bom trabalho.

A Lotus está andando bem, mas não deu sorte com a chuva. Tem os dois carros na quarta fila. Para Kimi Raikkonen poder brigar por mais uma vitória na pista belga, vai precisar de remar da oitava posição. mas para a sua sorte, Romain Grosjean pode fazer o mesmo serviço do ano passado e facilitar o caminho do Ice Man (brinks).

Pior que a Lotus no Q3, só a Ferrari. Felipe Massa foi quem tentou o timing mais próximo da Force India e esteve em segundo a maior parte do treino, mas a melhora do tempo o derrubou para décimo, imediatamente atrás de Fernando Alonso, que rodou no final e não foi além do nono tempo. Definitivamente a casa rossa vai abaixo nesta noite.

Van der Garde; Um dos heróis do dia

Da turma de trás, a grande atração foi, sem dúvida, o desempenho das nanicas. Giedo van der Garde, Jules Bianchi e Max Chilton colocaram pneus slick no momento certo do Q1 e acharam voltas fantásticas, eliminando a sempre inerte Sauber de Esteban Gutierrez, as desesperadas Williams e as surpreendentes Toro Rosso, se colocando no Q2. Uma pena que o tempo mais firme da segunda sessão evitou a hecatombe de um deles chegar ao Q3, mas o fato de largarem de 14º, 15º e 16º já foi uma vitória para a Caterham e a Marussia.

Bom é isso, Amanhã tudo indica que a chuva deve ir e voltar constantemente e embaralhar as cartas da corrida. Além disso o fantástico circuito da Bélgica deve trazer mais uma bela corrida. um belo retorno de férias, não acham? Abraço!

Pos. Piloto (Nac./Equipe) Tempo
1º. Lewis Hamilton (ING/Mercedes) 2min01s012
2º. Sebastian Vettel (ALE/Red Bull-Renault) 2min01s200
3º. Mark Webber (AUS/Red Bull-Renault) 2min01s325
4º. Nico Rosberg (ALE/Mercedes) 2min02s251
5º. Paul di Resta (ESC/Force India-Mercedes) 2min02s332
6º. Jenson Button (ING/McLaren-Mercedes) 2min03s075
7º. Romain Grosjean (FRA/Lotus-Renault) 2min03s081
8º. Kimi Raikkonen (FIN/Lotus-Renault) 2min03s390
9º. Fernando Alonso (ESP/Ferrari) 2min03s482
10º. Felipe Massa (BRA/Ferrari) 2min04s059
     
11º. Nico Hulkenberg (ALE/Sauber-Ferrari) 1min49s088
12º. Adrian Sutil (ALE/Force India-Mercedes) 1min49s103
13º. Sergio Pérez (MEX/McLaren-Mercedes) 1min49s304
14º. Giedo van der Garde (HOL/Caterham-Renault) 1min52s036
15º. Jules Bianchi (FRA/Marussia-Cosworth) 1min52s563
16º. Max Chilton (ING/Marussia-Cosworth) 1min52s762
     
17º. Pastor Maldonado (VEN/Williams-Renault) 2min03s072
18º. Jean-Éric Vergne (FRA/Toro Rosso-Ferrari) 2min03s300
19º. Daniel Ricciardo (AUS/Toro Rosso-Ferrari) 2min03s317
20º. Valtteri Bottas (FIN/Williams-Renault) 2min03s432
21º. Esteban Gutiérrez (MEX/Sauber-Ferrari) 2min04s324
22º. Charles Pic (FRA/Caterham-Renault) 2min07s384

A dança da borracha estourada

Salve galera! O GP da Inglaterra entra para a história da Fórmula 1 para o bem e, principalmente, para o mal. A parte ruim fica na conta da família Moratti, dona da Pirelli. A borracha disponível para a etapa de hoje chegou a um nível crítico. Foram pelo menos cinco pneus estourados. Todos foram na mesma posição (traseiro esquerdo) e com cinco carros diferentes. O asfalto de Silverstone pode ser bem abrasivo, mas a quantidade de estouros levou a um nível perigoso demais, trazendo lembranças daquele fatídico fim de semana em Indianápolis.

Valeu Pirelli! (só que não)

Mas no fim, a corrida acabou sendo bem emocionante, seguramente foi a melhor do ano até aqui, mas o que embaralhou as cartas foi a quebra do câmbio de Sebastian Vettel há onze voltas para o fim. O Safety car, ao meu ver foi  desnecessário, pois dava para remover o carro sem  precisar parar a corrida, mas foi isso e as escolhas de parada nos boxes que fez a diferença.

Quem conseguiu se segurar bem na confusão foi Nico Rosberg. O alemão perdeu a posição para o rubrotaurino e andou próximo a corrida toda até o câmbio do líder do campeonato abrir o bico. Na bandeira amarela, a Mercedes errou ao colocar o composto mais duro na parte final, pois perdeu terreno na briga com Mark Webber, mesmo assim, a corrida da Britney foi perfeita e a equipe prateada conseguiu passar no teste das “vantagens do teste secreto”.

E o xeque-mate do campeonato foi para o vinagre

O australiano por muito pouco não conseguiu uma vitória épica. Para variar começou com uma das suas tradicionais largadas inacreditáveis, caindo de quarto para 15º. Mudando a estratégia e aproveitando a turma a sofrer com a borracha. O novo piloto da Porsche foi subindo e nas voltas finais veio voando e chegou muito perto de vencer. Uma bela atuação na primeira corrida após o anúncio da despedida da categoria.

O terceiro posto foi de Fernando Alonso, o homem de sorte. O asturiano foi subindo e descendo no grid, mas acertou nos pneus e subiu ao pódio. E como a sua catiça contra a turma dos energéticos deu certo pela primeira vez após cinco corridas, as esperanças no campeonato ainda sobrevivem.

Lewis Hamilton vai lamentar um bocado a chance perdida no GP caseiro. Fez uma boa largada mas foi a primeira vítima da maldição pirellista. Caindo para último, foi galgando posições e chegou bem perto do pódio. Não foi o domingo dos sonhos, mas a recuperação foi bonita.

Kimi Raikkonen adotou um  moicano misterioso e talvez o mostrasse no pódio, mas a equipe ferrou com ele ao não parar no último SC e viu o segundo lugar ruir para um decepcionante quinto posto. Apesar do resultado aquém das expectativas, o finlandês conseguiu se isolar na maior sequência de pontos da história da Fórmula 1, chegando a 25 corridas seguidas.

Logo atrás, veio Felipe Massa. O brasileiro fez uma grande largada e chegou ao quarto lugar, mas a zica da borracha lhe atingiu e lá foi a chance de um brilho tupiniquim. Quer dizer, até que não, pois a sua recuperação foi muito boa e chegou num sexto lugar satisfatório. Merece um crédito.

Na sequência dois que mereciam mais do que conseguiram. Adrian Sutil e Daniel Ricciardo andaram sempre na zona dos cinco primeiros e estavam em terceiro e quarto na relargada. No entanto, a alegria deles acabou com o mesmo erro de suas equipes, no qual a Lotus cometeu com o Kimi. No fim um sétimo e um oitavo normais.

Fecharam o pontos o aguerrido Paul di Resta, que lutou com muita gente boa durante a corrida inteira e somou dois pontos depois de largar de último. E o outro pontuável foi Nico Hulkenberg, tirando a Sauber da seca de seis corridas.

A Williams vei na sequência com os dois carros. Ficou no quase pela briga de pontos e segue na seca. Não foi a melhor forma de comemorar a corrida 600 da equipe. Mas ainda foi melhor que a McLaren, que viu Jenson Button sofrer no final da prova e Sergio Perez parar como vítima dos pneus malditos. Quem também foi vítima dos estouros foram Esteban Gutierrez, o último antes das nanicas, e Jean-Eric Vergne, o primeiro a sair da corrida.

Rosbife passou no teste da borracha. Santo teste!

Semana que vem tem corrida em Nurburgring, onde talvez algumas atitudes possam ser tomadas. O fato é que a FIA, a FOM e a Pirelli terão que tomar medidas de emergência, pois o desastre de hoje não pode se repetir de novo. Abraço!

Pos. Piloto (Nac./Equipe) Tempo
1º. Nico Rosberg (ALE/Mercedes) 52 voltas
2º. Mark Webber (AUS/Red Bull-Renault) a 0s7
3º. Fernando Alonso (ESP/Ferrari) a 7s1
4º. Lewis Hamilton (ING/Mercedes) a 7s7
5º. Kimi Raikkonen (FIN/Lotus-Renault) a 11s2
6º. Felipe Massa (BRA/Ferrari) a 14s5
7º. Adrian Sutil (ALE/Force India-Mercedes) a 16s3
8º. Daniel Ricciardo (AUS/Toro Rosso-Ferrari) a 16s5
9º. Paul di Resta (ESC/Force India-Mercedes)  a17s9
10º. Nico Hulkenberg (ALE/Sauber-Ferrari) a 19s7
11º. Pastor Maldonado (VEN/Williams-Renault) a 21s1
12º. Valtteri Bottas (FIN/Williams-Renault) a 25s0
13º. Jenson Button (ING/McLaren-Mercedes) a 25s9
14º. Esteban Gutiérrez (MEX/Sauber-Ferrari) a 26s2
15º. Charles Pic (FRA/Caterham-Renault) a 31s6
16º. Jules Bianchi (FRA/Marussia-Cosworth) a 36s0
17º. Max Chilton (ING/Marussia-Cosworth) a 1min07s6
18º. Giedo van der Garde (HOL/Caterham-Renault) a 1min07s0
Abandonaram:
Romain Grosjean (FRA/Lotus-Renault) na volta 52
Sergio Pérez (MEX/McLaren-Mercedes) na volta 47
Sebastian Vettel (ALE/Red Bull-Renault) na volta 42
Jean-Éric Vergne (FRA/Toro Rosso-Ferrari) na volta 35
Melhor volta: Mark Webber (Red Bull-Renault) 1min33s401 (volta 51)

A única alegria inglesa

Hoje a Mercedes confirmou a lógica. E amanhã?

Fala povo. Vamos em frente com mais uma classificação, da corrida que completa a primeira metade do campeonato (embora a metade exata seja na metade da corrida da Alemanha), mas o GP da Inglaterra (ou Grã-Bretanha para alguns) não vem dando muitas alegrias para quem é da casa, exceto para um piloto.

Lewis Hamilton aproveitou o momento bom da Mercedes em classificação (além da pizza servida no julgamento da FIA) e mostrou para a sua torcida a sua qualidade, voando no Q3 e garantindo mais uma pole position para a montadora alemã. Com os dois carros na primeira fila, cabe a equipe prateada mostrar que os testes secretos tiveram os seus benefícios (embora neguem ate não poder mais) e que o pneu não devore a borracha como sempre, o que seria o normal nessa situação.

Em caso de se confirmar a queda de rendimento da Mercedes, a vitória deve ir para o colo de Sebastian Vettel. Sem ser o carro mais rápido, fez o terceiro tempo e está só na espreita da carnificina da Pirelli para vencer. Ainda tem o escudeiro Mark Webber ao seu lado, este vivendo os últimos momentos na Fórmula 1 e com o tabu de um ano sem ganhar. Se tiver um pouco de sorte, pode quebrar o tabu.

Logo atrás, as boas surpresas do treino. A Force India esteve sempre bem, e colocou a sua dupla em quinto e sétimo respectivamente. Melhor para o caseiro Paul di Resta, que está bem colocado para sonhar com um pódio inédito. Entre ele e Adrian Sutil, esta Daniel Ricciardo, sonhando com a vaga no carro que larga na quarta posição.

A Lotus mais uma vez ficou bem aquém do esperado. Romain Grosjean ainda se qualificou à frente de Kimi Raikkonen pela primeira vez no ano. Mesmo assim, a posição de largada não dá grandes inspirações para o time de Einstone.

Ferrari: nem sombra de outras corridas

Mesmo assim, estão melhores que a Ferrari. A eliminação de Felipe Massa no Q2 era natural depois da batida de ontem, já que o acerto do carro não era mais o mesmo. Mas nem Fernando Alonso foi capaz de milagres. No fim a Estaberria ficou só em décimo e 12º com seus pilotos. Muito pouco para as pretensões no campeonato. E chega a ser um atenuante para as saraivadas de críticas ao brasileiro, que, apesar de tudo, está bem posicionado para pontuar.

No entanto, as equipes que estão lamentando mais nesse fim de semana são as tradicionais inglesas McLaren e Williams. A turma de Woking não conseguiu chegar ao final do treino e tem os dois carros longe de fazer um trabalho digno. Já a equipe de Grove, na celebração da corrida de número 600, viu seus carros em decepcionantes 16º e 17º lugares. Muito longe dos dias de glórias destas.

Bom, é isso. Amanhã a Mercedes terá que se virar com os compostos mais duros da Pirelli para ver se sobrevive na disputa pela vitória. Mas a corrida pode simbolizar o cheque-mate de Vettel em relação ao campeonato. Abraço!

Atualização: Paul di Resta foi desclassificado porque seu carro estava 1,5 kg mais leve que o peso mínimo exigido pela FIA. Com isso, o escocês cai para último no grid. A alegria dele durou muito pouco

Pos. Piloto (Nac./Equipe) Tempo Voltas
1º. Lewis Hamilton (ING/Mercedes) 1min29s607 12
2º. Nico Rosberg (ALE/Mercedes) 1min30s059 12
3º. Sebastian Vettel (ALE/Red Bull-Renault) 1min30s211 14
4º. Mark Webber (AUS/Red Bull-Renault) 1min30s220 15
5º. Daniel Ricciardo (AUS/Toro Rosso-Ferrari) 1min30s757 20
6º. Adrian Sutil (ALE/Force India-Mercedes) 1min30s908 17
7º. Romain Grosjean (FRA/Lotus-Renault) 1min30s955 23
8º. Kimi Raikkonen (FIN/Lotus-Renault) 1min30s962 17
9º. Fernando Alonso (ESP/Ferrari) 1min30s979 16
10º. Jenson Button (ING/McLaren-Mercedes) 1min31s649 12
11º. Felipe Massa (BRA/Ferrari) 1min31s779 15
12º. Jean-Éric Vergne (FRA/Toro Rosso-Ferrari) 1min31s785 16
13º. Sergio Pérez (MEX/McLaren-Mercedes) 1min32s082 15
14º. Nico Hulkenberg (ALE/Sauber-Ferrari) 1min32s211 15
15º. Pastor Maldonado (VEN/Williams-Renault) 1min32s359 18
16º. Valtteri Bottas (FIN/Williams-Renault) 1min32s664 10
17º. Esteban Gutiérrez (MEX/Sauber-Ferrari) 1min32s666 11
18º. Charles Pic (FRA/Caterham-Renault) 1min33s866 6
19º. Jules Bianchi (FRA/Marussia-Cosworth) 1min34s108 8
20º. Giedo van der Garde (HOL/Caterham-Renault) 1min35s481 3
21º. Max Chilton (ING/Marussia-Cosworth) 1min35s858 10
22º. Paul di Resta (ESC/Force India-Mercedes) Desclassificado 19

A Luiza não curtiu

Fala pessoal! Hoje consegui acompanhar a corrida, mesmo com o jogo do escrete canarinho na Vênus Platinada, mas como business is business, a Fórmula 1 ficou para poucos. Por isso fica a dica para quem não estiver interessado em assistir o VT.

O passeio em Montreal

A prova em si não teve a mesma emoções de outros anos e realmente ficou aquém do esperado. Muito disso foi por culpa de Sebastian Vettel que fez o seu padrão de vitórias: Disparou na ponta e não foi ameaçado em nenhum momento. O passeio na ilha de Notre Dame deu uma vantagem bem confortável na disputa do título de pilotos e de construtores. O domínio foi tão grande que somente os cinco primeiros terminaram na volta do líder. O alemão tem uma proteção completa contra a catiça asturiana.

A F1 da frescura, até na hora da champanhe

Isso porque Fernando Alonso está fazendo a sua parte, com ultrapassagens cirúrgicas e chegou no segundo lugar. Um resultado dentro daquilo que podia depois de uma classificação razoável. Somou bons pontos e ficou tranquilo no segundo lugar dos pilotos, mas está a 36 pontos do rival rubrotaurino e sabe que a água já bate no pescoço.

Lewis Hamilton conseguiu o pódio e foi melhor ao longo da semana em relação a Nico Rosberg. Algo que finalmente precisava para botar a ordem na casa. O alemão sofreu com o erro estratégico da Mercedes, que forçou mais uma parada e arruinou as chances de pódio, deixando a briga pelo pódio e terminando atrás do sempre discreto Mark Webber.

Vergne obteve o melhor resultado da história dele, já Bottas teve o sonho de Cinderela destruído

Em sexto e em sétimo as duas boas surpresas da prova. Jean-Eric Vergne andou muito bem na pista de Montreal alcançou o melhor resultado da carreira, e saltou na classificação do campeonato, passando na frente no duelo interno com Daniel Ricciardo. Paul di Resta foi outro que aproveitou os infortúnios de Adrian Sutil (a rodada na disputa com Bottas e uma punição) e somou bons pontos da Force India na centésima corrida da equipe. O alemão ainda salvou um pontinho, para completar a festa da turma do Vijay.

Felipe Massa se recuperou da batida no treino e fez uma corrida boa. Fez boas ultrapassagens e mostrou qualidade. Tem os cornetas que reclamam de não ter passado o escocês, mas esteve bem na maior parte da corrida. Dá para ser aprovado, por pouco, mas dá.

Kimi Raikkonen teve um fim de semana complicado. A Lotus parece não ser a mesma do começo do ano e tem sofrido com a queda de rendimento em momentos decisivos, o que vai afastando o campeão de 2007 da disputa pelo bicampeonato. Mesmo assim o finlandês chegou em nono e igualou o recorde de Michael Schumacher de 24 corridas seguidas na zona de pontuação. Parabéns ao Kimi, mesmo que não seja motivo de alegria.

Não foi brilhante, mas Kimi igualou Schumi

Quem não tem nenhum motivo para sorrir é a McLaren. Os dois pilotos tentaram, mas passaram em branco na prova canadense. Mais um sinal de que 2013 é um ano perdido e que comece a contagem regressiva para o novo ano.

Assim também está a Williams. De nada adiantou o terceiro lugar no grid de Valteri Bottas. O finlandês viu sua carruagem virar abóbora e logo foi despencando no grid até terminar em 14º. Ainda assim, foi bem melhor que Pastor Maldonado, autor de mais uma patacoada, acertando a traseira de Sutil, danificando a sua frente e a traseira da Force India, além de ser punido. Mais uma jornada desastrada do bolivariano.

Tinha um Van der Garde no meio do caminho…

Outra jornada desastrada também da Sauber. Nico Hulkenberg e Esteban Gutierrez abandonaram e a equipe suíça sente a cada dia mais falta de James Key. O alemão ainda tem a desculpa de ser tocado pelo retardatário Giedo van der Garde, que havia dado uma fechada tosca em Webber e cumpriu drive trought. O holandês da Caterham perdeu cinco posições, o que significa que larga de último na próxima etapa. Não é uma surpresa dada pela ambiguidade da FIA.

Bom, é isso. agora temos mais um descanso de três semanas até o GP da Inglaterra. Até lá veremos se os bastidores se acalmam e saberemos se as equipes entram em consenso sobre as dúvidas do futuro, como testes no decorrer da temporada (que terá quatro sessões pós corrida nas próximas semanas) e, principalmente os treinos secretos da Mercedes. Abraço!

Pos. Piloto (Nac./Equipe) Tempo
1º. Sebastian Vettel (ALE/Red Bull-Renault) 70 voltas em 1h32min09s143
2º. Fernando Alonso (ESP/Ferrari) a 14s4
3º. Lewis Hamilton (ING/Mercedes) a 15s9
4º. Mark Webber (AUS/Red Bull-Renault) a 26s7
5º. Nico Rosberg (ALE/Mercedes) a 1min09s7
6º. Jean-Éric Vergne (FRA/Toro Rosso-Ferrari) a 1 volta
7º. Paul di Resta (ESC/Force India-Mercedes) a 1 volta
8º. Felipe Massa (BRA/Ferrari) a 1 volta
9º. Kimi Raikkonen (FIN/Lotus-Renault) a 1 volta
10º. Adrian Sutil (ALE/Force India-Mercedes) a 1 volta
11º. Sergio Pérez (MEX/McLaren-Mercedes) a 1 volta
12º. Jenson Button (ING/McLaren-Mercedes) a 1 volta
13º. Romain Grosjean (FRA/Lotus-Renault) a 1 volta
14º. Valtteri Bottas (FIN/Williams-Renault) a 1 volta
15º. Daniel Ricciardo (AUS/Toro Rosso-Ferrari) a 2 voltas
16º. Pastor Maldonado (VEN/Williams-Renault) a 2 voltas
17º. Jules Bianchi (FRA/Marussia-Cosworth) a 2 voltas
18º. Charles Pic (FRA/Caterham-Renault) a 3 voltas
19º. Max Chilton (ING/Marussia-Cosworth) a 3 voltas
Abandonaram:
Esteban Gutiérrez (MEX/Sauber-Ferrari) na volta 63
Nico Hulkenberg (ALE/Sauber-Ferrari) na volta 45
Giedo van der Garde (HOL/Caterham-Renault) na volta 43
 Volta mais rápida: Mark Webber (AUS/Red Bull-Renault) 1:16.182 na volta 69
%d blogueiros gostam disto: