Arquivos do Blog

Poder de vidência – resultados

Salve galera! Aqui vamos com os resultados dos palpites dados por vocês nesta semana. Aí vai!

bc

 

Qual piloto será o campeão de 2015?

Lewis Hamilton 68%  
Nico Rosberg 28%  
Sebastian Vettel 5%  
Daniel Ricciardo 0%

Por enquanto, toda a confiança em cima de Lewis Hamilton para conquistar o tricampeonato. Bom, se não for ele, será Nico Rosberg. Isso é o que aparenta ser.

Qual equipe será a campeã em 2015?

Mercedes 95%  
Williams 3%  
Outros* 3%  
Red Bull 0%

Outros – Ferrari

Também outra barbada. Sem muita chance de zebra.

Qual será o desempenho de Felipe Massa?

Pode vencer uma ou outra corrida, mas não brigará por título 54%  
Pode chegar ao pódio de vez em quando e terminará na frente do Bottas 26%  
Vai acabar andando atrás do Bottas o ano inteiro 13%  
Vencerá corridas e brigará pelo título 8%

Há um otimismo na medida do possível, mas é sempre bom manter a expectativa lá embaixo, para não se decepcionar.

Felipe Nasr chegará aos pontos?

Sim 89%  
Não 11%

Até dava para ser otimista com o Senna ao contrário (thanx Fernanda Gentil), mas todo o problema do caso Van der Garde pode jogar por terra essa esperança.

Qual será o desempenho da McLaren com motores Honda?

A McLaren vai penar no começo, mas vai terminar forte 62%  
A McLaren vai andar o tempo todo do meio pro fim do pelotão 38%  
A McLaren vai reagir bem e brigar lá em cima daqui a poucas corridas 0%

Será um caminho árduo para a turma de Woking, sem contar essa situação estranha com Fernando Alonso. Mas há uma esperança em seus torcedores ao longo dos anos.

Quem será o novato do ano?

Max Verstappen 50%  
Felipe Nasr 45%  
Carlos Sainz Jr. 5%

O filho de Jos chama muito a atenção pela precocidade e parece que tem bala na agulha. Será que a Red Bull acertou em achar um novo Vettel? O tempo dirá, mas é bom não se afobar quanto a isso.

P.S. Também tem o espanhol Roberto Mehri que debutará no grid pela Manor, mas acho que ninguém iria votar nele mesmo…

O que será da Manor (ex-Marussia)?

Vai conseguir largar sempre, mas sempre andará em último 42%  
Vai largar algumas vezes mas andará sempre em último 31%  
Não chega até o fim do ano 19%  
Vai conseguir outro milagre e pontuar! 8%  
Vai ficar acima do limite de 107% todas as vezes 0%

Não há muito de se esperar de uma equipe que entrou na bacia das almas. O bom é ver uma equipe de menor expressão no grid.

Bom, é isso. Daqui a pouco os motores voltam a roncar (?!) e voltamos a ativa. Até mais!

Poder de vidência

Olá gente! Com a volta deste blog, recoloco um quadro até tradicional desde os tempos de Fórmula UK. Vamos fazer as previsões para 2015 imaginando o que dá para acontecer nesta temporada. Encerrarei as votações antes do primeiro treino em Melbourne, nesta quinta-feira.

bc

Bom, mãos a obra!

P.S. Se tiverem alguma dúvida sobre isso, ouçam esses palpites furados dos meus colegas do Podcast F1 Brasil.

Abraço!

Deixa na conta da borracha

Ele sorriu sim, mas desta vez foi porque era champanhe mesmo!

Fala pessoal! Acabou a instantes a primeira etapa do mundial de Fórmula 1 e o campeonato de 2013 começou com algumas surpresas, muitas delas na conta do pneu Pirelli. Não que a corrida tenha sido inesquecível, muito pelo contrário, foi monótona em muitos momentos e não teve um acidente e nenhum safety-car, coisas rotineiras em Melbourne, mas o GP da Austrália valeu a pena.

A vitória ficou em ótimas mãos. Kimi Raikkonen esteve com a melhor condição de pneus, fruto de uma vantagem do seu carro e do seu estilo de pilotagem e conseguiu uma vitória surpreendente. Festejou ao seu estilo: Comemoração tímida e um gole na champanhe (essa com álcool) e volta a liderar um campeonato pela primeira vez desde 2008. Um começo bem animador.

Bem da verdade, a Lotus não parece ter o carro mais rápido, mas encontrou o melhor ritmo de controle nos pneus e isso foi essencial para a estratégia funcionar, aliado ao estilo de guiar do finlandês. Neste quesito, algumas equipes não conseguiram manter a qualidade, outras melhoraram.

A Ferrari está num nível interessante e conseguiu um resultado excelente para o campeonato. O segundo lugar de Fernando Alonso é excepcional para o projeto do título. Chegar a frente de Sebastian Vettel foi a grande conquista da Estaberria de Maranello, que acertou na hora do segundo pit-stop, até por iniciativa própria do espanhol. Como a Red Bull não conseguiu um bom ritmo com a borracha, o alemão não ameaçou ao ferrarista e ficou apenas em terceiro. Um alívio para quem temia uma lavada da turma dos energéticos na temporada e sinal que há trabalho pela frente.

Em quarto, ficou Felipe Massa. O brasileiro foi ousado em alguns momentos, mas demorou duas voltas a mais que Alonso na segunda parada. A tática ferrarista custou o lugar do brasileiro no pódio. Muitos torcedores reclamaram de favorecimento ferrarista a Alonso, mas talvez tenha sido mais um erro do que uma manobra. Reclamações um pouco exageradas. No entanto, o resultado é um dos melhores em relação ao retrospecto dele, que historicamente é ruim na Austrália, apesar de tudo, não dá para sair chateado de Melbourne.

Lewis Hamilton estreou pela Mercedes e tentou a mesma estratégia de Kimi, no entanto, o carro prateado continua com seus problemas crônicos de consumo de pneus e o inglês não pôde fazer mais que o quinto posto, com direito a uma super fritada numa disputa com Alonso. Diante do abandono de Nico Rosberg, o saldo não é dos melhores da escuderia germânica, mas já tem um trabalho sendo desenvolvido.

Logo a seguir veio Mark Webber, que mais uma vez decepcionou os fãs na sua terra natal. Com mais uma largada bizarra e com uma atuação discretíssima, o sexto lugar foi mais uma decepção gigantesca na carreira. Mais um sinal de outro ano apagado para o australiano?

Em sétimo, o nome da corrida: Adrian Sutil voltou à Fórmula 1 causando. O alemão partiu com os compostos médios e liderou a corrida por um tempo. Uma pena que no final os super-macios viraram farofa e seu desempenho caiu vertiginosamente, mas foi muito bem na defesa de posições (especialmente com Vettel e Massa) e terminou exatamente à frente de Paul di Resta, seu companheiro de equipe, que nunca esteve nas cabeças. Olho no bad-boy da Force India.

Fechando a zona de pontuação, a turma da decepção: A McLaren definitivamente errou a mão no MP4-28, tanto que o máximo que Jenson Button conseguiu foi um suado nono lugar, Sergio Perez quase pontuou, mas não conseguiu superar Romain Grosjean (que foi bem discreto e diante do fato de seu companheiro ser o vencedor, é sinal que não foi uma grande corrida) . Claro que há muita coisa pela frente, mas o pessoal de Woking tem que trabalhar muito para ter um carro decente ao longo do ano.

No mais, decepção na Sauber, já que Nico Hulkenberg não largou, com problemas na bomba, e com uma atuação apagada de Esteban Gutierrez, e super decepção na Williams, que viu Pastor Maldonado atolado na grama e Valteri Bottas se debatendo com um carro ruim, sinal de outra temporada negra em Grove. Na turma das nanicas, Jules Bianchi sobrou e mostra que é o melhor da patota, enquanto os demais mais apareceram atrapalhando os líderes.

Bom, é isso, semana que vem outro plantão da madrugada, em Kuala Lumpur, na Malásia. Veremos uma corrida mais emocionante? Será que a imprevisibilidade continua. Será que o tempo ajuda ou atrapalha? Tudo isso a gente escreve aqui. Abraço!

1 – Kimi Raikkonen (FIN/Lotus-Renault) 1h30m03s225
2 – Fernando Alonso (ESP/Ferrari) – a 12s451
3 – Sebastian Vettel (ALE/Red Bull-Renault) – a 22s346
4 – Felipe Massa (BRA/ Ferrari) – a 33s577
5 – Lewis Hamilton (ING/Mercedes) – a 45s561
6 – Mark Webber (AUS/Red Bull-Renault) – a 46s800
7 – Adrian Sutil (ALE/Force India-Mercedes) – a 1m05s068
8 – Paul di Resta (ESC/Force India-Mercedes) – a 1m08s449
9 – Jenson Button (ING/McLaren-Mercedes) – a 1m21s630
10 – Romain Grosjean (FRA/Lotus-Renault) – a 1m22s759
11- Sergio Pérez (MEX/McLaren-Mercedes) – a 1m23s367
12 – Jean-Eric Vergne (FRA/Toro Rosso-Ferrari) – a 1m23s857
13 – Esteban Gutiérrez (MEX/Sauber-Ferrari) – a 1 volta
14 – Valtteri Bottas (FIN/Williams-Renault) – a 1 volta
15 – Jules Bianchi (FRA/Marussia-Cosworth) – a 1 volta
16 – Chalres Pic (FRA/Caterham-Renault) – a 2 voltas
17 – Max Chilton (ING/Marussia-Cosworth) – a 2 voltas
18 – Giedo van der Garde (HOL/Caterham-Renault) – a 2 voltas

Não completaram:
Daniel Ricciardo (ASU/Toro Rosso-Ferrari) – volta 40
Nico Rosberg (ALE/Mercedes)  – volta 26
Pastor Maldonado (VEN/Williams-Renault) – volta 25
Nico Hulkenberg (ALE/Sauber-Ferrari)  – não largou

Melhor volta: Kimi Raikkonen (Lotus-Renault) 1:29.274 (56)

O que dá para esperar?

Todos os carros e capacetes do grid

Todos os carros e capacetes do grid

Salve galera! agora estamos na contagem regressiva para o retorno do campeonato mundial de Fórmula 1 e a ansiedade só aumenta. Os testes já foram concluídos, a fase de silly season ficou para trás e os testes já foram feitos, mas afinal, dá para saber o que realmente irá acontecer? A resposta é a mesma de sempre: é difícil apontar apenas nos resultados, mas vamos lá ver o que vai acontecer.

Na turma da ponta, parece que a situação mudará muito pouco em relação ao ano passado. O equilíbrio ainda será o carro chefe desta temporada, mas tem equipes que podem sair dominando ou que podem ficar para trás. O bloco intermediário segue uma completa incógnita e a turma do fundão pode ter algumas surpresas. Bom, este escriba vai lançar algumas predições, com boas possibilidades de quebrar a cara, de qualquer forma, direi sobre o que penso. Confira:

Red Bull: A turma dos energéticos fez a mesma coisa de outros campeonatos. Não apareceu demasiadamente nos testes, uma vez ou outra andava bem, mas focou na durabilidade e nas simulações de corrida. No entanto, não há dúvidas que ainda é a equipe a ser batida. Se terá o melhor carro na Austrália, isso não se sabe, mas com o mago Adrian Newey no comando, o caminho para o tetracampeonato de Sebastian Vettel está traçado, mas não será a lavada de 2011.

Ferrari: Uma coisa que parece certa é que a o F138 é melhor do que o seu antecessor. A fase mais crítica da Estaberria de Maranello foi justamente no começo do ano, quando o F2012 foi muito mal, mas melhorou ao longo do ano. Claro que o talento de Fernando Alonso fez e fará toda a diferença neste biênio. E até Felipe Massa parece mais motivado, e vai ser de grande serventia para o cavalinho rampante. Portanto, dá para esperar um ano bom para a equipe e pode ser que a seca de títulos, que dura cinco anos, pode acabar logo.

McLaren: Até agora, uma completa incógnita. Apareceu bem em Jerez, mas teve muitos problemas em Barcelona e tanto Jenson Button, como Sergio Perez demonstraram preocupação com o carro prateado. Ao contrário dos últimos anos, onde a equipe de Woking mostrou força em alguns momentos, parece que 2013 não será um ano dos melhores . Mas e se for um blefe?

Lotus: A equipe parece que manteve a linha evolutiva e está mais próxima da ponta em relação ao ano passado. A escuderia descolada teve bons tempos nos testes, mas pecou um pouco na confiabilidade. Mesmo assim, parece que Kimi Raikkonen pode brigar pelas vitórias que exigiu da equipe e até Romain Grosjean pode sonhar com a primeira vitória, caso bote a cabeça no lugar.

Mercedes: Foi a grande vedete dos testes, tanto para o bem, quanto para o mal. Teve um começo desastroso, com muitas quebras e problemas de quilometragem, mas andou muito bem em Barcelona, conseguindo bons resultados. Lewis Hamilton está bem animado na nova empresa e Nico Rosberg quer mostrar que não deixou o velho Michael Schumacher comer poeira só pelos problemas do heptacampeão. O carro parece ser rápido, mas pode ser aquele velho fogo de palha, que foi tão comum nos testes passados. A conferir.

Sauber: A equipe mudou muita coisa, mas o esquema deve ser o mesmo dos outros anos. Andou no meio do pelotão e por lá deve ficar. Brigará pelo sexto lugar no mundial, como nos anos anteriores. Tem Nico Hulkenberg, que terminou 2012 em alta e o novato Esteban Gutierrez. Se mantiver a pegada, pode ser uma nova surpresa, como no ano passado.

Force India: Apareceu mais pela definição do companheiro de Paul di Resta, mas parece ter um carro legal nas mãos. Por ter uma dupla que conhece o know-how da equipe, o time do Ganges até fez bons treinos e é um forte concorrente no pelotão intermediário. Adrian Sutil parece que não sentiu o ano sabático e pode surpreender.

Williams: A escuderia de Grove é outra que não mostrou muita coisa nos testes, mas também não tinha tanto o que mostrar. Deve manter a mesma pegada de 2012. Andará no pelotão intermediário, mas pode vez ou outra surpreender, terá um Pastor Maldonado pressionado, que precisa manter a rapidez e evitar os excessos, além de estar preocupado pela sua fonte de recursos, já que seu credor não está mais neste plano e dependendo das eleições na Venezuela, a coisa pode complicar. O novato Valteri Bottas parece ser promissor, mas ainda é uma incógnita este ano. Mas pode surpreender e guiar aquilo que Bruno Senna não conseguiu ano passado.

Toro Rosso: O seu carro parece melhor que o antecessor, mas ainda nada está garantido para o time 1B dos energéticos. Tanto Daniel Ricciardo como Jean-Eric Vergne tem talvez a última chance de vingar no programa da Red Bull, até se pensam em assumir a vaga de Mark Webber no futuro, mas sabem que há gente à espreita nas categorias menores, como o português Antonio Felix da Costa. Se conseguir andar bem e evitar desclassificações no Q1, pode ser que consigam, mas é agora ou nunca.

Caterham: Começando pela zona do perigo, a equipe de Tony Fernandes segue a toada do outro empreendimento esportivo do malaio, o Queens Park Rangers. Não evoluiu o que se esperava e de quebra esteve em último lugar durante várias sessões. Giedo van der Garde não parece ser o nome tão promissor, logo as fichas devem ser depositadas em Charles Pic, que parece ser um piloto mais eficiente.

Marussia: Para finalizar, temos a equipe russa, que deu nos nervos de muita gente, com a indefinição do segundo piloto, por conta de um erro contábil dos patrocinadores de Luiz Razia. Bom, vida que segue, com Jules Bianchi e Max Chilton defendendo a escuderia do Kremilin, pode ser uma temeridade apostar em dois estreantes, mas o francês tem conhecimento da F1 por ser piloto de testes há muito tempo e tem ainda o apoio da Ferrari, podendo ser respeitado na briga, já o inglês nunca se destacou em nenhuma categoria de acesso e teoricamente deve ser o mais fraco do grid. No entanto o carro rubro-negro parece ter evoluído e andou na frente da sua rival, dando esperanças de ficar com décimo lugar nos construtores. Veremos se manterão a pegada.

Bom, é isso, logo teremos os primeiros carros na pista e o fim de semana promete. Alguém a se pronunciar? Abraço!

P.S. Aqui tem um podcast mais específico, com a análise dos estreantes da temporada 2013. Aproveitem!

Portare tamburi, tifosi

Aí, vocês vão mexer no meu câmbio???

Atualizado às 19:53

(Tradução: Tragam os tambores, tifosi)

É pessoal, a situação de Fernando Alonso está cada vez mais complicada. Mesmo com Sebastian Vettel passando longe da pole, o asturiano não conseguiu acompanhar o ritmo sequer de Felipe Massa e fica numa preocupante sétima colocação. A única esperança é se a chuva cair, pois teoricamente o rendimento do espanhol pode subir. Mas tem que ver se a chuva virá com força da represa.

Outra possibilidade que vai rondando o autódromo José Carlos Pace é que a Estaberria irá romper o lacre do câmbio da Ferrari número 6 novamente. O brasileiro já salientou que é impossível. Se tratando da de quem é, não dá para duvidar de nada, mas como o Felipe está exatamente atrás de Vettel e podendo atacar o piloto da Red Bull, pode ser mais útil na ajuda ao asturiano. Veremos o que vai acontecer.

Com relação à vitória, só um problema mecânico ou um erro gigantesco pode atrapalhar a McLaren, mesmo com a chuva. Lewis Hamilton foi o mais rápido em todas as sessões e confirmou a sétima pole no ano, sendo o campeão de 2012 no fundamento, com uma a mais que o Vettel. (OK que é uma estatística que não vale absolutamente nada), mas mesmo assim a equipe de Woking é a favorita, com os dois carros na primeira fila. E com isso pode conseguir o vice-campeonato de construtores, tirando uma fatia da grana da FOM do cavalinho rampante.

Agora fazendo pequenos balanços dos coadjuvantes:

-A Lotus teve um dia duro. No treino livre, Kimi Raikkonen teve motor estourado, mas conseguiu recorrer a um motor usado para não ser punido. Na classificação, foi Romain Grosjean que aprontou mais uma. Ao tentar mergulhar em Pedro de la Rosa na entrada da Reta dos Boxes, quase provocou um baita acidente, mas o dano no bico custou a vaga no Q2. A FIA está julgando e o francês fechará o ano com mais uma barbeiragem na conta.

-Bruno Senna, bem que empolgou no Q1 com o segundo tempo (apesar de rodar na Junção), mas ficou no Q2 e largará em 11º, fechando o confronto direto no grid com Pastor Maldonado numa derrota de 18 a 2. É…

-Já o venezuelano conseguiu o sexto tempo, mas fez a burrada de não ir se pesar no final do Q2 (todo mundo tem que pesar a caranga no fim de cada sessão) e, com isso leva 10 posições de punição. Mais uma para coleção.

-Michael Schumacher fez outra classificação sem brilho e vai largar na última corrida da carreira em 13º. Veremos se a corrida terá um final mais feliz para sua passagem na Fórmula 1.

Estamos conversados? Amanhã as águas devem rolar e Alonso terá a missão de fazer o milagre para chegar ao tricampeonato antes de Vettel. Pode não acontecer nada, mas a corrida de amanhã será histórica. Portanto, boa prova para todos que vão e os que assistirão na TV. Abraço!

1 – Lewis Hamilton (ING/McLaren-Mercedes) – 1m12s458
2 – Jenson Button (ING/McLaren-Mercedes) – 1m12s513
3 – Mark Webber (AUS/Red Bull-Renault) – 1m12s581
4 – Sebastian Vettel (ALE/Red Bull-Renault) – 1m12s760
5 – Felipe Massa (BRA/Ferrari) – 1m12s987
6 – Nico Hulkenberg (ALE/Force India-Mercedes) – 1m13s206
7 – Fernando Alonso (ESP/Ferrari) – 1m13s253
8 – Kimi Raikkonen (FIN/Lotus-Renault) – 1m13s298
9 – Nico Rosberg (ALE/Mercedes) – 1m13s489

Eliminados no Q2: 
10 – Paul di Resta (ESC/Force India-Mercedes) – 1m14s121
11 – Bruno Senna (BRA/Williams-Renault) – 1m14s219 
12 – Sergio Perez (MEX/Sauber-Ferrari) – 1m14s234
13 – Michael Schumacher (ALE/Mercedes) – 1m14s334
14 – Kamui Kobayashi (JAP/Sauber-Ferrari) – 1m14s380
15 – Daniel Ricciardo (AUS/Toro Rosso-Ferrari) – 1m14s574
16 – Pastor Maldonado (VEN/Williams-Renault) – 1m13s174**
17 – Jean-Eric Vergne (FRA/Toro Rosso-Ferrari) – 1m14s619

Eliminados no Q1:
18 – Romain Grosjean (FRA/Lotus-Renault) – 1m16s967
19 – Vitaly Petrov (RUS/Caterham-Renault) – 1m17s073
20 – Heikki Kovalainen (FIN/Caterham-Renault) – 1m17s086
21 – Timo Glock (ALE/Marussia-Cosworth) – 1m17s508
22 – Charles Pic (FRA/Marussia-Cosworth) – 1m18s104
23 – Narain Karthikeyan (IND/HRT-Cosworth) – 1m19s576
24 – Pedro de la Rosa (ESP/HRT-Cosworth) – 1m19s699

** – perdeu 10 posições no grid

Disputas do Grid (final)*

Vettel 11 X 9 Webber
Button 3 X 17 Hamilton
Alonso 17 X 3 Massa
Schumacher 9 X 11 Rosberg
Raikkonen 9 X 10 Grosjean
Raikkonen 1 X 0 D’Ambrosio
Di Resta 8 X 12 Hulkenberg
Kobayashi 9 X 11 Perez
Ricciardo 16 X 4 Vergne
Maldonado 18 X 2 Senna
Kovaleinen 14 X 6 Petrov
De la Rosa 16 X 3 Karthikeyan
Glock 13 X 7 Pic

*Considerando treino de classificação.

%d blogueiros gostam disto: