Arquivos do Blog

Jules Bianchi

Apenas deixo aqui a lembrança do principal feito da carreira de Jules Bianchi (os pontos que conquistara com a Marussia em Mônaco). Poderia ser o primeiro de muitos, mas quisera o destino que o desfecho fosse trágico.

Jules foi mais um garoto que sonhava alto, estava perto de chegar lá. Assim como tantos que sonham desde o kart, passando por várias categorias, até a Fórmula 1.

O esporte ainda é cruel e perigoso. Por mais medidas que se tomem, não há como deter o risco de uma modalidade cujo charme é justamente encarar os riscos.

Jules lutou bravamente durante a vida pelo sucesso e após o acidente pela própria vida. Resistiu nove meses, com muito sofrimento para ele e para sua família.

A estrada da vida ficou mais curta para Jules, assim como ficara para sua colega de equipe, Maria de Villota, assim como outros 46 homens que perderam a vida em corridas e/ou eventos ligados à F1.

Jules Bianchi junta-se a nomes como Alberto Ascari, Jim Clark, Bruce McLaren, Jochen Rindt, François Cévert, Ronnie Peterson, Gilles Villeneuve, Riccardo Paletti, Elio de Angelis, Roland Ratzenberger e Ayrton Senna, entre outros.

Todos faziam o que mais gostavam e deixaram este plano para serem imortalizados ao longo da história deste esporte que cobra preços altos pelo reconhecimento.

O destino fora cruel, mas a sua marca está registrada Jules. Tenha certeza disso.

Anúncios

Final igual, mas a história foi diferente

Salve galera! Tivemos aquela que pode ter sido a melhor corrida de 2013. Disputas em todos os pelotões e ultrapassagens não faltaram. Mas o final acabou dentro das previsões, mas não que tenha sido exatamente do jeito que foi nas últimas corridas.

Podem falar o que quiserem, mas ele é o cara!

Para quem não assistiu a corrida e ler que Sebastian Vettel ganhou, vai achar que foi mais uma procissão, mas este cidadão estará redondamente enganado. Vettel venceu mostrando bastante do que sabe.

Na largada, os dois carros rubrotaurinos ficaram um pouco (Webber por “causas naturais” e Vettel que fumava antes da largada). Romain Grosjean pulou na frente e para complicar ainda mais, o alemão tocou em Lewis Hamilton, que também tentava a ultrapassagem. O problema afetou a suspensão da Mercedes e o inglês teve de sair da corrida.

A disputa parecia reservada entre o francês e o australiano, mas como Webber optou por parar três vezes, o duelo ficou com a Lotus e a primeira Red Bull. Aí Vettel provou sua diferença: Trocou os pneus no momento certo e conseguiu fazer a ultrapassagem sobre o Groselha na primeira chance que teve. Webber também passou, mas levou sete voltas a mais para cumprir o objetivo. A peça entre o volante e o banco ainda faz uma enorme diferença nessa questão.

Agora o alemão tem 90 pontos de frente em relação a Fernando Alonso (que fez mais uma corrida com talento e arrojo com grandes ultrapassagens e chegou em quarto). Basta um modesto quinto lugar para sacramentar matematicamente o tetracampeonato.  Com a condição de ambos, tudo indica que a corrida na Índia será um mero protocolo.

Sobre a corrida de Suzuka, há de se destacar que o Groselha deu um banho neste fim de semana em seu companheiro de equipe. Kimi Raikkonen teve uma corrida discreta, mesmo com algumas ultrapassagens e o finlandês não foi além do quinto posto. Não tem sido um grande final de campeonato para o futuro ferrarista.

Quem vem em ascensão nesse momento é a Sauber. Embora Nico Hulkenberg ficou com dificuldades no finalzinho, a equipe suíça conseguiu um sexto e um sétimo, somando pontos importantes nos construtores. E para completar a festa de aniversário do patriarca da equipe, o tio Peter, Esteban Gutierrez somou seus primeiros pontos na F1, com uma atuação segura, segurando os ataques de Nico Rosberg no final Um grande trabalho e excelente resultado.

Já a montadora da Estugarda teve um fim de semana para esquecer. Além do revés com Hamilton, a Mercedes ainda teve que engolir um drive-through para Rosberg depois de uma saída de pit-stop em que quase bateu na McLaren de Sergio Perez. Foi mais um desempenho aquém das expectativas.

Além de Rosberg, mais gente foi punida. Um deles foi Felipe massa, que excedeu a velocidade nos boxes. Além disso, o brasileiro apareceu mais na transmissão levando ultrapassagens dos rivais e ficando para trás, como a ultrapassagem de Jenson Button na última volta. Somou um ponto, mas sabe que está atrás de Hulkenberg no aspecto técnico na briga pela vaga no grid em 2014.

Além destes, Daniel Ricciardo também tomou punição por passar fora da pista numa ultrapassagem. O australiano vem fazendo algumas algazarras após assumir a vaga na equipe principal dos energéticos. Assim não vai dar certo.

Van der Garde em dia de Senna? [que a treta começe]

Finalmente também destacamos as Williams, que se digladiaram pela 16ª posição, mostrando mais uma vez a falta de desempenho do seu carro. E também as nanicas com a batida entre Giedo van der Garde e Jules Bianchi após a largada, marcando o péssimo fim de semana do piloto francês, que já tinha punição e outras coisas mais.

Bom, é isso. A etapa seguinte é em Buddh, na Índia, daqui há duas semanas, onde a formalização de mais um caneco para o jovem de Heppenheim deve ser concluída. Vettel é tetra e ponto! Abraço!

1º. Sebastian Vettel (ALE/Red Bull-Renault) 53 voltas em 1h26min49s301
2º. Mark Webber (AUS/Red Bull-Renault) a 7s1
3º. Romain Grosjean (FRA/Lotus-Renault) a 9s9
4º. Fernando Alonso (ESP/Ferrari) a 45s6
5º. Kimi Raikkonen (FIN/Lotus-Renault) a 47s3
6º. Nico Hulkenberg (ALE/Sauber-Ferrari) a 51s6
7º. Esteban Gutiérrez (MEX/Sauber-Ferrari) a 1min11s6
8º. Nico Rosberg (ALE/Mercedes) a 1min12s0
9º. Jenson Button (ING/McLaren-Mercedes) a 1min20s8
10º. Felipe Massa (BRA/Ferrari) a 1min29s2
11º. Paul di Resta (ESC/Force India-Mercedes) a 1min38s5
12º. Jean-Éric Vergne (FRA/Toro Rosso-Ferrari) a 1 volta
13º. Daniel Ricciardo (AUS/Toro Rosso-Ferrari) a 1 volta
14º. Adrian Sutil (ALE/Force India-Mercedes) a 1 volta
15º. Sergio Pérez (MEX/McLaren-Mercedes) a 1 volta
16º. Pastor Maldonado (VEN/Williams-Renault) a 1 volta
17º. Valtteri Bottas (FIN/Williams-Renault) a 1 volta
18º. Charles Pic (FRA/Caterham-Renault) a 1 volta
19º. Max Chilton (ING/Marussia-Cosworth) a 1 volta
Abandonaram:
Lewis Hamilton (ING/Mercedes) na volta 7
Giedo van der Garde (HOL/Caterham-Renault) na volta 1
Jules Bianchi (FRA/Marussia-Cosworth) na volta 1

Melhor volta: Mark Webber (AUS/Red Bull-Renault), 1min34s587

E viva Spa-Francorchamps

Salve galera! Depois de um bom tempo sem o escriba dar as caras, resolvi dar um descanso aproveitando a silly season, mas volto a falar sobre o que acontece no mundo da Fórmula 1. E quem ficou para acompanhar o treino de classificação, não se arrependeu.

Luisinho conseguiu de novo!

O tempo na região das Ardenas sempre foi lotérico e no treino oficial não foi diferente, com a chuva indo e voltando. Com isso a situação do grid foi mudando completamente e permitiu algumas surpresas e reviravoltas.

A pole position mudou de mão várias vezes. A situação de chove-seca mudou os rumos da classificação, favorecendo a Mercedes, no fim das contas. mesmo sem ter um grande carro no fim de semana, Lewis Hamilton encontrou uma grande volta e larga na posição de honra pela 30ª vez. Mais um feito e tanto.

A pole parecia certa para a turma dos energéticos, que conseguiu abrir a última volta antes do cronômetro estourar, mas não contaram com o dono do Roscoe, mas o P2 de Vettel e o P3 de Webber ainda podem ser considerados como ótimo, até porque seus rivais estão bem atrás na briga.

Na sequência vem Nico Rosberg, que fez duas grandes voltas em condições de pista mais molhada, mas não teve a chance de fazer a volta no mesmo timing em relação aos tr~es primeiros.

Em quinto, um dos nomes da classificação: Paul di Resta quase repetiu o feito de Giancarlo Fisichella em 2009 e liderou quase todo o Q3, para conseguir uma pole para a Force India. Uma pena que a pista secou e ele caiu para quinto. mas quem sabe o tempo pode dar ao escocês a chance de um resultado histórico.

Jenson Button também fez uma excelente classificação, mesmo com um carro inferior conseguiu um sexto lugar considerado satisfatório para a McLaren, diante do modesto 13º de Sergio Perez, o britânico fez um bom trabalho.

A Lotus está andando bem, mas não deu sorte com a chuva. Tem os dois carros na quarta fila. Para Kimi Raikkonen poder brigar por mais uma vitória na pista belga, vai precisar de remar da oitava posição. mas para a sua sorte, Romain Grosjean pode fazer o mesmo serviço do ano passado e facilitar o caminho do Ice Man (brinks).

Pior que a Lotus no Q3, só a Ferrari. Felipe Massa foi quem tentou o timing mais próximo da Force India e esteve em segundo a maior parte do treino, mas a melhora do tempo o derrubou para décimo, imediatamente atrás de Fernando Alonso, que rodou no final e não foi além do nono tempo. Definitivamente a casa rossa vai abaixo nesta noite.

Van der Garde; Um dos heróis do dia

Da turma de trás, a grande atração foi, sem dúvida, o desempenho das nanicas. Giedo van der Garde, Jules Bianchi e Max Chilton colocaram pneus slick no momento certo do Q1 e acharam voltas fantásticas, eliminando a sempre inerte Sauber de Esteban Gutierrez, as desesperadas Williams e as surpreendentes Toro Rosso, se colocando no Q2. Uma pena que o tempo mais firme da segunda sessão evitou a hecatombe de um deles chegar ao Q3, mas o fato de largarem de 14º, 15º e 16º já foi uma vitória para a Caterham e a Marussia.

Bom é isso, Amanhã tudo indica que a chuva deve ir e voltar constantemente e embaralhar as cartas da corrida. Além disso o fantástico circuito da Bélgica deve trazer mais uma bela corrida. um belo retorno de férias, não acham? Abraço!

Pos. Piloto (Nac./Equipe) Tempo
1º. Lewis Hamilton (ING/Mercedes) 2min01s012
2º. Sebastian Vettel (ALE/Red Bull-Renault) 2min01s200
3º. Mark Webber (AUS/Red Bull-Renault) 2min01s325
4º. Nico Rosberg (ALE/Mercedes) 2min02s251
5º. Paul di Resta (ESC/Force India-Mercedes) 2min02s332
6º. Jenson Button (ING/McLaren-Mercedes) 2min03s075
7º. Romain Grosjean (FRA/Lotus-Renault) 2min03s081
8º. Kimi Raikkonen (FIN/Lotus-Renault) 2min03s390
9º. Fernando Alonso (ESP/Ferrari) 2min03s482
10º. Felipe Massa (BRA/Ferrari) 2min04s059
     
11º. Nico Hulkenberg (ALE/Sauber-Ferrari) 1min49s088
12º. Adrian Sutil (ALE/Force India-Mercedes) 1min49s103
13º. Sergio Pérez (MEX/McLaren-Mercedes) 1min49s304
14º. Giedo van der Garde (HOL/Caterham-Renault) 1min52s036
15º. Jules Bianchi (FRA/Marussia-Cosworth) 1min52s563
16º. Max Chilton (ING/Marussia-Cosworth) 1min52s762
     
17º. Pastor Maldonado (VEN/Williams-Renault) 2min03s072
18º. Jean-Éric Vergne (FRA/Toro Rosso-Ferrari) 2min03s300
19º. Daniel Ricciardo (AUS/Toro Rosso-Ferrari) 2min03s317
20º. Valtteri Bottas (FIN/Williams-Renault) 2min03s432
21º. Esteban Gutiérrez (MEX/Sauber-Ferrari) 2min04s324
22º. Charles Pic (FRA/Caterham-Renault) 2min07s384

Deu a lógica… bem, mais ou menos

Uma corrida realmente quente!

O GP da Alemanha foi uma das melhores do ano, sem dúvida, marcada com muita coisa bizarra na pista e nos boxes, mas terminou de um modo comum, com mais uma vitória de Sebastian Vettel. Bom, não chega a ser tão comum, pois foi a primeira vez que o jovem alemão venceu a sua corrida caseira, quebrando um tabu incômodo ao jovem alemão. De quebra o caminho para o título volta a ficar mais tranquilo.

Mas a sua corrida não foi tão fácil. Na largada, deixou Lewis Hamilton para trás, mesmo sendo espremido e com o britânico ficando para trás, parecia que o passeio era seguro, mas a Lotus veio com força e incomodou, mas não a ponto de ameaçar a liderança rubrotaurina.

E FFFFFFFFFFFettel finalmente fez a alegria da galera!

Antes foi Romain Grosjean, que demorou para fazer sua parada no primeiro jogo de pneus e fez uma corrida marcando Vettel, até que a equipe resolveu usá-lo como “boi de piranha” para ajudar Kimi Raikkonen. O francês quis dar um caô, falando que não estava escutando o rádio, mas cedeu a posição ao finlandês, que tentou chegar em Vettel, mas não conseguiu.

Fernando Alonso veio atrás, apostando numa estratégia que não vingou com a primeira parada , mas que teve a grande chance com o Safety Car. Veio forte no final mas não pegou o pódio. E ainda teve que parar o carro pela falta de combustível e pode ser punido. O fato é que a coisa segue complicada em relação ao campeonato. Como consolo, foi o fato de conseguir a primeira melhor volta da corrida da Ferrari após mais de dois anos sem conseguir isso.

E a Mercedes? Essa voltou a ser uma leoa de treino. O britânico fez uma largada fraca e ao longo da corrida foi levando ultrapassagem atrás de ultrapassagem. Deu uma melhorada no final, mas acabou em quinto. Nico Rosberg também sofreu lá atrás e só melhorou no fim, conseguindo dois pontinhos. Muito pouco para a Ross Racing.

A McLaren deu uma reagida em Nurburgring. Tanto Jenson Button como Sergio Perez conseguiram conservar os pneus e chegaram aos pontos com o sexto e o oitavo lugar respectivamente. Diante dos problemas com a evolução do carro, o resultado acaba sendo interessante.

Em sétimo veio Mark Webber, que mais uma vez teve que remar para recuperar o tempo perdido, mas desta vez por falha da equipe, que fez uma bobagem monumental nos boxes e soltou o australiano com a roda solta. E para piorar o pneu nocauteou um câmera da FOM. O cinegrafista sofreu uma fratura no ombro e nas costelas, mas felizmente não há riscos de morte.

Já para Webber, a corrida virou uma luta, se aproveitou da regra de “Lucky Dog” da Fórmula 1 e conseguiu recuperar a volta, partindo para uma grande reação. Chegou em sétimo e escapou de ser punido, já que a Red Bull recebeu uma multa de 30 mil euros pela besteira. Mesmo assim é mais uma para a síndrome de 1B.

O último pontuável foi Nico Hulkenberg, em grande exibição. Andou sempre na zona de pontuação, mas a Sauber errou na estratégia e quase ficou fora dos pontos, mas conseguiu avançar e chegou no top 10. Nada mal para quem não tem recebido salário há dois meses.

Falando em pindaíba, a Williams esteve perto de pontuar, mas uma maldita pistola pneumática arruinou totalmente as chances de Pastor Maldonado e de Valteri Bottas. Uma pena, pois eles sempre andaram dentro dos pontos, mas não foi dessa vez.

Felipe mais uma vez saindo do trilho. mas parece que a culpa não foi dele e ele admitiu que errou.

A corrida ficou marcada por mais dois feitos bizarros. O primeiro afetou Felipe Massa, que largou bem e tinha boas chances de chegar bem, mas na terceira volta o carro deu uma guinada no final da reta dos boxes e o brasileiro não conseguiu voltar à pista e ficou por lá. A Ferrari ainda não se pronunciou, mas isso não significa que foi um erro do Felipe. Acho que seria muito difícil o Massa rodar daquele jeito por erro. Atualização: O Massa admitiu que errou mesmo. Como disse antes, parece ser a síndrome de 1B.

O outro fato estranho ocorreu depois que o francês Jules Bianchi viu sua Marussia quebrar o motor. O carro parou na grama, mas de repente ele começou a descer a ladeira desgovernado, causando a única entrada do carro de segurança. O mais incrível foi o desespero dos fiscais e a entrada do trator no meio da pista para resgatar o bólido. Eu imaginei essa música na hora:

Bom, é isso. Mais uma pausa de três semanas até a corrida da Hungria, onde o circuito travado de Hungaroring nunca permite grandes emoções, a não ser quando os pneus ajudam. Abraço!

Pos. Piloto (Nac./Equipe) Tempo
1º. Sebastian Vettel (ALE/Red Bull-Renault) 60 voltas em 1h41min14s711
2º. Kimi Raikkonen (FIN/Lotus-Renault) a 1s0
3º. Romain Grosjean (FRA/Lotus-Renault) a 5s8
4º. Fernando Alonso (ESP/Ferrari) a 7s7
5º. Lewis Hamilton (ING/Mercedes) a 26s9
6º. Jenson Button (ING/McLaren-Mercedes) a 27s9
7º. Mark Webber (AUS/Red Bull-Renault) a 37s5
8º. Sergio Pérez (MEX/McLaren-Mercedes) a 38s3
9º. Nico Rosberg (ALE/Mercedes) a 46s8
10º. Nico Hulkenberg (ALE/Sauber-Ferrari) a 49s8
11º. Paul di Resta (ESC/Force India-Mercedes) a 53s7
12º. Daniel Ricciardo (AUS/Toro Rosso-Ferrari) a 56s9
13º. Adrian Sutil (ALE/Force India-Mercedes) a 57s7
14º. Esteban Gutiérrez (MEX/Sauber-Ferrari) a 1min00s1
15º. Pastor Maldonado (VEN/Williams-Renault) a 1min01s9
16º. Valtteri Bottas (FIN/Williams-Renault) a 1 volta
17º. Charles Pic (FRA/Caterham-Renault) a 1 volta
18º. Giedo van der Garde (HOL/Caterham-Renault) a 1 volta
19º. Max Chilton (ING/Marussia-Cosworth) a 1 volta
Abandonaram:
Jean-Éric Vergne (FRA/Toro Rosso-Ferrari)
Jules Bianchi (FRA/Marussia-Cosworth)
Felipe Massa (BRA/Ferrari)
Melhor Volta Fernando Alonso (ESP/Ferrari) 1:33.468 (51)

I will survive (on the race)

Salve galera! O GP de Mônaco teve uma primeira parte chata demais, mas a partir da metade, a coisa melhorou e o final foi até que empolgante. Quem foi o responsável por isso? Acredito que foram os pilotos, que na primeira parte se portaram como mariquinhas e que não se atacaram até a janela de pit-stops, mas a partir disso e do primeiro safety-car a coisa mudou, o que significa que Monte Carlo não é só procissão. Basta querer atacar.

“Hoje eu arrasei!”

Quem não deu nenhuma margem para ataque foi Nico Rosberg. O alemão segurou a ponta em todos os momentos e venceu com maestria. Iguala o feito do pai, há trinta anos (é o primeiro filho de piloto a fazer isso), e finalmente consegue convencer que pode ser mais do que um mero “1B” na Mercedes. Afinal nas últimas corridas tem botado a banca em cima de Lewis Hamilton e mostra que com um carro vencedor, vai dar trabalho aos rivais.

Quem não tinha um carro vencedor hoje, mas sai do principado feliz é a turma dos energéticos. Sebastian Vettel e Mark Webber fecharam o pódio e somaram pontos importantíssimos para a equipe e os pilotos no campeonato. Vettel se aproveitou do infortúnio dos rivais mais próximos e abre uma vantagem bem confortável para o segundo colocado. razão para reclamação não há para os rubrotaurinos. (exceto esse teste de pneus da Mercedes que foi descoberto hoje, mas falarei disso mais tarde)

O quinto colocado foi uma grata surpresa. Adrian Sutil conseguiu o resultado que lhe escapou cinco anos atrás. O alemão sempre esteve na zona dos pontos e mostrou a agressividade na medida certa. Com direito a duas ultrapassagens na Loews, foi o destaque positivo da corrida.

Jenson Button fez uma corrida burocrática, perdeu posições e deve estar enfezado com seu companheiro de equipe por causa da atitude dele. mesmo assim salvou um sexto lugar bem razoável, ainda à frente de Fernando Alonso. O espanhol teve uma corrida bem fraca  e em algumas vez foi o responsável pelo trenzinho. terminou em sétimo, mas podia ser pior.

Vergne: Bela homenagem e boa corrida

Jean-Eric Vergne fez uma corrida honesta e contou com a sorte para somar mais quatro pontinhos. A sua homenagem a Francois Cevert foi digna. Paul di Resta foi outro com corrida digna. Antecipou a parada e fez ultrapassagens na zona de DRS, foi subindo e fez mais dois pontos. A Force India sai bem do circuito monegasco.

O décimo lugar pode não valer muita coisa, mas para Kimi Raikkonen, foi algo épico. O finlandês andou a corrida inteira em quinto, até que teve Sergio Perez ao seu encalço. O mexicano fazia uma excelente corrida com uma bela passada em Button e uma posição ganha em cima de Alonso por cortar a chincane do porto. No mesmo ponto das manobras anteriores, o piloto da McLaren tentou e os dois vazaram a curva, gerando reclamação do Matias, mas faltando seis voltas para o fim, Perez tentou de novo onde não tinha espaço e arrebentou o pneu da Lotus e detonou sua asa.

Perez: de bestial a besta

Kimi teve que ir para os boxes e voltar lá atrás, enquanto o Chesperito parava de vez com problemas decorrentes do choque. Raikkonen foi com tudo e fez cinco ultrapassagens nas últimas quatro voltas, sendo três na última volta e manteve a sequência de 23 corridas nos pontos, estando a uma de igualar o recorde de Michael Schumacher. Se ele conseguir, ele merce, ainda mais depois de hoje.

Começamos agora com a turma do bonde. Primeiro foi Felipe Massa, que repetiu na prova a mesma batida na classificação e causando o primeiro safety-car. De quebra teve que ir para o centro médico com colar cervical e tudo, mas aparentemente nada de grave para ele. Se fisicamente está tudo ok, moralmente foi uma bela ducha de água fria para o brasileiro.

Outro em fim de semana daqueles foi Pastor Maldonado. Na largada, o venezuelano se estranhou com Giedo van der Garde e ficou para trás, conseguiu chegar no pelotão, mas terminou a sua participação na corrida em “grande estilo” sendo catapultado por Max Chilton, destruindo a barreira de pneus  e quase interditando a curva da tabacaria, sobrando destroços para o pobre Jules Bianchi (a princípio erroneamente recriminado por muitos pela bobagem de seu companheiro de equipe). A corrida foi paralisada por alguns momentos para o reparo.

Maldonado em um dia normal

Para completar a zica do francês queridinho de muitos, que teve motor quebrado na classificação, ficou parado na larga e pegou a rebarba do bolivariano, ainda bateu na Saint Devote um pouco parecido com os acidentes de Massa. Coincidentemente, o trio é empresariado por Nicolas Todt, o filho do presidente da FIA. Esse teve um dia daqueles.

Um outro francês (não tão querido assim) resolveu entrar na festa. Romain Grosjean, que havia batido três vezes durante os treinos, estava quietinho no seu canto até encher a traseira de Daniel Ricciardo na saída do túnel e arruinar ambas as corridas. Uma atuação a lá Grosjean.

Bom, tudo aqui sobre a corrida está dito. Daqui há duas semanas a Fórmula 1 vai ao Canadá, para uma corrida que promete ser movimentada, na medida que Montreal costuma proporcionar. Até lá a Pirelli deve finalmente colocar pneus novos, que possam durar mais e melhorar a qualidade das corridas. O problema é se alguém tiver mais privilégios, como o teste secreto da Mercedes após a corrida de Barcelona, que só foi descoberta hoje por todo mundo. A Ross Racing pode ter dado o golpe de mestre na turma toda e a história da Fórmula 1 pode ser outra daqui para frente. Aguardemos os próximos capítulos.

Para quem gosta de automobilismo, boa 500 milhas para todos (e quem tiver fôlego, boa Coca-Cola 600 também) Abraço!

1º. Nico Rosberg (ALE/Mercedes) 78 voltas
2º. Sebastian Vettel (ALE/Red Bull-Renault) a 3s8
3º. Mark Webber (AUS/Red Bull-Renault) a 6s3
4º. Lewis Hamilton (ING/Mercedes) a 13s8
5º. Adrian Sutil (ALE/Force India-Mercedes) a 21s4
6º. Jenson Button (ING/McLaren-Mercedes) a 23s1
7º. Fernando Alonso (ESP/Ferrari) a 26s7
8º. Jean-Éric Vergne (FRA/Toro Rosso-Ferrari) a 27s2
9º. Paul di Resta (ESC/Force India-Mercedes) a 27s6
10º. Kimi Raikkonen (FIN/Lotus-Renault) a 36s5
11º. Nico Hulkenberg (ALE/Sauber-Ferrari) a 42s5
12º. Valtteri Bottas (FIN/Williams-Renault) a 42s6
13º. Esteban Gutiérrez (MEX/Sauber-Ferrari) a 43s2
14º. Max Chilton (ING/Marussia-Cosworth) a 49s8
15º. Giedo van der Garde (HOL/Caterham-Renault) a 1min02s5
16º. Sergio Pérez (MEX/McLaren-Mercedes) a 6 voltas
Abandonaram
Romain Grosjean (FRA/Lotus-Renault) na 64ª volta
Daniel Ricciardo (AUS/Toro Rosso-Ferrari) na 62ª volta
Jules Bianchi (FRA/Marussia-Cosworth) na 59ª volta
Pastor Maldonado (VEN/Williams-Renault) na 45ª volta
Felipe Massa (BRA/Ferrari) na 29ª volta
Charles Pic (FRA/Caterham-Renault) na 8ª volta

Melhor volta: Sebastian Vettel (Red Bull-Renault) 1:16.577 (volta 77)

%d blogueiros gostam disto: