Arquivos do Blog

E acabou-se o que era doce

A Fórmula 1 chegou ao fim em 2013. O campeonato, que certamente não deixará saudades, terminou neste domingo em Interlagos. o Grande Prêmio do Brasil não foi o melhor da história, mas foi animado. Mesmo sem a chuva, a corrida foi bem movimentada e trouxe histórias e fatos marcantes no desfecho de uma era.

A turma que terminou o ano

Esta época terminou com mais uma vitória de Sebastian Vettel. A corrida foi mais uma vez fácil. Na largada, perdeu a liderança para Nico Rosberg, mas no final da primeira volta, estava na frente. O único susto foi por causa de uma lambança nos pits da Red Bull, mas no fim, a vitória estava assegurada e o alemão iguala a marca de nove vitórias seguidas pertence a Alberto Ascari.

Nota: Ascari conseguiu nove vitórias seguidas em corridas que ele participou, já que na contagem, não entra as 500 milhas de Indianapolis de 1953, já que os europeus da F1 não competiam na Brickyard.

Quem apareceu bem mais foi o segundo colocado. Mark Webber teve uma ótima atuação na sua corrida derradeira na categoria. Fez um bom duelo com Fernando Alonso e chegou em segundo. No final foi ele que roubou a cena, primeiro tirando o capacete no meio da volta de retorno para os boxes e depois levou um tombo, em meio às homenagens que recebia. Um desfecho bem interessante.

Capacete é para os fracos!

Fernando Alonso foi o terceiro colocado. Fez a corrida que se esperava e chegou onde dava mesmo: atrás das Red Bull. O problema mesmo é aguentar a Glenda Koloswski no pódio…

A dupla da McLaren apareceu bem, mas não evitou o vexame de fechar a temporada sem nenhum pódio. Mesmo assim, Jenson Button e Sergio Perez foram aguerridos e conseguiram fechar a corrida em quarto e sexto respectivamente. Que no ano seguinte a turma de Woking acerte a mão para equilibrar as coisas. Já para o mexicano, que procura um emprego, fica uma boa impressão para quem deseja alguns tacos.

Entre eles ficou Nico Rosberg. O alemão assumiu a liderança na primeira volta, mas despencou por causa do acerto ruim da sua Mercedes, que estava voando na chuva, mas que não andava na pista seca. Mais uma temporada que acaba aquém do esperado.

Em sétimo veio Felipe Massa, no seu adeus a Ferrari. O brasileiro recebeu aplausos do mecânico assim que saiu dos boxes e fez uma grande largada. Até sonhava com o pódio, mas uma punição controversa (apesar de estar na regra) acabou com suas chances. fez ainda uns donuts, assim como Vettel e deixou a Estaberria de Maranello de bem com a vida. (não em termos de resultado, mas na autoestima)

Palmas para o Felipe (merecidas?)

Em oitavo, Nico Hulkenberg fechando um ano em que se afirmou em termos de desempenho, mesmo com um carro bem aquém da sua qualidade. Que nos próximos anos, a sorte sorria mais para ele.

Logo a seguir veio Lewis Hamilton, que mais uma vez sofreu no autódromo José Carlos Pace. O britânico vinha sem muitas expectativas, mas quase botou o vice-campeonato da Mercedes a perder, quando deu uma fechada desnecessária em Valteri Bottas, tirando o finlandês da corrida e estourando o seu próprio pneu. Tomou um drive-trought pela patacoada, mas salvou dois pontos.

O último pontuável foi Daniel Ricciardo, substituto de Webber, que teve que segurar investidas de adversários e tomou alguns sustos, mas terminou em melhor forma que o companheiro Jean-Eric Vergne, justificando sua escolha pelos rubrotaurinos.

Na turma que sobrou temos muitas decepções. A começar com a Lotus, que viu suas chances de pontuar irem para o espaço por causa do motor Renault. Além disso, Heikki Kovalainen foi uma figura nula no fim de semana e terminou apenas em 14º. Um fim de temporada que mostra um futuro nebuloso pelos lados de Einstone.

E o futuro piloto da equipe preta e dourada não parece ser o mais indicado para mudar o panorama. Pastor Maldonado fechou o ano com uma rodada no S do Senna, em disputa com Vergne. Uma despedida triste do venezuelano da Williams.

Mas não tem coisa ruim só do fundão. No duelo das nanicas, festa para a Marussia, que conseguiu manter a vantagem para a Caterham (que teve problemas com Charles Pic) e terminou o ano como a décima colocada nos construtores. De quebra, o endinheirado Max Chilton conseguiu terminar todas as 19 provas de 2013. A melhor marca do ano.

Bom, e assim chegou ao fim a temporada 2013, terminando a era dos motores aspirados V8. Foi uma temporada bem inferior ao ano passado, não tem como negar. Que 2014 seja bem melhor, tanto no campeonato, como nas corridas. Abraço!

1º. Sebastian Vettel (ALE/Red Bull-Renault) 71 voltas em 1h32min36s300
2º. Mark Webber (AUS/Red Bull-Renault) a 10s4
3º. Fernando Alonso (ESP/Ferrari) a 18s9
4º. Jenson Button (ING/McLaren-Mercedes) a 37s3
5º. Nico Rosberg (ING/Mercedes) a 39s0
6º. Sergio Pérez (MEX/McLaren-Mercedes) a 49s1
7º. Felipe Massa (BRA/Ferrari) a 64s2
8º. Nico Hulkenberg (ALE/Sauber-Ferrari) a 72s9
9º. Lewis Hamilton (ING/Mercedes) a 1 volta
10º. Daniel Ricciardo (AUS/Toro Rosso-Ferrari) a 1 volta
11º. Paul di Resta (ESC/Force India-Mercedes) a 1 volta
12º. Esteban Gutiérrez (MEX/Sauber-Ferrari) a 1 volta
13º. Adrian Sutil (ALE/Force India-Mercedes) a 1 volta
14º. Heikki Kovalainen (FIN/Lotus-Renault) a 1 volta
15º. Jean-Éric Vergne (FRA/Toro Rosso-Ferrari) a 1 volta
16º. Pastor Maldonado (VEN/Williams-Renault) a 1 volta
17º. Jules Bianchi (FRA/Marussia-Cosworth) a 2 voltas
18º. Giedo van der Garde (HOL/Caterham-Renault) a 2 voltas
19º. Max Chilton (ING/Marussia-Cosworth) a 2 voltas
Abandonaram:
Charles Pic (FRA/Caterham-Renault) na 59ª volta
Valtteri Bottas (FIN/Williams-Renault) na 46ª volta
Romain Grosjean (FRA/Lotus-Renault) na 3ª volta

Volta mais rápida: Mark Webber (AUS/Red Bull-Renault) – 1min15s436

+++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++

Campeonato de pilotos


1 – Sebastian Vettel 397
2 – Fernando Alonso 242
3 – Mark Webber 199 (+2)
4 – Lewis Hamilton 189 (-1)
5 – Kimi Raikkonen 183 (-1)
6 – Nico Rosberg 171
7 – Romain Grosjean 132
8 – Felipe Massa 112
9 – Jenson Button 73
10 – Nico Hulkenberg 51 (+1)
11 – Sergio Perez 49 (+1)
12 – Paul di Resta 48 (-2)
13 – Adrian Sutil 29
14 – Daniel Ricciardo 20
15 – Jean-Eric Vergne 13
16 – Esteban Gutierrez 6
17 – Valteri Bottas 4
18 – Pastor Maldonado 1
19 – Jules Bianchi 0
20 – Charles Pic 0
21 – Heikki Kovalainen 0
22 – Giedo van der Garde 0
23 – Max Chilton 0

Campeonato de construtores

1 – Red Bull-Renault 596
2 – Mercedes 360
3 – Ferrari 354
4 – Lotus-Renault 315
5 – McLaren-Mercedes 122
6 – Force India-Mercedes 77
7 – Sauber-Ferrari 57
8 – Toro Rosso Ferrari 33
9 – Williams-Renault 5
10 – Marussia-Cosworth 0
11 – Caterham-Renault 0

++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++

Disputa em corridas:

Vettel 18 X 1 Webber
Alonso 17 X 2 Massa
Button 13 X 6 Perez
Raikkonen 11 X 6 Grosjean
Kovalainen 1 x 1 Grosjean
Rosberg 9 X 10 Hamilton
Hulkenberg 14 X 5 Gutierrez
Di Resta 11 X 8 Sutil
Maldonado 12 X 7 Bottas
Vergne 8 X 11 Ricciardo
Pic 14 X 5 Van der Garde
Bianchi 15 X 4 Chilton

E viva Spa-Francorchamps

Salve galera! Depois de um bom tempo sem o escriba dar as caras, resolvi dar um descanso aproveitando a silly season, mas volto a falar sobre o que acontece no mundo da Fórmula 1. E quem ficou para acompanhar o treino de classificação, não se arrependeu.

Luisinho conseguiu de novo!

O tempo na região das Ardenas sempre foi lotérico e no treino oficial não foi diferente, com a chuva indo e voltando. Com isso a situação do grid foi mudando completamente e permitiu algumas surpresas e reviravoltas.

A pole position mudou de mão várias vezes. A situação de chove-seca mudou os rumos da classificação, favorecendo a Mercedes, no fim das contas. mesmo sem ter um grande carro no fim de semana, Lewis Hamilton encontrou uma grande volta e larga na posição de honra pela 30ª vez. Mais um feito e tanto.

A pole parecia certa para a turma dos energéticos, que conseguiu abrir a última volta antes do cronômetro estourar, mas não contaram com o dono do Roscoe, mas o P2 de Vettel e o P3 de Webber ainda podem ser considerados como ótimo, até porque seus rivais estão bem atrás na briga.

Na sequência vem Nico Rosberg, que fez duas grandes voltas em condições de pista mais molhada, mas não teve a chance de fazer a volta no mesmo timing em relação aos tr~es primeiros.

Em quinto, um dos nomes da classificação: Paul di Resta quase repetiu o feito de Giancarlo Fisichella em 2009 e liderou quase todo o Q3, para conseguir uma pole para a Force India. Uma pena que a pista secou e ele caiu para quinto. mas quem sabe o tempo pode dar ao escocês a chance de um resultado histórico.

Jenson Button também fez uma excelente classificação, mesmo com um carro inferior conseguiu um sexto lugar considerado satisfatório para a McLaren, diante do modesto 13º de Sergio Perez, o britânico fez um bom trabalho.

A Lotus está andando bem, mas não deu sorte com a chuva. Tem os dois carros na quarta fila. Para Kimi Raikkonen poder brigar por mais uma vitória na pista belga, vai precisar de remar da oitava posição. mas para a sua sorte, Romain Grosjean pode fazer o mesmo serviço do ano passado e facilitar o caminho do Ice Man (brinks).

Pior que a Lotus no Q3, só a Ferrari. Felipe Massa foi quem tentou o timing mais próximo da Force India e esteve em segundo a maior parte do treino, mas a melhora do tempo o derrubou para décimo, imediatamente atrás de Fernando Alonso, que rodou no final e não foi além do nono tempo. Definitivamente a casa rossa vai abaixo nesta noite.

Van der Garde; Um dos heróis do dia

Da turma de trás, a grande atração foi, sem dúvida, o desempenho das nanicas. Giedo van der Garde, Jules Bianchi e Max Chilton colocaram pneus slick no momento certo do Q1 e acharam voltas fantásticas, eliminando a sempre inerte Sauber de Esteban Gutierrez, as desesperadas Williams e as surpreendentes Toro Rosso, se colocando no Q2. Uma pena que o tempo mais firme da segunda sessão evitou a hecatombe de um deles chegar ao Q3, mas o fato de largarem de 14º, 15º e 16º já foi uma vitória para a Caterham e a Marussia.

Bom é isso, Amanhã tudo indica que a chuva deve ir e voltar constantemente e embaralhar as cartas da corrida. Além disso o fantástico circuito da Bélgica deve trazer mais uma bela corrida. um belo retorno de férias, não acham? Abraço!

Pos. Piloto (Nac./Equipe) Tempo
1º. Lewis Hamilton (ING/Mercedes) 2min01s012
2º. Sebastian Vettel (ALE/Red Bull-Renault) 2min01s200
3º. Mark Webber (AUS/Red Bull-Renault) 2min01s325
4º. Nico Rosberg (ALE/Mercedes) 2min02s251
5º. Paul di Resta (ESC/Force India-Mercedes) 2min02s332
6º. Jenson Button (ING/McLaren-Mercedes) 2min03s075
7º. Romain Grosjean (FRA/Lotus-Renault) 2min03s081
8º. Kimi Raikkonen (FIN/Lotus-Renault) 2min03s390
9º. Fernando Alonso (ESP/Ferrari) 2min03s482
10º. Felipe Massa (BRA/Ferrari) 2min04s059
     
11º. Nico Hulkenberg (ALE/Sauber-Ferrari) 1min49s088
12º. Adrian Sutil (ALE/Force India-Mercedes) 1min49s103
13º. Sergio Pérez (MEX/McLaren-Mercedes) 1min49s304
14º. Giedo van der Garde (HOL/Caterham-Renault) 1min52s036
15º. Jules Bianchi (FRA/Marussia-Cosworth) 1min52s563
16º. Max Chilton (ING/Marussia-Cosworth) 1min52s762
     
17º. Pastor Maldonado (VEN/Williams-Renault) 2min03s072
18º. Jean-Éric Vergne (FRA/Toro Rosso-Ferrari) 2min03s300
19º. Daniel Ricciardo (AUS/Toro Rosso-Ferrari) 2min03s317
20º. Valtteri Bottas (FIN/Williams-Renault) 2min03s432
21º. Esteban Gutiérrez (MEX/Sauber-Ferrari) 2min04s324
22º. Charles Pic (FRA/Caterham-Renault) 2min07s384

O que dá para esperar?

Todos os carros e capacetes do grid

Todos os carros e capacetes do grid

Salve galera! agora estamos na contagem regressiva para o retorno do campeonato mundial de Fórmula 1 e a ansiedade só aumenta. Os testes já foram concluídos, a fase de silly season ficou para trás e os testes já foram feitos, mas afinal, dá para saber o que realmente irá acontecer? A resposta é a mesma de sempre: é difícil apontar apenas nos resultados, mas vamos lá ver o que vai acontecer.

Na turma da ponta, parece que a situação mudará muito pouco em relação ao ano passado. O equilíbrio ainda será o carro chefe desta temporada, mas tem equipes que podem sair dominando ou que podem ficar para trás. O bloco intermediário segue uma completa incógnita e a turma do fundão pode ter algumas surpresas. Bom, este escriba vai lançar algumas predições, com boas possibilidades de quebrar a cara, de qualquer forma, direi sobre o que penso. Confira:

Red Bull: A turma dos energéticos fez a mesma coisa de outros campeonatos. Não apareceu demasiadamente nos testes, uma vez ou outra andava bem, mas focou na durabilidade e nas simulações de corrida. No entanto, não há dúvidas que ainda é a equipe a ser batida. Se terá o melhor carro na Austrália, isso não se sabe, mas com o mago Adrian Newey no comando, o caminho para o tetracampeonato de Sebastian Vettel está traçado, mas não será a lavada de 2011.

Ferrari: Uma coisa que parece certa é que a o F138 é melhor do que o seu antecessor. A fase mais crítica da Estaberria de Maranello foi justamente no começo do ano, quando o F2012 foi muito mal, mas melhorou ao longo do ano. Claro que o talento de Fernando Alonso fez e fará toda a diferença neste biênio. E até Felipe Massa parece mais motivado, e vai ser de grande serventia para o cavalinho rampante. Portanto, dá para esperar um ano bom para a equipe e pode ser que a seca de títulos, que dura cinco anos, pode acabar logo.

McLaren: Até agora, uma completa incógnita. Apareceu bem em Jerez, mas teve muitos problemas em Barcelona e tanto Jenson Button, como Sergio Perez demonstraram preocupação com o carro prateado. Ao contrário dos últimos anos, onde a equipe de Woking mostrou força em alguns momentos, parece que 2013 não será um ano dos melhores . Mas e se for um blefe?

Lotus: A equipe parece que manteve a linha evolutiva e está mais próxima da ponta em relação ao ano passado. A escuderia descolada teve bons tempos nos testes, mas pecou um pouco na confiabilidade. Mesmo assim, parece que Kimi Raikkonen pode brigar pelas vitórias que exigiu da equipe e até Romain Grosjean pode sonhar com a primeira vitória, caso bote a cabeça no lugar.

Mercedes: Foi a grande vedete dos testes, tanto para o bem, quanto para o mal. Teve um começo desastroso, com muitas quebras e problemas de quilometragem, mas andou muito bem em Barcelona, conseguindo bons resultados. Lewis Hamilton está bem animado na nova empresa e Nico Rosberg quer mostrar que não deixou o velho Michael Schumacher comer poeira só pelos problemas do heptacampeão. O carro parece ser rápido, mas pode ser aquele velho fogo de palha, que foi tão comum nos testes passados. A conferir.

Sauber: A equipe mudou muita coisa, mas o esquema deve ser o mesmo dos outros anos. Andou no meio do pelotão e por lá deve ficar. Brigará pelo sexto lugar no mundial, como nos anos anteriores. Tem Nico Hulkenberg, que terminou 2012 em alta e o novato Esteban Gutierrez. Se mantiver a pegada, pode ser uma nova surpresa, como no ano passado.

Force India: Apareceu mais pela definição do companheiro de Paul di Resta, mas parece ter um carro legal nas mãos. Por ter uma dupla que conhece o know-how da equipe, o time do Ganges até fez bons treinos e é um forte concorrente no pelotão intermediário. Adrian Sutil parece que não sentiu o ano sabático e pode surpreender.

Williams: A escuderia de Grove é outra que não mostrou muita coisa nos testes, mas também não tinha tanto o que mostrar. Deve manter a mesma pegada de 2012. Andará no pelotão intermediário, mas pode vez ou outra surpreender, terá um Pastor Maldonado pressionado, que precisa manter a rapidez e evitar os excessos, além de estar preocupado pela sua fonte de recursos, já que seu credor não está mais neste plano e dependendo das eleições na Venezuela, a coisa pode complicar. O novato Valteri Bottas parece ser promissor, mas ainda é uma incógnita este ano. Mas pode surpreender e guiar aquilo que Bruno Senna não conseguiu ano passado.

Toro Rosso: O seu carro parece melhor que o antecessor, mas ainda nada está garantido para o time 1B dos energéticos. Tanto Daniel Ricciardo como Jean-Eric Vergne tem talvez a última chance de vingar no programa da Red Bull, até se pensam em assumir a vaga de Mark Webber no futuro, mas sabem que há gente à espreita nas categorias menores, como o português Antonio Felix da Costa. Se conseguir andar bem e evitar desclassificações no Q1, pode ser que consigam, mas é agora ou nunca.

Caterham: Começando pela zona do perigo, a equipe de Tony Fernandes segue a toada do outro empreendimento esportivo do malaio, o Queens Park Rangers. Não evoluiu o que se esperava e de quebra esteve em último lugar durante várias sessões. Giedo van der Garde não parece ser o nome tão promissor, logo as fichas devem ser depositadas em Charles Pic, que parece ser um piloto mais eficiente.

Marussia: Para finalizar, temos a equipe russa, que deu nos nervos de muita gente, com a indefinição do segundo piloto, por conta de um erro contábil dos patrocinadores de Luiz Razia. Bom, vida que segue, com Jules Bianchi e Max Chilton defendendo a escuderia do Kremilin, pode ser uma temeridade apostar em dois estreantes, mas o francês tem conhecimento da F1 por ser piloto de testes há muito tempo e tem ainda o apoio da Ferrari, podendo ser respeitado na briga, já o inglês nunca se destacou em nenhuma categoria de acesso e teoricamente deve ser o mais fraco do grid. No entanto o carro rubro-negro parece ter evoluído e andou na frente da sua rival, dando esperanças de ficar com décimo lugar nos construtores. Veremos se manterão a pegada.

Bom, é isso, logo teremos os primeiros carros na pista e o fim de semana promete. Alguém a se pronunciar? Abraço!

P.S. Aqui tem um podcast mais específico, com a análise dos estreantes da temporada 2013. Aproveitem!

Dinheiro na mão é vendaval…

“Se não foi no Taj Mahal, vou no Kremilin”

E a vaca deitou para Luiz Razia. A Marussia acaba de confirmar que o francês Jules Bianchi tomou o seu lugar e será o piloto do carro 23 na temporada 2013.

O baiano acertou a sua ida com a condição que levaria 10 milhões de euros na conta da equipe russa para pilotar pela equipe. O anúncio há algumas semanas surpreendeu todo mundo, mas imaginava-se como favas contadas, apenas esperando o cheque compensar…

Pois é, o cheque não compensou, a grana não caiu e o Razia ficou à pé. Durante estes dias o brasileiro bem que tentou correr atrás de alguém para bancar a dívida já que seus patrocinadores eram meio nebulosos e a medida que o tempo foi passando, os rumores não pararam de aumentar. Max Chilton ia testando o carro dia após dia por ser a única escolha e a demora na definição fez surgir outros nomes como Heikki Kovalainen ou Narain Karthikeyan, além do próprio Bianchi recém-preterido da Force India, em favor de Adrian Sutil.

Assim, foi o piloto empresariado por Nicolas Todt vai correr naquele que pode ser o pior carro de 2013 (embora o Chilton tenha conseguido constantemente andar na frente da Caterham). Para quem sonhava em uma equipe média pelos planos da Ferrari fornecer motores para esta em 2014, a realidade não parece muito doce.

“Veja o lado bom: Pelo menos não passará vergonha com a carroça rubro-negra”

Mesmo assim, Bianchi tem a chance de um debute este ano para ganhar experiência e mostrar capacidade. Teoricamente é bem mais piloto que Chilton, e mais que Razia também. Cabe agora mostrar que toda a expectativa não foi em vão.

Quanto ao representante de Barreiras, são pouquíssimas portas abertas para se manter em atividade durante a temporada. E esse revés deve minar qualquer possibilidade dele chegar a F1. Apesar das notícias sobre a família e sobre a sua fonte de recursos, é uma pena ver que ele entrará para a história da Fórmula 1 como o piloto “Viúva Porcina”: o que foi sem nunca ter sido.

Bom, é isso. recomendo o podcast que gravei esta semana com o Carlos Eduardo Del Valle sobre o Nelson Piquet. Só clicar no link. Abraço!

Uma novela a menos

“I’m back again”

Salve galera! Hoje pelo menos um dos assuntos mais polêmicos da silly season teve o seu fim decretado, embora não oficialmente. O fato é que a Force India deve ter finalmente batido o martelo sobre o segundo piloto para 2013, e desta vez optou pelo regresso de um velho conhecido da casa: Adrian Sutil é de novo membro da equipe de Vijay Mallya.

A definição já estava desenhada desde quando esteve para tirar os moldes do banco para os testes de semana passada em Barcelona. Sabia-se que a situação estava bem encaminhada para ele e hoje veio a cartada final. O empresário de Jules Bianchi, Nicolas Todt (filho do presidente da FIA e ex-chefe de equipe da Ferrari) declarou que jogou a toalha em relação as chances de seu pupilo e que a vaga é do alemão, de acordo com os jornais “Auto Motor und Sport” da Alemanha e “Autosprint”, da Itália.

Sutil fez um ano sabático em 2012. Não andou nem de carrinho de rolimã profissionalmente e este tempo parado pode causar problemas, mas com a cuca mais fresca depois de 2011 tumultuado (uma das razões da sua saída no ano seguinte) e com o conhecimento do modus operandi do time hindu, pode fazer um retorno satisfatório. Enfim, o bom filho está na casa.

Com isso todas as 22 vagas no grid em 2013 estariam fechadas. Ou não? Ainda temos os problemas com o Luiz Razia.

Acontece é que a conta da vaga do baiano não foi paga. O dinheiro não caiu na conta da Marussia. Até por isso, o brasileiro não foi para pista. Agora o renegado Bianchi passou a ser especulado para a vaga e a bola de neve não para de aumentar.

A situação é bem preocupante. Os patrocinadores que levariam a grana para os russos são bem obscuros e o próprio piloto reclamou publicamente da falta de apoio no Brasil, como foi veiculado na mídia especializada e repercutida por gente como Flávio Gomes e Victor Martins, Ligando os pontos, parece que a vaga que estava assegurada vai ficar com outro piloto. É, que situação complicadinha.

Bom, é isso,  qualquer novidade, daremos aqui no blog. Abraço!

%d blogueiros gostam disto: