Arquivos do Blog

Barman da Velocidade – Ep. 21 – GP de Abu Dhabi

E terminou a temporada 2015 da F1. Um ano que podia ser melhor, mas há muito a se falar

201511291518972_GettyImages-499137706_II.jpg

Confira a análise dos destaques do fim de semana.

_________________________________________________

Tópicos do vídeo

• Cascas de banana
__o Fernando Alonso
____ Última gongada no Q1
____ Batida com Nasr e Maldonado
____ Desânimo total
__o Williams
____ Desempenho em queda livre
____ Pits desastrosos
____ Batida do Bottas
__o Sauber
____ Outra em decadência
____ 2016 sombrio
__o Ferrari
____ Trapalhada no Q1 com Vettel
____ Trapalhada nos boxes com Kimi
____ Não impediu o P3 e P4

• Estrelas
__o Nico Rosberg
____ Doutrinador inútil?
____ Rei das corridas finais. Virá forte para 2016?
__o Sergio Perez
____ O melhor do resto
____ Chocolate no duelo interno
__o Carlos Sainz Jr.
____ Fim de semana melhor que do Verstappen
__o Jenson Button
____ Conseguiu o Q2
____ Lutou bem
____ Melhor que Alonso em 2015

+++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++

 

Assine o nosso canal no YouTube
Acesse o blog Curva a Curva
Curta a página no Facebook

Imagens:

Globoesporte.com, Grande Prêmio e Motorsport.com

Músicas:

Music “DollHeads” by Ivan Chew
Available at ccMixter.org http://dig.ccmixter.org/files/ramblinglibrarian/25202
Under CC BY license http://creativecommons.org/licenses/by/3.0/

Music “Drive” by Alex Berosa featuring cdk & Darryl J
Available at ccMixter.org http://dig.ccmixter.org/files/AlexBeroza/43098
Under CC BY license http://creativecommons.org/licenses/by/3.0/

Music “Hidden Blues” by Pitx featuring rocavaco
Available at ccMixter.org http://dig.ccmixter.org/files/Pitx/27007
Under CC BY license http://creativecommons.org/licenses/by/3.0/

Music “Kokokur” by Pitx
Available at ccMixter.org http://dig.ccmixter.org/files/Pitx/15328
Under CC BY license http://creativecommons.org/licenses/by/3.0/

Music “Zest” by Basematic featuring Urmymuse
Available at ccMixter.org http://dig.ccmixter.org/files/basematic/34457
Under CC BY license http://creativecommons.org/licenses/by/3.0/

Music “Seeker” by Gurdonark
Available at ccMixter.org http://dig.ccmixter.org/files/gurdonark/27196
Under CC BY license http://creativecommons.org/licenses/by/3.0/

E acabou-se o que era doce

A Fórmula 1 chegou ao fim em 2013. O campeonato, que certamente não deixará saudades, terminou neste domingo em Interlagos. o Grande Prêmio do Brasil não foi o melhor da história, mas foi animado. Mesmo sem a chuva, a corrida foi bem movimentada e trouxe histórias e fatos marcantes no desfecho de uma era.

A turma que terminou o ano

Esta época terminou com mais uma vitória de Sebastian Vettel. A corrida foi mais uma vez fácil. Na largada, perdeu a liderança para Nico Rosberg, mas no final da primeira volta, estava na frente. O único susto foi por causa de uma lambança nos pits da Red Bull, mas no fim, a vitória estava assegurada e o alemão iguala a marca de nove vitórias seguidas pertence a Alberto Ascari.

Nota: Ascari conseguiu nove vitórias seguidas em corridas que ele participou, já que na contagem, não entra as 500 milhas de Indianapolis de 1953, já que os europeus da F1 não competiam na Brickyard.

Quem apareceu bem mais foi o segundo colocado. Mark Webber teve uma ótima atuação na sua corrida derradeira na categoria. Fez um bom duelo com Fernando Alonso e chegou em segundo. No final foi ele que roubou a cena, primeiro tirando o capacete no meio da volta de retorno para os boxes e depois levou um tombo, em meio às homenagens que recebia. Um desfecho bem interessante.

Capacete é para os fracos!

Fernando Alonso foi o terceiro colocado. Fez a corrida que se esperava e chegou onde dava mesmo: atrás das Red Bull. O problema mesmo é aguentar a Glenda Koloswski no pódio…

A dupla da McLaren apareceu bem, mas não evitou o vexame de fechar a temporada sem nenhum pódio. Mesmo assim, Jenson Button e Sergio Perez foram aguerridos e conseguiram fechar a corrida em quarto e sexto respectivamente. Que no ano seguinte a turma de Woking acerte a mão para equilibrar as coisas. Já para o mexicano, que procura um emprego, fica uma boa impressão para quem deseja alguns tacos.

Entre eles ficou Nico Rosberg. O alemão assumiu a liderança na primeira volta, mas despencou por causa do acerto ruim da sua Mercedes, que estava voando na chuva, mas que não andava na pista seca. Mais uma temporada que acaba aquém do esperado.

Em sétimo veio Felipe Massa, no seu adeus a Ferrari. O brasileiro recebeu aplausos do mecânico assim que saiu dos boxes e fez uma grande largada. Até sonhava com o pódio, mas uma punição controversa (apesar de estar na regra) acabou com suas chances. fez ainda uns donuts, assim como Vettel e deixou a Estaberria de Maranello de bem com a vida. (não em termos de resultado, mas na autoestima)

Palmas para o Felipe (merecidas?)

Em oitavo, Nico Hulkenberg fechando um ano em que se afirmou em termos de desempenho, mesmo com um carro bem aquém da sua qualidade. Que nos próximos anos, a sorte sorria mais para ele.

Logo a seguir veio Lewis Hamilton, que mais uma vez sofreu no autódromo José Carlos Pace. O britânico vinha sem muitas expectativas, mas quase botou o vice-campeonato da Mercedes a perder, quando deu uma fechada desnecessária em Valteri Bottas, tirando o finlandês da corrida e estourando o seu próprio pneu. Tomou um drive-trought pela patacoada, mas salvou dois pontos.

O último pontuável foi Daniel Ricciardo, substituto de Webber, que teve que segurar investidas de adversários e tomou alguns sustos, mas terminou em melhor forma que o companheiro Jean-Eric Vergne, justificando sua escolha pelos rubrotaurinos.

Na turma que sobrou temos muitas decepções. A começar com a Lotus, que viu suas chances de pontuar irem para o espaço por causa do motor Renault. Além disso, Heikki Kovalainen foi uma figura nula no fim de semana e terminou apenas em 14º. Um fim de temporada que mostra um futuro nebuloso pelos lados de Einstone.

E o futuro piloto da equipe preta e dourada não parece ser o mais indicado para mudar o panorama. Pastor Maldonado fechou o ano com uma rodada no S do Senna, em disputa com Vergne. Uma despedida triste do venezuelano da Williams.

Mas não tem coisa ruim só do fundão. No duelo das nanicas, festa para a Marussia, que conseguiu manter a vantagem para a Caterham (que teve problemas com Charles Pic) e terminou o ano como a décima colocada nos construtores. De quebra, o endinheirado Max Chilton conseguiu terminar todas as 19 provas de 2013. A melhor marca do ano.

Bom, e assim chegou ao fim a temporada 2013, terminando a era dos motores aspirados V8. Foi uma temporada bem inferior ao ano passado, não tem como negar. Que 2014 seja bem melhor, tanto no campeonato, como nas corridas. Abraço!

1º. Sebastian Vettel (ALE/Red Bull-Renault) 71 voltas em 1h32min36s300
2º. Mark Webber (AUS/Red Bull-Renault) a 10s4
3º. Fernando Alonso (ESP/Ferrari) a 18s9
4º. Jenson Button (ING/McLaren-Mercedes) a 37s3
5º. Nico Rosberg (ING/Mercedes) a 39s0
6º. Sergio Pérez (MEX/McLaren-Mercedes) a 49s1
7º. Felipe Massa (BRA/Ferrari) a 64s2
8º. Nico Hulkenberg (ALE/Sauber-Ferrari) a 72s9
9º. Lewis Hamilton (ING/Mercedes) a 1 volta
10º. Daniel Ricciardo (AUS/Toro Rosso-Ferrari) a 1 volta
11º. Paul di Resta (ESC/Force India-Mercedes) a 1 volta
12º. Esteban Gutiérrez (MEX/Sauber-Ferrari) a 1 volta
13º. Adrian Sutil (ALE/Force India-Mercedes) a 1 volta
14º. Heikki Kovalainen (FIN/Lotus-Renault) a 1 volta
15º. Jean-Éric Vergne (FRA/Toro Rosso-Ferrari) a 1 volta
16º. Pastor Maldonado (VEN/Williams-Renault) a 1 volta
17º. Jules Bianchi (FRA/Marussia-Cosworth) a 2 voltas
18º. Giedo van der Garde (HOL/Caterham-Renault) a 2 voltas
19º. Max Chilton (ING/Marussia-Cosworth) a 2 voltas
Abandonaram:
Charles Pic (FRA/Caterham-Renault) na 59ª volta
Valtteri Bottas (FIN/Williams-Renault) na 46ª volta
Romain Grosjean (FRA/Lotus-Renault) na 3ª volta

Volta mais rápida: Mark Webber (AUS/Red Bull-Renault) – 1min15s436

+++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++

Campeonato de pilotos


1 – Sebastian Vettel 397
2 – Fernando Alonso 242
3 – Mark Webber 199 (+2)
4 – Lewis Hamilton 189 (-1)
5 – Kimi Raikkonen 183 (-1)
6 – Nico Rosberg 171
7 – Romain Grosjean 132
8 – Felipe Massa 112
9 – Jenson Button 73
10 – Nico Hulkenberg 51 (+1)
11 – Sergio Perez 49 (+1)
12 – Paul di Resta 48 (-2)
13 – Adrian Sutil 29
14 – Daniel Ricciardo 20
15 – Jean-Eric Vergne 13
16 – Esteban Gutierrez 6
17 – Valteri Bottas 4
18 – Pastor Maldonado 1
19 – Jules Bianchi 0
20 – Charles Pic 0
21 – Heikki Kovalainen 0
22 – Giedo van der Garde 0
23 – Max Chilton 0

Campeonato de construtores

1 – Red Bull-Renault 596
2 – Mercedes 360
3 – Ferrari 354
4 – Lotus-Renault 315
5 – McLaren-Mercedes 122
6 – Force India-Mercedes 77
7 – Sauber-Ferrari 57
8 – Toro Rosso Ferrari 33
9 – Williams-Renault 5
10 – Marussia-Cosworth 0
11 – Caterham-Renault 0

++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++

Disputa em corridas:

Vettel 18 X 1 Webber
Alonso 17 X 2 Massa
Button 13 X 6 Perez
Raikkonen 11 X 6 Grosjean
Kovalainen 1 x 1 Grosjean
Rosberg 9 X 10 Hamilton
Hulkenberg 14 X 5 Gutierrez
Di Resta 11 X 8 Sutil
Maldonado 12 X 7 Bottas
Vergne 8 X 11 Ricciardo
Pic 14 X 5 Van der Garde
Bianchi 15 X 4 Chilton

Ele estraga tudo!

Enfim Interlagos! A nossa corrida caseira finalmente chegou! A corrida mais esperada por todos os cabeças de gasolina tupiniquins chegou! E claro que não poderia faltar a chuva vinda da rrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrepresa (thanx Galvão). Mas nem isso consegue mudar os resultados da Fórmula 1.

Nem com chuva!

Sebastian Vettel esteve quieto nas primeiras partes, fez apenas o suficiente para passar sem sustos, esperou pacientemente pelo atraso no Q3 e quando foi para pista, arrasou com todo mundo mais uma vez. Outra pole-position e a possibilidade de alcançar a nona vitória seguida é grande.

O segundo lugar ficou com Nico Rosberg, que andou muito bem em todos os treinos. Tem o azar de ter um adversário muito forte, mas de repente dá para sonhar com mais um bom resultado na última corrida do ano, na temporada em que se comprovou a sua qualidade, faltando apenas um carro mais competitivo em algumas ocasiões.

Em terceiro, ficou Fernando Alonso, mostrando que sabe o quanto pode tirar do carro em momentos difíceis. Fecha 2013 com a melhor posição de largada desde o Bahrein. Mais uma vez é o asturiano fazendo a diferença, mas não é aquilo que ele gostaria.

Na sequência vieram, Mark Webber, que fará a sua última largada (e a última largada moonwalk) na categoria, Lewis Hamilton (sempre atrás do Rosbife) e Romain Grosjean (tentou o pulo do gato, mas acabou sendo pego pelos demais).

Na quarta fila, as gratas surpresas do treino. A dupla da Toro Rosso conseguiu um ótima classificação e colocou os dois carros no Q3. Um bom desfecho para a dupla que quer se se afirmar na mentalidade do senhor Helmut Marko, especialmente a Jean-Eric Vergne, para sonhar com uma promoção, assim como aconteceu com Daniel Ricciardo.

Felipe Massa vai largar em nono, no final da sua passagem pela Estaberria de maranello. Não era o resultado que ele sonhava, mas quem sabe um final mais feliz para o torcedor brasileiro no domingo. Sonho demais nessa história.

o último entre os dez primeiros acabou sendo Nico Hulkenberg, salvando o fim de semana mais fraco da Sauber. Mas como o alemão tem um bom histórico em Interlagos, não se surpreendam se ele aprontar algo positvo amanhã.

Nas decepções do treino, a principal é mais uma vez a McLaren, que viu seus dois carros fora do Q3. De quebra, Sergio Perez ainda bateu no fim do Q2. Mesmo assim, o mexicano termina a sua última corrida pela equipe de Woking largando a frente de um desanimador Jenson Button. Que ano horroroso para a equipe britânica!

Outro que encerra em baixa o ano é Pastor Maldonado. Outra vez caiu no Q1 e terminou o ano em baixa e atrás de Valteri Bottas. Fi, melancólico para o piloto venezuelano.

E ficamos por aqui. Amanhã esperamos que Interlagos nos traga mais uma boa corrida (até para salvar o ano), e que tenhamos uma boa despedida dos motores aspirados. O problema é que aquele alemão da turma dos energéticos não deve facilitar as coisas… Abraço!

1º. Sebastian Vettel (ALE/Red Bull-Renault) 1min26s479 23
2º. Nico Rosberg (ALE/Mercedes) 1min27s102 22
3º. Fernando Alonso (ESP/Ferrari) 1min27s539 21
4º. Mark Webber (AUS/Red Bull-Renault) 1min27s572 23
5º. Lewis Hamilton (ING/Mercedes) 1min27s677 23
6º. Romain Grosjean (FRA/Lotus-Renault) 1min27s737 22
7º. Daniel Ricciardo (AUS/Toro Rosso-Ferrari) 1min28s052 24
8º. Jean-Éric Vergne (FRA/Toro Rosso-Ferrari) 1min28s081 25
9º. Felipe Massa (BRA/Ferrari) 1min28s109 20
10º. Nico Hulkenberg (ALE/Sauber-Ferrari) 1min29s582 21
11º. Heikki Kovalainen (FIN/Lotus-Renault) 1min27s456 21
12º. Paul di Resta (ESC/Force India-Mercedes) 1min27s798 16
13º. Valtteri Bottas (FIN/Williams-Renault) 1min27s954 16
14º. Sergio Pérez (MEX/McLaren-Mercedes) 1min28s269 15
15º. Jenson Button (ING/McLaren-Mercedes) 1min28s308 15
16º. Adrian Sutil (ALE/Force India-Mercedes) 1min28s586 19
17º. Pastor Maldonado (VEN/Williams-Renault) 1min27s367 12
18º. Esteban Gutiérrez (MEX/Sauber-Ferrari) 1min27s445 14
19º. Charles Pic (FRA/Caterham-Renault) 1min27s843 6
20º. Giedo van der Garde (HOL/Caterham-Renault) 1min28s320 6
21º. Jules Bianchi (FRA/Marussia-Cosworth) 1min28s366 11
22º. Max Chilton (ING/Marussia-Cosworth) 1min28s950 11

Disputas de classificação (final)

Vettel 17 x 2 Webber
Alonso 11 X 8 Massa
Button 9 X 10 Perez
Raikkonen 11 X 6 Grosjean
Kovalainen 0 x 2 Grosjean
Rosberg 8 X 11 Hamilton
Hulkenberg 18 X 1 Gutierrez
Di Resta 13 X 6 Sutil
Maldonado 7 X 12 Bottas
Vergne 4 X 15 Ricciardo
Pic 12 X 7 Van der Garde
Bianchi 17 X 2 Chilton

Conseguiram estragar a nossa alegria

Fala pessoal! Tínhamos a esperança que o GP da Bélgica trouxesse emoções e surpresas, como acontece com alguma frequência em Spa-Francorchamps. Emoção teve sim, com algumas boas disputas, mas ficou nisso. A briga pela vitória não existiu, os pilotos, na maioria, se comportaram bem demais e a chuva prometida não caiu. Para ajudar, o Greenpeace resolveu protestar contra a operação da Shell no ártico. Não foi uma corrida normal nas Ardenas.

Entrega logo a taça para ele!

A vitória de Sebastian Vettel foi o de sempre. bastou fazer uma largada sem sustos e passar Lewis Hamilton na Kermel para ficar na frente até a bandeirada final. Mais um passeio. A 31ª vitória e o tetracampeonato já se avizinha por aí.

Fernando Alonso fez mais uma corrida milagrosa, com uma largada espetacular e com o arrojo de sempre, mas não teve carro para superar o loiríssimo alemão. A frustração era evidente no pódio, pois sabe que mais um campeonato foi para o rival.

O inglês da Mercedes se segurou como pôde e sabia que a pole não representava muita coisa. Conseguiu o terceiro lugar, mesmo com o comboio de Nico Rosberg e Mark Webber, e com isso alçou para a mesma posição do campeonato. Já é muito pelo que faz na Mercedes.

Jenson Button foi um dos nomes da prova. O britânico fez uma ótima corrida com o equipamento limitado e mostrou um bom ritmo, chegando em sexto e colocando a McLaren a frente da Force India no campeonato de construtores.

Felipe Massa teve mais uma corrida complicada, mas conseguiu um resultado razoável. Com uma surpreendente largada ruim e problemas no volante nas primeiras voltas, o brasileiro teve que se virar durante a corrida, mas fez boas disputas e conseguiu pontuar, mesmo contra os prognósticos. Ficou de bom tamanho.

Romain Grosjean se comportou direitinho, sendo mais recatado na largada e arriscou uma parada, mas sofreu com a falta de ritmo da Lotus e salvou quatro pontinhos para a equipe de Einstone. Os últimos pontuáveis foram Adrian Sutil e Daniel Ricciardo.

Sentiu falta de alguém? Sim, Kimi Raikkonen deu adeus a sequência de 27 corridas seguidas nos pontos e praticamente deu adeus às chances de título. O finlandês sofreu com os freios desde o começo da corrida e numa tentativa de passar a Ferrari de Massa, acabou passando reto na Bus Stop indo para a garagem. Fim de semana de ressaca.

Apenas para um piloto, o domingo foi considerado “normal”: Pastor Maldonado voltou a aprontar das suas, na disputa de posição com as Sauber e com a Force India, o venezuelano tentou entrar nos boxes sem olhar para o lado e acertou os dois carros de Vijay Mallya. Pior para Paul di Resta, que ficou pelo caminho. O piloto da Williams ainda tomou um stop and go, que ficou barato.

Se a FIA pegou leve com o bolivariano, com Sergio Perez foi rigorosa demais. Numa disputa com Grosjean, o mexicano não deu espaço para o francês, que precisou vazar a chincane pata não bater. Os comissários mandaram o piloto da McLaren fazer um Drive Through e arruinaram sua chance de pontos.

Uma decisão exagerada ao meu ver, já que na história da Fórmula 1, são vários casos que aconteceram na história e a manobra não foi nada demais. É por essa e outras que este escriba está perdendo o gosto de escrever sobre a categoria.

Bom, vida que segue, pois daqui a duas semanas, a Fórmula 1 chega ao Santuário de Monza, onde os tifosi torcem por mais um milagre do asturiano, mas quem sabe derrotando a turma dos energéticos. Abraço!

Pos. Piloto (Nac./Equipe) Tempo
1º. Sebastian Vettel (ALE/Red Bull-Renault) 44 voltas em 1h23min42s196
2º. Fernando Alonso (ESP/Ferrari) a 16s8
3º. Lewis Hamilton (ING/Mercedes) a 27s7
4º. Nico Rosberg (ALE/Mercedes) a 29s8
5º. Mark Webber (AUS/Red Bull-Renault) a 33s8
6º. Jenson Button (ING/McLaren-Mercedes) a 40s7
7º. Felipe Massa (BRA/Ferrari) a 53s9
8º. Romain Grosjean (FRA/Lotus-Renault) a 55s8
9º. Adrian Sutil (ALE/Force India-Mercedes) a 1min09s5
10º. Daniel Ricciardo (AUS/Toro Rosso-Ferrari) a 1min13s4
11º. Sergio Pérez (MEX/McLaren-Mercedes) a 1min21s9
12º. Jean-Éric Vergne (FRA/Toro Rosso-Ferrari) a 1min26s7
13º. Nico Hulkenberg (ALE/Sauber-Ferrari) a 1min28s2
14º. Esteban Gutiérrez (MEX/Sauber-Ferrari) a 1min30s3
15º. Valtteri Bottas (FIN/Williams-Renault) a 1min37s3
16º. Giedo van der Garde (HOL/Caterham-Renault) a 1 volta
17º. Pastor Maldonado (VEN/Williams-Renault) a 1 volta
18º. Jules Bianchi (FRA/Marussia-Cosworth) a 1 volta
19º. Max Chilton (ING/Marussia-Cosworth) a 2 voltas
Abandonaram:
Paul di Resta (ESC/Force India-Mercedes) na volta 26
Kimi Raikkonen (FIN/Lotus-Renault) na volta 25
Charles Pic (FRA/Caterham-Renault) na volta 8
Melhor volta Sebastian Vettel (ALE/Red Bull-Renault) 1:50.756 (volta 40)

P.S. Parece que a novela Red Bull acabou, graças ao spoiler de Mark Webber. Esse será o aforismo paddockiano ao lado. Mais informações aqui.

Uma corrida abençoada para alguns e amaldiçoados para outros

Salve galera! A etapa húngara da Fórmula 1, que historicamente é insossa, desta vez teve uma corrida interessante, com muitas alternativas. Temos muitas polêmicas para colocar em ordem e por isso você nem vai precisar assistir o VT depois do Revenge.

Antes um adendo: A corrida foi transmitida hoje no Sportv por causa da Jornada Mundial da Juventude, que tem a visita do papa Francisco. Apesar de entender as críticas, a minha opinião foi a de que a Vênus Platinada acertou. Sei que muita gente vai discordar aqui, mas, na minha opinião a missa dá muito mais audiência que a corrida. E além disso, a presença do pontífice em terras tupiniquins é um fato jornalístico mais importante que a corrida magiar. Aceito as opiniões discordantes, mas esta é a minha opinião pessoal e nada mudará ela.

Hamilton: o rei de Hungaroring

Voltando a falar de velocidade. O vencedor foi o melhor piloto do fim de semana. Lewis Hamilton teve sorte e competência para vencer com sobras. Sorte com a dificuldade que os seus adversários de ultrapassar. E competência pois quando precisou fazer as ultrapassagens, ele foi cirúrgico.

Um Hamilton como dos bons tempos. Foi a primeira vitória dele pela Mercedes e a quarta em Hungaroring, igualando Michael Schumacher como o maior vencedor da pista. De quebra, os prateados assumiram o segundo lugar nos construtores, mesmo sem precisar dos testes de jovens. Os carros do sr. Ross Brawn podem ter as suas tretas, mas até que é interessante ter mais gente no páreo.

O segundo lugar teve um pega interessante no final. Sebastian Vettel conseguiu segurar as investidas de Romain Grosjean, mas ficou encaixotado em Jenson Button após o primeiro pit stop. O tempo perdido custou não só a briga pela corrida como o segundo lugar para Kimi Raikkonen. O alemão tentou uma ultrapassagem, mas acabou bloqueado (tal qual fez com o francês na largada).

Kimi fez uma corrida discretíssima. Apareceu muito pouco na transmissão antes da disputa com Vettel, mas foi constante e chegou no pódio e deixou para trás Fernando Alonso na classificação, ainda tirando um pouquinho da desvantagem para o rubrotaurino. Ainda parou seu carro após a chegada, ainda sem saber o motivo, mas espero que não seja revertida em penalização.

Vettel segue tranquilo na liderança, mas sabe que a Mercedes e a Lotus são ameaças para as vitórias. Mas ainda não há nada que ameace as chances dele ser campeão mais uma vez. Mesmo assim, a turma dos energéticos precisa melhorar sua situação.

Mark Webber que o diga. Depois da frustração no treino, partiu para uma estratégia diferente e chegou num bom quarto lugar. Para “ajudar” a situação do australiano, ele ainda teve problemas no final, aparentemente pelo que falava no rádio a sua equipe. Fez aquilo que dava e cumpriu a missão.

Em quinto lugar, um desidratado e desenganado Fernado Alonso. Desidratado porque seu sistema de bebida líquida não funcionou no meio do calor e o espanhol passou por sede, além do desgaste habitual. Desenganado porque a Ferrari definitivamente andou para trás e está longe de brigar por vitória neste momento. Com isso, o asturiano é praticamente carta fora do baralho na briga pelo caneco.

Em sexto lugar, um dos destaques da corrida. Romain Grosjean fez a corrida digna de seu estilo de pilotagem, mas pagou o pato injustamente. Uma punição pela disputa com Jenson Button, onde os dois se tocaram depois da fechada do francês, que ainda cortou a chincane é plausível (tomou 20 segundos no tempo final, mas não perdeu posição), mas puni-lo por ter saído da pista após passar o Felipe Massa foi um absurdo. Primeiro que o massa não deu espaço. E a manobra foi limpa, num espaço que todos os pilotos usam. Nota zero para os comissários da FIA.

Outro destaque da corrida foi Jenson Button. Também partindo em outra estratégia, o inglês conseguiu se segurar nas primeiras posições, o que ajudou Hamilton na vitória. Vettel, Grosjean, Alonso e Raikkonen ficaram travados pela McLaren e até o toque com Grosjean foi uma consequência disso. O inglês ainda se segurou e somou bons pontinhos.

Massa seguiu com o bico detonado e foi burocrático mais uma vez

Logo atrás veio Felipe Massa, em uma corrida bem modesta. Na largada teve um toque com Nico Rosberg e danificou a asa dianteira. Mesmo assim seguiu sem trocá-la e foi se tornando presa fácil nas brigas por posição. Deu sorte de ver o piloto da Mercedes abandonar com o motor estourado, quando estava no seu encalço. Ainda assim foram quatro pontos na conta e muitas incertezas sobre o futuro do brasileiro.

Além de Massa, os últimos entre os pontuáveis foram latinos. Sergio Perez, em atuação discreta, foi o nono. Já o décimo, este merece menção. Foi Pastor Maldonado, conseguindo o primeiro pontinho da Williams em 2013. A quebra do Rosbife no finalzinho trouxe esse alento para a equipe de Grove, dando esperanças de dias melhores. Mesmo a quebra de Valteri Bottas acaba ofuscado pelo resultado do venezuelano. Para a draga da equipe, cada décimo lugar é válido.

A decepção da corrida fica por conta da Force India, que nunca andou bem e acabou com os dois carros fora da corrida. Um fim de semana para esquecer.

Bom, é isso. A Fórmula 1 sai de férias por um longo mês. O lado bom é que o retorno será em Spa-Francorchamps. Enquanto isso vamos ficar de olho na dança das cadeiras e das movimentações nos bastidores. A categoria vai terminando a temporada europeia e o campeonato ainda continua em aberto, apesar de ter a cara do tetra rubrotaurino estampada. Talvez um milagre papal possa mudar isso. Ou não? Abraço!

Pos. Piloto (Nac./Equipe) Tempo
1º. Lewis Hamilton (ING/Mercedes) 70 voltas em 1h42min29s445
2º. Kimi Raikkonen (FIN/Lotus-Renault) a 10s9
3º. Sebastian Vettel (ALE/Red Bull-Renault) a 12s4
4º. Mark Webber (AUS/Red Bull-Renault) a 18s0
5º. Fernando Alonso (ESP/Ferrari) a 31s4
6º. Romain Grosjean (FRA/Lotus-Renault) a 32s2
7º. Jenson Button (ING/McLaren-Mercedes) a 53s8
8º. Felipe Massa (BRA/Ferrari) a 56s4
9º. Sergio Pérez (MEX/McLaren-Mercedes) a 1 volta
10º. Pastor Maldonado (VEN/Williams-Renault) a 1 volta
11º. Nico Hulkenberg (ALE/Sauber-Ferrari) a 1 volta
12º. Jean-Éric Vergne (FRA/Toro Rosso-Ferrari) a 1 volta
13º. Daniel Ricciardo (AUS/Toro Rosso-Ferrari) a 1 volta
14º. Giedo van der Garde (HOL/Caterham-Renault) a 2 voltas
15º. Charles Pic (FRA/Caterham-Renault) a 2 voltas
16º. Jules Bianchi (FRA/Marussia-Cosworth) a 3 voltas
17º. Max Chilton (ING/Marussia-Cosworth) a 3 voltas
Abandonaram:
Paul di Resta (ESC/Force India-Mercedes) na 67ª volta
Nico Rosberg (ALE/Mercedes) na 65ª volta
Valtteri Bottas (FIN/Williams-Renault) na 43ª volta
Esteban Gutiérrez (MEX/Sauber-Ferrari) na 29ª volta
Adrian Sutil (ALE/Force India-Mercedes) na 20ª volta
Melhor Volta Mark Webber (AUS/Red Bull-Renault) 1:24.069 (volta 61)
%d blogueiros gostam disto: