Arquivos do Blog

E acabou-se o que era doce

A Fórmula 1 chegou ao fim em 2013. O campeonato, que certamente não deixará saudades, terminou neste domingo em Interlagos. o Grande Prêmio do Brasil não foi o melhor da história, mas foi animado. Mesmo sem a chuva, a corrida foi bem movimentada e trouxe histórias e fatos marcantes no desfecho de uma era.

A turma que terminou o ano

Esta época terminou com mais uma vitória de Sebastian Vettel. A corrida foi mais uma vez fácil. Na largada, perdeu a liderança para Nico Rosberg, mas no final da primeira volta, estava na frente. O único susto foi por causa de uma lambança nos pits da Red Bull, mas no fim, a vitória estava assegurada e o alemão iguala a marca de nove vitórias seguidas pertence a Alberto Ascari.

Nota: Ascari conseguiu nove vitórias seguidas em corridas que ele participou, já que na contagem, não entra as 500 milhas de Indianapolis de 1953, já que os europeus da F1 não competiam na Brickyard.

Quem apareceu bem mais foi o segundo colocado. Mark Webber teve uma ótima atuação na sua corrida derradeira na categoria. Fez um bom duelo com Fernando Alonso e chegou em segundo. No final foi ele que roubou a cena, primeiro tirando o capacete no meio da volta de retorno para os boxes e depois levou um tombo, em meio às homenagens que recebia. Um desfecho bem interessante.

Capacete é para os fracos!

Fernando Alonso foi o terceiro colocado. Fez a corrida que se esperava e chegou onde dava mesmo: atrás das Red Bull. O problema mesmo é aguentar a Glenda Koloswski no pódio…

A dupla da McLaren apareceu bem, mas não evitou o vexame de fechar a temporada sem nenhum pódio. Mesmo assim, Jenson Button e Sergio Perez foram aguerridos e conseguiram fechar a corrida em quarto e sexto respectivamente. Que no ano seguinte a turma de Woking acerte a mão para equilibrar as coisas. Já para o mexicano, que procura um emprego, fica uma boa impressão para quem deseja alguns tacos.

Entre eles ficou Nico Rosberg. O alemão assumiu a liderança na primeira volta, mas despencou por causa do acerto ruim da sua Mercedes, que estava voando na chuva, mas que não andava na pista seca. Mais uma temporada que acaba aquém do esperado.

Em sétimo veio Felipe Massa, no seu adeus a Ferrari. O brasileiro recebeu aplausos do mecânico assim que saiu dos boxes e fez uma grande largada. Até sonhava com o pódio, mas uma punição controversa (apesar de estar na regra) acabou com suas chances. fez ainda uns donuts, assim como Vettel e deixou a Estaberria de Maranello de bem com a vida. (não em termos de resultado, mas na autoestima)

Palmas para o Felipe (merecidas?)

Em oitavo, Nico Hulkenberg fechando um ano em que se afirmou em termos de desempenho, mesmo com um carro bem aquém da sua qualidade. Que nos próximos anos, a sorte sorria mais para ele.

Logo a seguir veio Lewis Hamilton, que mais uma vez sofreu no autódromo José Carlos Pace. O britânico vinha sem muitas expectativas, mas quase botou o vice-campeonato da Mercedes a perder, quando deu uma fechada desnecessária em Valteri Bottas, tirando o finlandês da corrida e estourando o seu próprio pneu. Tomou um drive-trought pela patacoada, mas salvou dois pontos.

O último pontuável foi Daniel Ricciardo, substituto de Webber, que teve que segurar investidas de adversários e tomou alguns sustos, mas terminou em melhor forma que o companheiro Jean-Eric Vergne, justificando sua escolha pelos rubrotaurinos.

Na turma que sobrou temos muitas decepções. A começar com a Lotus, que viu suas chances de pontuar irem para o espaço por causa do motor Renault. Além disso, Heikki Kovalainen foi uma figura nula no fim de semana e terminou apenas em 14º. Um fim de temporada que mostra um futuro nebuloso pelos lados de Einstone.

E o futuro piloto da equipe preta e dourada não parece ser o mais indicado para mudar o panorama. Pastor Maldonado fechou o ano com uma rodada no S do Senna, em disputa com Vergne. Uma despedida triste do venezuelano da Williams.

Mas não tem coisa ruim só do fundão. No duelo das nanicas, festa para a Marussia, que conseguiu manter a vantagem para a Caterham (que teve problemas com Charles Pic) e terminou o ano como a décima colocada nos construtores. De quebra, o endinheirado Max Chilton conseguiu terminar todas as 19 provas de 2013. A melhor marca do ano.

Bom, e assim chegou ao fim a temporada 2013, terminando a era dos motores aspirados V8. Foi uma temporada bem inferior ao ano passado, não tem como negar. Que 2014 seja bem melhor, tanto no campeonato, como nas corridas. Abraço!

1º. Sebastian Vettel (ALE/Red Bull-Renault) 71 voltas em 1h32min36s300
2º. Mark Webber (AUS/Red Bull-Renault) a 10s4
3º. Fernando Alonso (ESP/Ferrari) a 18s9
4º. Jenson Button (ING/McLaren-Mercedes) a 37s3
5º. Nico Rosberg (ING/Mercedes) a 39s0
6º. Sergio Pérez (MEX/McLaren-Mercedes) a 49s1
7º. Felipe Massa (BRA/Ferrari) a 64s2
8º. Nico Hulkenberg (ALE/Sauber-Ferrari) a 72s9
9º. Lewis Hamilton (ING/Mercedes) a 1 volta
10º. Daniel Ricciardo (AUS/Toro Rosso-Ferrari) a 1 volta
11º. Paul di Resta (ESC/Force India-Mercedes) a 1 volta
12º. Esteban Gutiérrez (MEX/Sauber-Ferrari) a 1 volta
13º. Adrian Sutil (ALE/Force India-Mercedes) a 1 volta
14º. Heikki Kovalainen (FIN/Lotus-Renault) a 1 volta
15º. Jean-Éric Vergne (FRA/Toro Rosso-Ferrari) a 1 volta
16º. Pastor Maldonado (VEN/Williams-Renault) a 1 volta
17º. Jules Bianchi (FRA/Marussia-Cosworth) a 2 voltas
18º. Giedo van der Garde (HOL/Caterham-Renault) a 2 voltas
19º. Max Chilton (ING/Marussia-Cosworth) a 2 voltas
Abandonaram:
Charles Pic (FRA/Caterham-Renault) na 59ª volta
Valtteri Bottas (FIN/Williams-Renault) na 46ª volta
Romain Grosjean (FRA/Lotus-Renault) na 3ª volta

Volta mais rápida: Mark Webber (AUS/Red Bull-Renault) – 1min15s436

+++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++

Campeonato de pilotos


1 – Sebastian Vettel 397
2 – Fernando Alonso 242
3 – Mark Webber 199 (+2)
4 – Lewis Hamilton 189 (-1)
5 – Kimi Raikkonen 183 (-1)
6 – Nico Rosberg 171
7 – Romain Grosjean 132
8 – Felipe Massa 112
9 – Jenson Button 73
10 – Nico Hulkenberg 51 (+1)
11 – Sergio Perez 49 (+1)
12 – Paul di Resta 48 (-2)
13 – Adrian Sutil 29
14 – Daniel Ricciardo 20
15 – Jean-Eric Vergne 13
16 – Esteban Gutierrez 6
17 – Valteri Bottas 4
18 – Pastor Maldonado 1
19 – Jules Bianchi 0
20 – Charles Pic 0
21 – Heikki Kovalainen 0
22 – Giedo van der Garde 0
23 – Max Chilton 0

Campeonato de construtores

1 – Red Bull-Renault 596
2 – Mercedes 360
3 – Ferrari 354
4 – Lotus-Renault 315
5 – McLaren-Mercedes 122
6 – Force India-Mercedes 77
7 – Sauber-Ferrari 57
8 – Toro Rosso Ferrari 33
9 – Williams-Renault 5
10 – Marussia-Cosworth 0
11 – Caterham-Renault 0

++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++

Disputa em corridas:

Vettel 18 X 1 Webber
Alonso 17 X 2 Massa
Button 13 X 6 Perez
Raikkonen 11 X 6 Grosjean
Kovalainen 1 x 1 Grosjean
Rosberg 9 X 10 Hamilton
Hulkenberg 14 X 5 Gutierrez
Di Resta 11 X 8 Sutil
Maldonado 12 X 7 Bottas
Vergne 8 X 11 Ricciardo
Pic 14 X 5 Van der Garde
Bianchi 15 X 4 Chilton

Anúncios

A corrida dos son(h)os

Fala pessoal, a Fórmula 1 vive um clima de fim de festa, já que não há mais disputas de titulo, mas ainda há trabalho pela frente amanhã em Abu Dhabi. E pelo visto poucas coisas devem mudar pelo menos na parte de cima da classificação.

Enfim uma alegria ao Aussie

A pole acabou sendo de Mark Webber, que conseguiu a volta perfeita no final e abocanhou a sua segunda pole no ano, no cantar do cisne da sua carreira. Tendo Sebastian Vettel ao seu lado, a tendência é que a corrida fique entre os rubrotaurinos, isso dependendo da largada do australiano, que historicamente é ruim.

Na sequência, vieram as duas Mercedes, mais uma vez com Nico Rosberg liderando a equipe e fazendo um fim de campeonato mais constante que Lewis Hamilton. O inglês rodou no final do treino e perdeu a chance de largar mais à frente. A situação não é a das melhores para o dono do Roscoe.

Na terceira fila, vem o quase grevista Kimi Raikkonen, que mostra que tem qualidade mesmo, sem ter um centavo oriundo de pagamento da Lotus no na sua conta desde o final do ano passado. E também tem Nico Hulkenberg, que vive outra situação preocupante, já que não tem nenhum patrocínio gordo para brigar com a turma do meio.

Atrás de Romain Grosjean, o sétimo, vem a primeira Ferrari. E novamente é Felipe Massa quem se classifica melhor. De quebra o brasileiro foi o único representante da Estaberria de Maranello no Q2, já que Fernando Alonso foi só o 11º. Um fim de ano totalmente atípico para o cavalinho rampante. “Chega logo 2014”, clamam os tifosi.

Para efeito de curiosidade, o asturiano fora do Q3 é algo difícil de ver. A última vez que aconteceu, foi no GP da Europa do ano passado, em Valência. Se os fãs do espanhol têm um alento, é que nessa corrida, foi talvez a melhor atuação da sua carreira, com uma vitória apoteótica. Agora, dificilmente vai acontecer de novo amanhã.

Fecharam o top ten Daniel Ricciardo, mais uma vez se afirmando como a escolha certa para ser o piloto da equipe principal, além de Sergio Perez, mais uma vez mostrando serviço e indo melhor que Jenson Button, para mostrar que merece ficar para quem sabe devorar o filé no ano que vem, caso a McLaren volte a acertar a mão no carro.

Bom, ficamos por aqui. Amanhã a corrida do lusco-fusco deve ser aquela procissão de sempre, ao contrário do que aconteceu no ano passado. Mas quem sabe… Abraço!

ATUALIZAÇÃO: E o Kimi foi punido por causa do assoalho e vai largar de último. Para ficar atento às teorias da conspiração…

1º. Mark Webber (AUS/Red Bull-Renault) 1min39s947
2º. Sebastian Vettel (ALE/Red Bull-Renault) 1min40s075
3º. Nico Rosberg (ALE/Mercedes) 1min40s419
4º. Lewis Hamilton (ING/Mercedes) 1min40s501
5º. Nico Hulkenberg (ALE/Sauber-Ferrari) 1min40s576
6º. Romain Grosjean (FRA/Lotus-Renault) 1min40s997
7º. Felipe Massa (BRA/Ferrari) 1min41s015
8º. Sergio Pérez (MEX/McLaren-Mercedes) 1min41s068
9º. Daniel Ricciardo (AUS/Toro Rosso-Ferrari) 1min41s111
10º. Fernando Alonso (ESP/Ferrari) 1min41s093
11º. Paul di Resta (ESC/Force India-Mercedes) 1min41s133
12º. Jenson Button (ING/McLaren-Mercedes) 1min41s200
13º. Jean-Éric Vergne (FRA/Toro Rosso-Ferrari) 1min41s279
14º. Pastor Maldonado (VEN/Williams-Renault) 1min41s395
15º. Valtteri Bottas (FIN/Williams-Renault) 1min41s447
16º. Esteban Gutiérrez (MEX/Sauber-Ferrari) 1min41s999
17º. Adrian Sutil (ALE/Force India-Mercedes) 1min42s051
18º. Giedo van der Garde (HOL/Caterham-Renault) 1min43s252
19º. Charles Pic (FRA/Caterham-Renault) 1min43s528
20º. Max Chilton (ING/Marussia-Cosworth) 1min44s198
21º. Jules Bianchi (FRA/Marussia-Cosworth)* 1min43s398
22º. Kimi Raikkonen (FIN/Lotus-Renault)** 1min40s542

*perdeu cinco posições

**desclassificado

A coroação do Tião

É TETRA!!! (Entendedores entenderão)

É TETRA!!! (Entendedores entenderão)

Fala meu povo! O GP da Índia não foi tão ruim como se esperava, mas a lógica foi confirmada para o mais novo tetracampeão do pedaço. Sebastian Vettel escreveu mais um capítulo na história da sua incrível carreira, sendo o terceiro homem na Fórmula 1 a chegar ao quarto título seguido, assim como Juan Manuel Fangio e Michael Schumacher.

A corrida pareceu um pouco estranha quando foi para os boxes na segunda volta, para se livrar do pneu macio, que não durava absolutamente nada. Mesmo assim, esperou todo mundo ir parando, fez as ultrapassagens necessárias e estava na ponta de novo tao logo assim o fez.

Ainda teve a escolta de Mark Webber, em outra estratégia, e a dobradinha estava garantida, mas como as desgraças acontecem com o segundo piloto sempre, o alternador foi para o espaço e o australiano parou para curiosidade dos indianos que se aglomeraram, quase como uma avalanche gremista, para ver o azar do canguru perneta. Mas não foi nada que evitasse a festa do tetra da turma dos energéticos, que faturou os construtores também na corrida de hoje.

E assim, Vettel bastou chegar ao fim para chegar ao seu quarto título mundial e festejou como nunca se viu na F1. Fez donuts, como acontece na Nascar e na Indy, jogou as luvas para a torcida, chorou coo no primeiro título. Enfim, o garoto mostrou ser o mesmo guri do primeiro título, no que diz respeito a celebrar a conquista.

Nico Rosberg fez uma boa atuação, sempre a frente de Lewis Hamilton, foi o melhor da Mercedes e parece mais animadinho depois de anunciar seu casamento. Um segundo lugar (aliado ao sexto de seu companheiro) que serviu para a Mercedes assumir a vice-liderança dos construtores, a disputa mais equilibrada do grid até o momento.

Em terceiro, outro nome dessa corrida. Romain Grosjean se deu muito bem com a estratégia que bolou e vei com muita força no final da corrida. Terminou em terceiro mais uma vez e vai mostrando que a Lotus faz bem em promovê-lo a primeiro piloto em 2014. Acreditem ou não, é isso que vai acontecer!

Felipe Massa fez um boa atuação. Liderou as primeiras voltas, mas não teve um bom rendimento com os compostos mais duros e não conseguiu segurar o ritmo de Rosberg e Grosjean. mesmo assim, o quarto lugar foi um ótimo resultado para dar uma moral para quem está achando o seu caminho, provavelmente dentro da Williams, que deve ser o seu destino.

Logo atrás, veio Sergio Perez, em uma boa atuação no momento em que é mais questionado. Largando na frente de Jenson Button, fez a sua estratégia funcionar melhor e andou entre os ponteiro. brigou com Lewis Hamilton e conseguiu terminar na frente do seu antecessor, repetindo o melhor resultado da equipe no ano.

Kimi Raikkonen tentou se segurar na pista o máximo de tempo possível com os pneus mais duros e a tática ia dando certo com o segundo lugar, mas sem pneus foi despencando e precisou de mais uma parada. Terminou em sétimo e perdeu a chance de ficar mais perto do vice-campeonato de pilotos, mas ainda está vivo na disputa.

Na sequência veio a dupla da Force India, quebrando a sequência ruim na corrida caseira da equipe. Apesar de paul di Resta ter ficado à frente, foi Adrian Sutil que apareceu mais ficando 41 voltas na pista com os pneus duros e andando entre os ponteiros. De qualquer modo, o saldo acaba sendo positivo para o time do Ganges.

O último pontuável acabou sendo Daniel Ricciardo, que também esteve na mesma toada de Sutil, mas não teve o mesmo ritmo. Ainda assim fez uma corrida correta e terminou somando mais um pontinho no campeonato.

E Fernando Alonso? O que houve com o asturiano? Esta foi talvez a pior corrida da carreira dele. Encaixotado na largada, quebrou a asa dianteira na primeira curva e precisou mudar a estratégia, mas no fim parou uma vez a mais que todo mundo e não pôde aumentar o seu “pseudo recorde” de pontos. (Pelo menos dá para manter o mesmo capacete!). Um fim de semana para o espanhol esquecer.

Uhu! Donuts! (thanx Homer Simpson)

Semana que vem, a F1 chega no suntuoso e insosso circuito de Abu Dhabi para uma corrida que deve ser só festa pelo lado da Red Bull, mas que Sebastian Vettel vai tentar manter a incrível sequência de vitórias e deixar a briga dos vices para quem chegar em segundo. Abraço!

P.S. Aproveitem e votem no Podcast F1 Brasil

1º. Sebastian Vettel (ALE/Red Bull-Renault) 60 voltas em 1h31min12s187
2º. Nico Rosberg (ALE/Mercedes) a 29s8
3º. Romain Grosjean (FRA/Lotus-Renault) a 39s8
4º. Felipe Massa (BRA/Ferrari) a 41s6
5º. Sergio Pérez (MEX/McLaren-Mercedes) a 43s8
6º. Lewis Hamilton (ING/Mercedes) a 52s4
7º. Kimi Raikkonen (FIN/Lotus-Renault) a 1min07s9
8º. Paul di Resta (ESC/Force India-Mercedes) a 1min12s8
9º. Adrian Sutil (ALE/Force India-Mercedes) a 1min14s7
10º. Daniel Ricciardo (AUS/Toro Rosso-Ferrari) a 1min16s2
11º. Fernando Alonso (ESP/Ferrari) a 1min18s2
12º. Pastor Maldonado (VEN/Williams-Renault) a 1min18s9
13º. Jean-Éric Vergne (FRA/Toro Rosso-Ferrari) a 1 volta
14º. Jenson Button (ING/McLaren-Mercedes) a 1 volta
15º. Esteban Gutiérrez (MEX/Sauber-Ferrari) a 1 volta
16º. Valtteri Bottas (FIN/Williams-Renault) a 1 volta
17º. Max Chilton (ING/Marussia-Cosworth) a 2 voltas
18º. Jules Bianchi (FRA/Marussia-Cosworth) a 2 voltas
Abandonaram:
Nico Hulkenberg (ALE/Sauber-Ferrari) na volta 55
Mark Webber (AUS/Red Bull-Renault) na volta 40
Charles Pic (FRA/Caterham-Renault) na volta 36
Giedo van der Garde (HOL/Caterham-Renault) na volta 1
Melhor Volta Kimi Raikkonen (Lotus/Renault) 1:27.679 (60)

Final igual, mas a história foi diferente

Salve galera! Tivemos aquela que pode ter sido a melhor corrida de 2013. Disputas em todos os pelotões e ultrapassagens não faltaram. Mas o final acabou dentro das previsões, mas não que tenha sido exatamente do jeito que foi nas últimas corridas.

Podem falar o que quiserem, mas ele é o cara!

Para quem não assistiu a corrida e ler que Sebastian Vettel ganhou, vai achar que foi mais uma procissão, mas este cidadão estará redondamente enganado. Vettel venceu mostrando bastante do que sabe.

Na largada, os dois carros rubrotaurinos ficaram um pouco (Webber por “causas naturais” e Vettel que fumava antes da largada). Romain Grosjean pulou na frente e para complicar ainda mais, o alemão tocou em Lewis Hamilton, que também tentava a ultrapassagem. O problema afetou a suspensão da Mercedes e o inglês teve de sair da corrida.

A disputa parecia reservada entre o francês e o australiano, mas como Webber optou por parar três vezes, o duelo ficou com a Lotus e a primeira Red Bull. Aí Vettel provou sua diferença: Trocou os pneus no momento certo e conseguiu fazer a ultrapassagem sobre o Groselha na primeira chance que teve. Webber também passou, mas levou sete voltas a mais para cumprir o objetivo. A peça entre o volante e o banco ainda faz uma enorme diferença nessa questão.

Agora o alemão tem 90 pontos de frente em relação a Fernando Alonso (que fez mais uma corrida com talento e arrojo com grandes ultrapassagens e chegou em quarto). Basta um modesto quinto lugar para sacramentar matematicamente o tetracampeonato.  Com a condição de ambos, tudo indica que a corrida na Índia será um mero protocolo.

Sobre a corrida de Suzuka, há de se destacar que o Groselha deu um banho neste fim de semana em seu companheiro de equipe. Kimi Raikkonen teve uma corrida discreta, mesmo com algumas ultrapassagens e o finlandês não foi além do quinto posto. Não tem sido um grande final de campeonato para o futuro ferrarista.

Quem vem em ascensão nesse momento é a Sauber. Embora Nico Hulkenberg ficou com dificuldades no finalzinho, a equipe suíça conseguiu um sexto e um sétimo, somando pontos importantes nos construtores. E para completar a festa de aniversário do patriarca da equipe, o tio Peter, Esteban Gutierrez somou seus primeiros pontos na F1, com uma atuação segura, segurando os ataques de Nico Rosberg no final Um grande trabalho e excelente resultado.

Já a montadora da Estugarda teve um fim de semana para esquecer. Além do revés com Hamilton, a Mercedes ainda teve que engolir um drive-through para Rosberg depois de uma saída de pit-stop em que quase bateu na McLaren de Sergio Perez. Foi mais um desempenho aquém das expectativas.

Além de Rosberg, mais gente foi punida. Um deles foi Felipe massa, que excedeu a velocidade nos boxes. Além disso, o brasileiro apareceu mais na transmissão levando ultrapassagens dos rivais e ficando para trás, como a ultrapassagem de Jenson Button na última volta. Somou um ponto, mas sabe que está atrás de Hulkenberg no aspecto técnico na briga pela vaga no grid em 2014.

Além destes, Daniel Ricciardo também tomou punição por passar fora da pista numa ultrapassagem. O australiano vem fazendo algumas algazarras após assumir a vaga na equipe principal dos energéticos. Assim não vai dar certo.

Van der Garde em dia de Senna? [que a treta começe]

Finalmente também destacamos as Williams, que se digladiaram pela 16ª posição, mostrando mais uma vez a falta de desempenho do seu carro. E também as nanicas com a batida entre Giedo van der Garde e Jules Bianchi após a largada, marcando o péssimo fim de semana do piloto francês, que já tinha punição e outras coisas mais.

Bom, é isso. A etapa seguinte é em Buddh, na Índia, daqui há duas semanas, onde a formalização de mais um caneco para o jovem de Heppenheim deve ser concluída. Vettel é tetra e ponto! Abraço!

1º. Sebastian Vettel (ALE/Red Bull-Renault) 53 voltas em 1h26min49s301
2º. Mark Webber (AUS/Red Bull-Renault) a 7s1
3º. Romain Grosjean (FRA/Lotus-Renault) a 9s9
4º. Fernando Alonso (ESP/Ferrari) a 45s6
5º. Kimi Raikkonen (FIN/Lotus-Renault) a 47s3
6º. Nico Hulkenberg (ALE/Sauber-Ferrari) a 51s6
7º. Esteban Gutiérrez (MEX/Sauber-Ferrari) a 1min11s6
8º. Nico Rosberg (ALE/Mercedes) a 1min12s0
9º. Jenson Button (ING/McLaren-Mercedes) a 1min20s8
10º. Felipe Massa (BRA/Ferrari) a 1min29s2
11º. Paul di Resta (ESC/Force India-Mercedes) a 1min38s5
12º. Jean-Éric Vergne (FRA/Toro Rosso-Ferrari) a 1 volta
13º. Daniel Ricciardo (AUS/Toro Rosso-Ferrari) a 1 volta
14º. Adrian Sutil (ALE/Force India-Mercedes) a 1 volta
15º. Sergio Pérez (MEX/McLaren-Mercedes) a 1 volta
16º. Pastor Maldonado (VEN/Williams-Renault) a 1 volta
17º. Valtteri Bottas (FIN/Williams-Renault) a 1 volta
18º. Charles Pic (FRA/Caterham-Renault) a 1 volta
19º. Max Chilton (ING/Marussia-Cosworth) a 1 volta
Abandonaram:
Lewis Hamilton (ING/Mercedes) na volta 7
Giedo van der Garde (HOL/Caterham-Renault) na volta 1
Jules Bianchi (FRA/Marussia-Cosworth) na volta 1

Melhor volta: Mark Webber (AUS/Red Bull-Renault), 1min34s587

Façam outra coisa da vida!

Salve galera! Quem aqui perdeu tempo assistindo o GP de Cingapura. A corrida foi um porre na maior parte do tempo. Não aconteceu absolutamente nada digno de nota na corrida desde a largada até as dez voltas finais, exceto a batida de Daniel Ricciardo que trouxe um safety-car na metade da prova. Foi um grande prêmio tenebroso.

Mais uma para a coleção!

O vencedor era a barbada de sempre: Sebastian Vettel sumiu da vista e só viu alguém no retrovisor durante as voltas em bandeira amarela. Foi uma vitória impiedosa. Agora o alemão tem 60 pontos de vantagem para o segundo colocado e pode se dar ao luxo de chegar em terceiro lugar todas as corridas para chegar ao tetracampeonato, até porque dificilmente ele chegará daí para baixo nas demais corridas.

Fernando Alonso é o cara mais próximo. Fez mais uma grande largada e não fez a última parada para conseguir ser o primeiro dos últimos. Sabe que não é o que queria, mas faz o que pode e o que sabe, mesmo que não tenha como enfrentar Vettel.

Kimi Raikkonen, seu futuro companheiro, voltou a ter uma grande atuação. Também economizou uma parada e superou as dores na costa, chegando ao pódio depois de duas corridas sem pontuar e com as dores nas costas que ameaçaram sua participação. Já foi o recado para avisar que não vem a passeio na Estaberria de Maranello.

A Mercedes voltou a sua situação de sempre: começou na frente, mas não conseguiu nada grandioso no fim das contas. Nico Rosberg e Lewis Hamilton ficaram fora do pódio e sabem que dificilmente poderão brigar por vitórias no futuro.

Logo atrás, um Felipe Massa burocrático, mas que fez o dever de casa, mesmo com a Ferrari teimando em arruinar sua corrida fazendo paradas e soltando-o no meio do pelotão (o mesmo aconteceu com Alonso, para provar a incompetência dos estrategistas italianos). Ainda assim, foi um resultado razoável.

Na sequência, vieram as duas McLaren se arrastando com pneus muito gastos no final. Foram os carros de Woking que permitiram as melhores brigas nas voltas finais, graças a estratégia arriscada e com todo mundo fazendo as ultrapassagens. Pelo menos para alguma coisa o MP4/27 presta.

Em nono, o herói saubista Nico Hulkenberg! Depois de garfado com uma recomendação ridícula da FIA sobre uma ultrapassagem em cima de Sergio Perez, o alemão partiu para a mesma tática da McLaren e sofreu as mesmas ultrapassagens, mas salvou dois pontinhos para a equipe austríaca, segurando a pressão de Adrian Sutil, o último pontuável.

Tirando onda de Ferrari.

Webber colaborando para o dia mundial sem carro

A corrida não esteve boa para os australianos rubrotaurinos. Além da batida de Ricciardo, Mark Webber também não terminou com o câmbio em frangalhos, provocando um princípio de incêndio no seu carro. Para voltar aos boxes, só com o favor pago por Fernando Alonso dois anos antes, voltando de carona. Se é ilegal? Pode ser, mas dane-se!

Romain Grosjean sonhava com uma boa corrida e andava no meio do pelotão, mas um problema de motor acabou com suas chances. Paul di Resta seria outro a somar bons pontos, com uma ótima corrida, segurando Alonso em alguns momentos e andando na frente de Massa, mas errou e bateu a cinco voltas do fim, complicando as chances da Force india.

Bom, é isso. Daqui a duas semanas, a Fórmula 1 faz a jornada da madrugada começando na Coreia do Sul, onde tudo indica que a Red Bull fará a festa. basta agora apostar quando que a conquista será sacramentada: eu aposto na Índia. Abraço!

Pos. Piloto (Nac./Equipe) Tempo
1º. Sebastian Vettel (ALE/Red Bull-Renault) 61 voltas
2º. Fernando Alonso (ESP/Ferrari) a 32s6
3º. Kimi Raikkonen (FIN/Lotus-Renault) a 43s9
4º. Nico Rosberg (ALE/Mercedes) a 51s1
5º. Lewis Hamilton (ING/Mercedes) a 53s1
6º. Felipe Massa (BRA/Ferrari) a 1min03s8
7º. Jenson Button (ING/McLaren-Mercedes) a 1min23s3
8º. Sergio Pérez (MEX/McLaren-Mercedes) a 1min23s8
9º. Nico Hulkenberg (ALE/Sauber-Ferrari) a 1min24s2
10º. Adrian Sutil (ALE/Force India-Mercedes) a 1min24s6
11º. Pastor Maldonado (VEN/Williams-Renault) a 1min28s4
12º. Esteban Gutiérrez (MEX/Sauber-Ferrari) a 1min37s8
13º. Valtteri Bottas (FIN/Williams-Renault) a 1min44s0
14º. Jean-Éric Vergne (FRA/Toro Rosso-Ferrari) a 1min52s3
15º. Mark Webber (AUS/Red Bull-Renault) a 1 volta/cãmbio
16º. Giedo van der Garde (HOL/Caterham-Renault) a 1 volta
17º. Max Chilton (ING/Marussia-Cosworth) a 1 volta
18º. Jules Bianchi (FRA/Marussia-Cosworth) a 1 volta
19º. Charles Pic (FRA/Caterham-Renault) a 1 volta
Abandonaram:
Paul di Resta (ESC/Force India-Mercedes) na volta 54/acidente
Romain Grosjean (FRA/Lotus-Renault) na volta 37/motor
Daniel Ricciardo (AUS/Toro Rosso-Ferrari) na volta 23/acidente
%d blogueiros gostam disto: