Arquivos do Blog

Deu a lógica… bem, mais ou menos

Uma corrida realmente quente!

O GP da Alemanha foi uma das melhores do ano, sem dúvida, marcada com muita coisa bizarra na pista e nos boxes, mas terminou de um modo comum, com mais uma vitória de Sebastian Vettel. Bom, não chega a ser tão comum, pois foi a primeira vez que o jovem alemão venceu a sua corrida caseira, quebrando um tabu incômodo ao jovem alemão. De quebra o caminho para o título volta a ficar mais tranquilo.

Mas a sua corrida não foi tão fácil. Na largada, deixou Lewis Hamilton para trás, mesmo sendo espremido e com o britânico ficando para trás, parecia que o passeio era seguro, mas a Lotus veio com força e incomodou, mas não a ponto de ameaçar a liderança rubrotaurina.

E FFFFFFFFFFFettel finalmente fez a alegria da galera!

Antes foi Romain Grosjean, que demorou para fazer sua parada no primeiro jogo de pneus e fez uma corrida marcando Vettel, até que a equipe resolveu usá-lo como “boi de piranha” para ajudar Kimi Raikkonen. O francês quis dar um caô, falando que não estava escutando o rádio, mas cedeu a posição ao finlandês, que tentou chegar em Vettel, mas não conseguiu.

Fernando Alonso veio atrás, apostando numa estratégia que não vingou com a primeira parada , mas que teve a grande chance com o Safety Car. Veio forte no final mas não pegou o pódio. E ainda teve que parar o carro pela falta de combustível e pode ser punido. O fato é que a coisa segue complicada em relação ao campeonato. Como consolo, foi o fato de conseguir a primeira melhor volta da corrida da Ferrari após mais de dois anos sem conseguir isso.

E a Mercedes? Essa voltou a ser uma leoa de treino. O britânico fez uma largada fraca e ao longo da corrida foi levando ultrapassagem atrás de ultrapassagem. Deu uma melhorada no final, mas acabou em quinto. Nico Rosberg também sofreu lá atrás e só melhorou no fim, conseguindo dois pontinhos. Muito pouco para a Ross Racing.

A McLaren deu uma reagida em Nurburgring. Tanto Jenson Button como Sergio Perez conseguiram conservar os pneus e chegaram aos pontos com o sexto e o oitavo lugar respectivamente. Diante dos problemas com a evolução do carro, o resultado acaba sendo interessante.

Em sétimo veio Mark Webber, que mais uma vez teve que remar para recuperar o tempo perdido, mas desta vez por falha da equipe, que fez uma bobagem monumental nos boxes e soltou o australiano com a roda solta. E para piorar o pneu nocauteou um câmera da FOM. O cinegrafista sofreu uma fratura no ombro e nas costelas, mas felizmente não há riscos de morte.

Já para Webber, a corrida virou uma luta, se aproveitou da regra de “Lucky Dog” da Fórmula 1 e conseguiu recuperar a volta, partindo para uma grande reação. Chegou em sétimo e escapou de ser punido, já que a Red Bull recebeu uma multa de 30 mil euros pela besteira. Mesmo assim é mais uma para a síndrome de 1B.

O último pontuável foi Nico Hulkenberg, em grande exibição. Andou sempre na zona de pontuação, mas a Sauber errou na estratégia e quase ficou fora dos pontos, mas conseguiu avançar e chegou no top 10. Nada mal para quem não tem recebido salário há dois meses.

Falando em pindaíba, a Williams esteve perto de pontuar, mas uma maldita pistola pneumática arruinou totalmente as chances de Pastor Maldonado e de Valteri Bottas. Uma pena, pois eles sempre andaram dentro dos pontos, mas não foi dessa vez.

Felipe mais uma vez saindo do trilho. mas parece que a culpa não foi dele e ele admitiu que errou.

A corrida ficou marcada por mais dois feitos bizarros. O primeiro afetou Felipe Massa, que largou bem e tinha boas chances de chegar bem, mas na terceira volta o carro deu uma guinada no final da reta dos boxes e o brasileiro não conseguiu voltar à pista e ficou por lá. A Ferrari ainda não se pronunciou, mas isso não significa que foi um erro do Felipe. Acho que seria muito difícil o Massa rodar daquele jeito por erro. Atualização: O Massa admitiu que errou mesmo. Como disse antes, parece ser a síndrome de 1B.

O outro fato estranho ocorreu depois que o francês Jules Bianchi viu sua Marussia quebrar o motor. O carro parou na grama, mas de repente ele começou a descer a ladeira desgovernado, causando a única entrada do carro de segurança. O mais incrível foi o desespero dos fiscais e a entrada do trator no meio da pista para resgatar o bólido. Eu imaginei essa música na hora:

Bom, é isso. Mais uma pausa de três semanas até a corrida da Hungria, onde o circuito travado de Hungaroring nunca permite grandes emoções, a não ser quando os pneus ajudam. Abraço!

Pos. Piloto (Nac./Equipe) Tempo
1º. Sebastian Vettel (ALE/Red Bull-Renault) 60 voltas em 1h41min14s711
2º. Kimi Raikkonen (FIN/Lotus-Renault) a 1s0
3º. Romain Grosjean (FRA/Lotus-Renault) a 5s8
4º. Fernando Alonso (ESP/Ferrari) a 7s7
5º. Lewis Hamilton (ING/Mercedes) a 26s9
6º. Jenson Button (ING/McLaren-Mercedes) a 27s9
7º. Mark Webber (AUS/Red Bull-Renault) a 37s5
8º. Sergio Pérez (MEX/McLaren-Mercedes) a 38s3
9º. Nico Rosberg (ALE/Mercedes) a 46s8
10º. Nico Hulkenberg (ALE/Sauber-Ferrari) a 49s8
11º. Paul di Resta (ESC/Force India-Mercedes) a 53s7
12º. Daniel Ricciardo (AUS/Toro Rosso-Ferrari) a 56s9
13º. Adrian Sutil (ALE/Force India-Mercedes) a 57s7
14º. Esteban Gutiérrez (MEX/Sauber-Ferrari) a 1min00s1
15º. Pastor Maldonado (VEN/Williams-Renault) a 1min01s9
16º. Valtteri Bottas (FIN/Williams-Renault) a 1 volta
17º. Charles Pic (FRA/Caterham-Renault) a 1 volta
18º. Giedo van der Garde (HOL/Caterham-Renault) a 1 volta
19º. Max Chilton (ING/Marussia-Cosworth) a 1 volta
Abandonaram:
Jean-Éric Vergne (FRA/Toro Rosso-Ferrari)
Jules Bianchi (FRA/Marussia-Cosworth)
Felipe Massa (BRA/Ferrari)
Melhor Volta Fernando Alonso (ESP/Ferrari) 1:33.468 (51)
Anúncios

Sem violência, sem boicote e sem festa caseira

Fala pessoal! A Fórmula 1 chega à Alemanha com pneus novinhos com a cinta de kevlar e pronta para evitar a carnificina da corrida de semana passada. A GPDA anunciou que se a patifaria acontecer, todo mundo para como em Indianápolis 2005, mas parece que dessa vez, tudo rolará em ordem. E por enquanto com algumas mudanças no grid.

Se der a lógica, a vitória está entre esses três

Pelo menos não foi isso na frente. Lewis Hamilton voou no Q3 mais uma vez e deu para a escuderia da Estugarda mais uma pole position. O inglês igualou a marca de 29 posições de honra, a mesma de Juan Manuel Fangio. A alegria prateada não foi completa por causa da bobagem no Q2 que custou a vaga para Nico Rosberg. Cabe ao Rosbife tentar remar até os pontos, mas as chances de uma vitória caseira foram para o ralo.

Quem pode quebrar o tabu é Sebastian Vettel. O tricampeão mundial ainda não sabe o que é vencer diante de seus conterrâneos e quer acabar com a sina. Viu a pole escapar, mas é o favorito natural dessa corrida. Mas ainda terá a concorrência de Mark Webber, disposto a mostrar serviço para os novos patrões da Porsche e quer voltar a vencer em Nurburgring.

Na sequência, estão as duas Lotus, com Kimi Raikkonen à frente de Romain Grosjean. Para a corrida, a dupla está bem colocada pela estratégia qe planejam, já que não têm o mesmo ritmo dos ponteiros. É uma equipe a se olhar bem. Quem merece  destaque também é Daniel Ricciardo, partindo de sexto, mostrando o serviço para sonhar com a promoção na turma dos energéticos.

Felipe foi uma das estrelas do treino

Só na quarta fila é que aparece a Estaberria de Maranello. E para surpresa de muitos, Felipe Massa colocou-se à frente de Fernando Alonso. Em todos os treinos o brasileiro esteve rápido (muito por precisar do pneu macio para alcançar a fase seguinte da classificação), mas a posição ainda lhe é interessante para a briga por uma boa posição.

Fecharam o top ten dois pilotos que não fizeram tempo no Q3, mas que têm motivos para ficarem satisfeitos. Jenson Button salvou a McLaren de mais um fiasco (Sergio Perez quase rodou no Q1 e parte só de 14º) e larga em nono, com boas chances de pontuar. Ao seu lado, Nico Hulkenberg superou os salários atrasados e a sua ex-equipe, colocando a Sauber num suado décimo lugar. Que falta faz um carro bom para ele.

Incêndio incontrolável na equipe de Grove. E não falo do problema do kers

Falando em carro ruim, vamos ver a situação da Williams. A equipe de Grove, que hoje resolveu comemorar a sua corrida 600, ficou com os seus dois carros fora na primeira parte do treino. De quebra, houve um princípio de incêndio no kers do carro de Pastor Maldonado antes da classificação. Definitivamente a tradicional escuderia do tio Frank se apequenou demais e só anda na frente das nanicas. triste demais.

Bom, é isso. Amanhã a corrida deve ser um jogo de xadrez, onde a melhor estratégia deve levar a melhor. Quem a montou melhor vencerá, quer dizer, isso se os pneus não derem o ar da graça ou se aparecer algum esperto para inventar de burlar as especificações da Pirelli. Abraço!

Pos. Piloto (Nac./Equipe) Tempo Voltas
1º. Lewis Hamilton (ING/Mercedes) 1min29s398 14
2º. Sebastian Vettel (ALE/Red Bull-Renault) 1min29s501 14
3º. Mark Webber (AUS/Red Bull-Renault) 1min29s608 14
4º. Kimi Raikkonen (FIN/Lotus-Renault) 1min29s892 15
5º. Romain Grosjean (FRA/Lotus-Renault) 1min29s959 16
6º. Daniel Ricciardo (AUS/Toro Rosso-Ferrari) 1min30s528 16
7º. Felipe Massa (BRA/Ferrari) 1min31s126 17
8º. Fernando Alonso (ESP/Ferrari) 1min31s209 15
9º. Jenson Button (ING/McLaren-Mercedes) sem tempo 16
10º. Nico Hulkenberg (ALE/Sauber-Ferrari) sem tempo 13
11º. Nico Rosberg (ALE/Mercedes) 1min30s326 10
12º. Paul di Resta (ESC/Force India-Mercedes) 1min30s697 18
13º. Sergio Pérez (MEX/McLaren-Mercedes) 1min30s933 16
14º. Esteban Gutiérrez (MEX/Sauber-Ferrari) 1min31s010 17
15º. Adrian Sutil (ALE/Force India-Mercedes) 1min31s010 15
16º. Jean-Éric Vergne (FRA/Toro Rosso-Ferrari) 1min31s104 12
17º. Valtteri Bottas (FIN/Williams-Renault) 1min31s693 8
18º. Pastor Maldonado (VEN/Williams-Renault) 1min31s707 6
19º. Charles Pic (FRA/Caterham-Renault) 1min32s937 8
20º. Jules Bianchi (FRA/Marussia-Cosworth) 1min33s063 9
21º. Giedo van der Garde (HOL/Caterham-Renault) 1min33s734 8
22º. Max Chilton (ING/Marussia-Cosworth) 1min34s098 9

Um grande retorno ao batente

Na malhor que voltar de férias vendo a Água Vermelha…

A volta das férias saiu melhor que a encomenda. a classificação para o Grande Prêmio da Bélgica ficou bem embaralhada e a largada, assim como a corrida inteira deve ser bem tensa. O grid tem muitas novidades para começar na pole. Essa foi a primeira de Jenson Button pela McLaren, quebrando um tabu de mais de sessenta corridas, quando ainda corria na Brawn GP.

E Button fez em grande estilo. Não deu a menor chance no Q3 e voou até a pole, nesta que é a sua corrida de número 50 na equipe de Working. O britânico tem uma boa oportunidade de se recuperar depois da temporada enfadonha que passou antes das férias.

Depois, vem a grande surpresa e grande preocupação da turma de trás. Kamui Kobayashi voltou a mitar, fazendo uma volta muito boa, alçou a primeira fila. Foi a segunda vez que um japonês chega nesta posição. Antes só Takuma Sato, no GP da Europa de 2004 tinha conseguido este feito. Se fizer tudo certinho desde a largada pode fazer história amanhã.

Atrás dele, vem Pastor Maldonado. O venezuelano não pareci que faria grande coisa, andando no bloco intermediário do Q1 e sofrendo para passar no Q2. Mas no final, também acertou a volta e faz uma boa colocação. Agora com Kobayashi e Maldonado juntos, podemos imaginar um dejà vu dessa cena?

Mas a alegria do Maldonado pode durar pouco, já que ele está sob investigação por um entrevero com Nico Hulkenberg e pode despencar no grid. Uma lástima para ele e para a Williams.

Quem está sob investigação é Kimi Raikkonen. O finlandês fez o quarto tempo, e pelo seu histórico amplamente positivo, tudo indica que seria o grande adversário de Button na briga pela vitória, mas ele teria cortado a Eau Rouge na volta rápida e pode ser punido. Veremos o que os comissários capitaneados por Eliseo Salazar, decidirão.

Com isso, quem pode herdar o terceiro lugar é Sergio Perez. Seria um sonho ver o time do tio Peter fazer um fim de semana tão bom.  Embora o mexicano tenha tomado meio segundo. A classificação está sendo auspiciosa.

O líder do campeonato, Fernando Alonso, foi o sexto. A Ferrari mostrou alguns lampejos no terceiro treino, mas na classificação esteve longe do brilho desejado. Mesmo assim a colocação é razoavelmente boa para as intenções do campeonato, especialmente quando está na frente de seus principais adversários.

Lewis Hamilton não fez uma boa classificação. Nunca apareceu com força nos treinos e vai partir em sétimo, sem demonstrar muitas esperanças. Romain Grosjean vem logo atrás, também sem brilhar e cometendo alguns erros. Também não dá para esperar um desempenho arrebatador na corrida. Fechou a superpole Paul di Resta, que conseguiu colocar o carro no Q3, apesar de apanhar de Hulkenberg durante boa parte do treino. Um resultado importante para ele.

A grande decepção foi a Red Bull. A turma dos energéticos andou para trás. Mark Webber ainda chegou ao Q3 e fez o sétimo tempo, mas trocou o câmbio pela segunda vez em 3 corridas e parte de 12º. Já Sebastian Vettel sequer chegou a terceira parte do treino e parte de décimo. Vai ser um fim de semana sofrível para os rubro-taurinos.

Os pilotos brasileiros, por sua vez, já sabem essa rotina. Felipe Massa foi novamente apático e passou longe do top ten, chegando só em 14º. Bruno Senna teve problemas com o DRS e andou muito longe do ritmo do companheiro de equipe. Ele ainda rodou numa das tentativa e foi o último no Q2, Parte em 17º, sabendo que vai ralar muito.

Quem também sofre bastante é a Mercedes. Michael Schumacher não tem muitos motivos para sorrir na festa do seu GP 300. Sem competitividade o fim de semana inteiro, as chances de festejar um bom resultado são ínfimas, partindo de 13º. Meso assim ainda tem um bom histórico na pista e até ele pode sonhar. Já Nico Rosberg vive um inferno astral. Quebrou o câmbio no FP3, perdeu cinco posições e sequer passou do Q1. Vai largar na última fila, ao lado da chincane ambulante do Narain Karthikeyan. A turma prateada está mal das pernas…

Amanhã não deve chover no decorrer da prova, mas como a região das Ardenas é sempre complicada em termos de meteorologia, não dá para descartar qualquer possibilidade, especialmente se tratando de Spa-Francorchamps. O grid embaralhado pode mudar tudo. Até lá. Abraço!

1 – Jenson Button (ING/McLaren-Mercedes) – 1m47s573
2 – Kamui Kobayashi (JAP/Sauber-Ferrari) – 1m47s871
3 – Pastor Maldonado (VEN/Williams-Renault) – 1m47s893
4 – Kimi Raikkonen (FIN/Lotus-Renault) – 1m48s205
5 – Sergio Perez (MEX/Sauber-Ferrari) – 1m48s219
6 – Fernando Alonso (ESP/Ferrari) – 1m48s313
7 – Lewis Hamilton (ING/McLaren-Mercedes) – 1m48s394
8 – Romain Grosjean (FRA/Lotus-Renault) – 1m48s538
9 – Paul di Resta (ESC/Force India-Mercedes) – 1m48s890
10 – Sebastian Vettel (ALE/RBR-Renault) – 1m49s722
11 – Nico Hulkenberg (ALE/Force India-Mercedes) – 1m49s362
12 – Mark Webber (AUS/RBR-Renault) – 1m48s392*
13 – Michael Schumacher (ALE/Mercedes) – 1m49s742
14 – Felipe Massa (BRA/Ferrari) – 1m49s588
15 – Jean-Eric Vergne (FRA/STR-Ferrari) – 1m49s763
16 – Daniel Ricciardo (AUS/STR-Ferrari) – 1m49s572
17 – Bruno Senna (BRA/Williams-Renault) – 1m49s958
18 – Heikki Kovalainen (FIN/Caterham-Renault) – 1m51s739
19 – Vitaly Petrov (RUS/Caterham-Renault) – 1m51s967
20 – Timo Glock (ALE/Marussia-Cosworth) – 1m52s336
21 – Pedro de la Rosa (ESP/HRT-Cosworth) – 1m53s030
22 – Charles Pic (FRA/Marussia-Cosworth) – 1m53s493
23 – Nico Rosberg (ALE/Mercedes) – 1m50s181*
24 – Narain Karthikeyan (IND/HRT-Cosworth) – 1m54s989

*punido em cinco posições pela troca de câmbio

GP da China de Fórmula 1 – Agora em PodCast

Rosbife matou a sede de vitória

Salve galera! Hoje estamos lançando uma novidade aqui no F1 Social Club: O primeiro podcast! A análise da corrida hoje em áudio, ainda estou apreendendo a lidar com este mundo louco da comunicação portanto não detonem muito a qualidade deste narrador de primeira viagem, ainda sim, temos a transmissão em grande estilo com uma corrida animada que teve um alegre vencedor. Hoje Nico Rosberg chegou lá. Portanto sem mais delongas, a análise da corrida!

P.S. Quem trolar a dicção ou a voz deste escriba será BANIDO do blog! Ou não? 😈

Red Bull te dá asas... mas não tanto

1 – Nico Rosberg (ALE/Mercedes) – 1h36m26s929
2 – Jenson Button (ING/McLaren-Mercedes) – a 20s626
3 – Lewis Hamilton (ING/McLaren-Mercedes) – a 26s012
4 – Mark Webber (AUS/RBR-Renault) – a 27s924
5 – Sebastian Vettel (ALE/RBR-Renault) – a 30s483
6 – Romain Grosjean (FRA/Lotus-Renault) – a 31s491
7 – Bruno Senna (BRA/Williams-Renault) – a 34s597
8 – Pastor Maldonado (VEN/Williams-Renault) – a 35s643
9 – Fernando Alonso (ESP/Ferrari) – a 37s256
10 – Kamui Kobayashi (JAP/Sauber-Ferrari) – a 38s720
11 – Sergio Perez (MEX/Sauber-Ferrari) – a 41s066
12 – Paul di Resta (ESC/Force India-Mercedes) – a 42s273
13 – Felipe Massa (BRA/Ferrari) – a 42s700
14 – Kimi Raikkonen (FIN/Lotus-Renault) – a 50s500
15 – Nico Hulkenberg (ALE/Force India-Mercedes) – a 51s200
16 – Jean-Eric Vergne (FRA/STR-Ferrari) – a 51s700
17 – Daniel Ricciardo (AUS/STR-Ferrari) – a 1min03s100
18 – Vitaly Petrov (RUS/Caterham-Renault) – a 1 volta
19 – Timo Glock (ALE/Marussia-Cosworth) – a 1 volta
20 – Charles Pic (FRA/Marussia-Cosworth) – a 1 volta
21 – Pedro de la Rosa (ESP/HRT-Cosworth) – a 1 volta
22 – Narain Karthikeyan (IND/HRT-Cosworth) –  a 2 voltas
23 – Heikki Kovalainen (FIN/Caterham-Renault) – a 3 volta

Não completou:
Michael Schumacher (ALE/Mercedes) – a 43 voltas

Volta mais rápida: Kamui Kobayashi 1:39.960 (volta 40)

Nada muito diferente

Agora vai, Luisinho?

A classificação do GP da Malásia trouxe poucas mudanças em relação ao quadro desenhado na corrida da Austrália. Logo, tudo indica que o desfecho da corrida deste domingo seja parecido com na semana passada. Ou será que não?

Lewis Hamilton provou que, em uma volta lançada, sabe o que faz. Segunda pole no ano e  o domínio nas classificações parece assegurado. Para corrida, no entanto, terá a sombra de Jenson Button, novamente o segundo colocado. prontinho para jantá-lo no primeiro deslize. E em termos de estratégia, sabemos que o campeão de 2009 é o cara, pelo controle do conjunto, especialmente dos pneus, que estão na escala mais dura na corrida malaia.

Logo após está Michael Schumacher, pela primeira vez em um top-3 desde o retorno às pistas. Em ritmo de classificação, o carro prateado rende bem. Se os pneus casarem bem durante a prova e o carro aguentar até o fim, o heptacampeão tem condições de chegar ao tão sonhado pódio que não o vê desde 2006.

A Red Bul repete o esquema da última corrida. Outra vez Mark Webber supera Sebastian Vettel no grid. Um surpreendente dois a zero, depois do ano tão dominador, mostra que o jovem bochecha ainda tem trabalho duro para se adaptar ao RB8. A corrida pode mudar as coisas, até porque o australiano tem a mania de largadas “inacreditáveis”, mas tem algo fora do normal na turma dos energéticos.

Na Lotus, Kimi Raikkonen fez um bom papel na classificação, foi o mais rápido no Q2 e fez o quinto tempo, à frente de Vettel, mas como perderá 5 posições pela troca do câmbio, partirá de décimo, três posições atrás de Romain Grosjean.

Fechando a turma do Q3, Fernando Alonso levou o carro da Ferrari para lá e fez o que pôde, mas fica na oitava posição, uma frente de Sergio Perez, que fez ótimo trabalho, mostrando que neste aspecto, está à frente de Kamui Kobayashi. o ritmo de treino do mexicano é superior ao do japonês.

Quanto aos brasileiros, novamente pouco a celebrar. Felipe Massa continua com dificuldades, mesmo com chassi novo e não conseguiu ir além do 12º, ficando entre as Williams, sempre com Pastor Maldonado à frente de Bruno Senna, desta vez o venezuelano sobrou no Q2, mas a equipe do tio Frank ainda tem chances de marcar os seus pontinhos na prova.

Bem, é isso. Veremos o andar da carruagem em Sepang neste GP, lembrando que há uma boa possibilidade de chuva, o que pode mexer bem com esta corrida e termos a briga pela vitória mais equilibrada.

Classificação:

1º. Lewis Hamilton (ING/McLaren-Mercedes), 1min36s219 (14 voltas)
2º. Jenson Button (ING/McLaren-Mercedes), 1min36s368 (14)
3º. Michael Schumacher (ALE/Mercedes), 1min36s391 (14)
4º. Mark Webber (AUS/Red Bull-Renault), 1min36s461 (19)
5º. Sebastian Vettel (ALE/Red Bull-Renault), 1min36s634 (14)
6º. Romain Grosjean (FRA/Lotus-Renault), 1min36s658 (14)
7º. Nico Rosberg (ALE/Mercedes), 1min36s664 (14)
8º. Fernando Alonso (ESP/Ferrari), 1min37s566 (16)
9º. Sergio Pérez (MEX/Sauber-Ferrari), 1min37s698 (17)
10º. Kimi Raikkonen (FIN/Lotus-Renault), 1min36s461 (13) *

11º. Pastor Maldonado (VEN/Williams-Renault), 1min37s589 (14)
12º. Felipe Massa (BRA/Ferrari), 1min37s731 (15)
13º. Bruno Senna (BRA/Williams-Renault), 1min37s841 (13)
14º. Paul di Resta (ESC/Force India-Mercedes), 1min37s877 (15)
15º. Daniel Ricciardo (AUS/Toro Rosso-Ferrari), 1min37s883 (14)
16º. Nico Hulkenberg (ALE/Force India-Mercedes), 1min37s890 (13)
17º. Kamui Kobayashi (JAP/Sauber-Ferrari), 1min38s069 (12)

18º. Jean-Éric Vergne (FRA/Toro Rosso-Ferrari), 1min39s077 (7)
19º. Vitaly Petrov (RUS/Caterham-Renault), 1min39s567 (6)
20º. Timo Glock (ALE/Marussia-Cosworth), 1min40s903 (8)
21º. Charles Pic (FRA/Marussia-Cosworth), 1min41s250 (8)
22º. Pedro de la Rosa (ESP/HRT-Cosworth), 1min42s914 (4)
23º. Narain Karthikeyan (IND/HRT-Cosworth), 1min43s655 (6)
24º. Heikki Kovalainen (FIN/Caterham-Renault), 1min39s306 (9) *

*Perdeu 5 posições no grid

%d blogueiros gostam disto: