Arquivos do Blog

Feliz Natal, fufeiros!

Pois é pessoal, chegamos ao final do ano e 2012 foi um ano histórico. Tivemos muita correria e procuramos cobrir com a melhor qualidade possível. Muito obrigado a todos que seguem no barco e em 2013, que seja um grande ano para todos, muita saúde, felicidade para todos!

Fiquem com o já tradicional vídeo, esse ano com algumas “invenções”, como essa “participação especial” que verão, digam se deu certo ou não. Mas de qualquer forma, fica os votos de Natal e Ano Novo para nós!

Se tiverem alguma dúvida, manifestem-se. Caso de alguma definição no mercado ou algum anúncio extraordinário, o plantão estará atento. Seja como for, veremos adiante. Abraço!

Se por acaso der pau aí, tem a versão do Vimeo ou do Metacafe.

Agora sim, Feliz Natal e próspero 2013, fufeiros!

FUFA Awards 2012 – Premiação

Aqui, Alonso levou a melhor

Olá, pessoal! Estamos hoje para dar os prêmios do FUFA Awards 2012. Primeiramente, agradeço a todos que contribuíram com a eleição e permitiram a festa que presenciam. Sem mais delongas vamos aos resultados: (Vou também dar meus pitacos conforme os resultados)

Melhor piloto: (Total de votos: 102)

Fernando Alonso 37%
Sebastian Vettel 33%
Kimi Raikkonen 24%
Lewis Hamilton 3%

Outros 3% (3 votos)

Kamui Kobayashi 2
Felipe Massa 1

Votação bem equilibrada, como foi este campeonato. E o prêmio vai com todos os méritos para Fernando Alonso. A temporada dele foi espetacular, a título só escapou mais por questões além da sua capacidade. Ainda assim, o troféu de melhor piloto vai para as Astúrias, em boas mãos.

Pior piloto: (92)

Narain Karthikeyan 37%
Michael Schumacher 33%
Bruno Senna 13%
Pedro de la Rosa 4%
Heikki Kovalainen 2%

Outros 12% (12)

Romain Grosjean 10
Fernando Alonso 1
Felipe Massa 1

Essa votação também foi equilibrada, mas a escolha foi meio obvia em detrimento a Narain Karthikeyan, embora os votos para Michael Schumacher foram a representação da dificuldade da sua segunda passagem, que terminou este ano. Para os “vencedores” da categoria, um troféu nada singelo para eles. Destaco a presença maciça de Romain Grosjean nos “Outros” mostrando que as marcas deste ano foram as piores possíveis.

Melhor equipe: (99)

Red Bull 87%
McLaren 7%
Lotus 6%
Ferrari 0%

Aqui, houve uma lavada. Levando em conta o conjunto, equipamento-piloto-mecânicos-engenharia, a turma dos energéticos fez o melhor trabalho, e, não à toa, levou essa. Só a vantagem não representa bem a diferença para as demais, mesmo assim. Festa lá em Milton Keynes.

Pior equipe: (92)

HRT 81%
Marussia 8%
Caterham 3%

Outros 7% (7)

Ferrari 3
Mercedes 3
Toro Rosso 1

Outra barbada, esse foi o desfecho da saga da HRT na Fórmula 1. A equipe espanhola ainda conseguiu sobreviver até o fim do ano e não morreu na praia como nanicas do passado, mas a sua despedida, foi com confusão dentro da equipe e com muitos problemas estruturais. O alívio é que não vai defender o título ano que vem.

Melhor carro: (101)

Red Bull RB8 60%
McLaren MP4/27 34%
Lotus E20 3%
Sauber C31 3%
Os outros carros não foram votados

Nesta votação, aconteceu algo parecido com o item acima. A Red Bull foi eleita, mas não mostrou potencial para ter a vantagem que teve. Muito por problemas mecânicos que teve durante a temporada. Mas a genialidade de Adrian Newey e o bom conjunto (e até alguns segredinhos, já que todo carro tem) foram a receita de sucesso em 2012.

Pior carro (98)

HRT F112 88%
Marussia MR01 6%
Toro Rosso STR7 3%
Caterham CT-01 2%

Outros 1% (1)

Mercedes W03 1

O que se aplica à HRT no item pior equipe, se reflete no item “Pior carro”.

Melhor corrida (98)

GP do Brasil 69%
GP de Abu Dhabi 15%
GP dos Estados Unidos 7%
GP da Europa 6%
GP do Canadá 2%
GP da Malásia, GP da Espanha e GP da Bélgica não foram votadas
Houve uma abstenção

Como diria o ditado: a última impressão é a que fica. Foi uma temporada com corridas muito boas, mas o final em Interlagos foi realmente digno de cinema. Com certeza é um prêmio merecido.

Pior corrida (77)

GP da Coreia do Sul 31%
GP da Índia 31%
GP da Hungria 19%
GP de Mônaco 18%

O alívio desta temporada foi o fato de termos mais corridas no índice de “melhor corrida” do que o de “pior corrida”. Na eleição, a mais equilibrada, empate em dois Tilketródromos onde o mais notado foi o pós corrida (O tal de Psy dando a bandeirada na Coreia e a dancinha dos indianos no pódio). Em termos de corrida, foram sem graça mesmo.

Estreante do ano (78)

Jean-Eric Vergne 48%
Charles Pic 39%

Outros 13% (12)

Aqui entra uma observação: Romain Grosjean não entra na lista por ter corrido em 2009. Os outros dois franceses foram os estreantes. Nesse caso, a escolha foi por Vergne, mesmo cometendo uma série de erros, conseguiu boas exibições e somou pontinhos importantes para ganhar o confronto direto com Daniel Ricciardo. Mas sabe que terá que fazer muito mais do que fez.

Surpresa do campeonato (93)

Sergio Perez 52%
Pastor Maldonado 24%
Nico Hulkenberg 20%
Charles Pic 1%
Timo Glock 0%

Outros 4% (4)

Kimi Raikkonen 2
Fernando Alonso 1
Lewis Hamilton 1

Foi um ano que surgiu algumas caras novas. Sergio Perez é uma das delas. O mexicano quase ganhou na Malásia e conseguiu mais dois pódios. Justificou a sua ida para McLaren. A parte final do campeonato não foi boa, mas agora a motivação é outra e 2013 pode ser que ele apareça de novo no tópico.

Decepção do campeonato (90)

Michael Schumacher 28%
Romain Grosjean 18%
Bruno Senna 16%
Mark Webber 12%
Jenson Button 8%
Paul di Resta 3%
Daniel Ricciardo 2%
Heikki Kovalainen 2%
Nico Rosberg 1%

Outros 9% (9)

Felipe Massa 5
Fernando Alonso 1
Lewis Hamilton 1
Ferrari 1
McLaren 1

Outra enquete equilibrada. No fim, mais uma vez a lembrança nada positiva da segunda passagem do Heptacampeão foi a mais lembrada entre vocês. Até o próprio Schumi sabe que essa passagem foi aquém das suas expectativas.

Ultrapassagem do ano: (92)

Raikkonen em Schumacher, GP da Bélgica 32%
Hulkenberg em Hamilton e Grosjean, GP de Coreia do Sul 15%
Alonso em Webber e Massa, GP do Brasil 13%
Kobayashi em Vettel, GP do Brasil 13%
Massa em Senna, GP de Cingapura 9%
Vettel em Button, GP de Abu Dhabi 5%
Alonso em Grosjean, GP da Europa 3%
Alonso em Vettel, GP da Itália 3%
Webber em Alonso, GP da Inglaterra 2%
Vettel em Schumacher, GP da Bélgica 2%
Button em Schumacher, GP dos Estados Unidos 0%

Outros 3% (3)

Vettel em Rosberg Austrália 1
Senna em Maldonado e outro 1
Todas em Schumacher 1

Esse talvez tenha sido o item mais difícil de escolher. Foi um ano com muitas ultrapassagens. No fim, ganhou a manobra na Eau Rouge, que só poderia envolver dois grandes nomes da F1. A manobra de Raikkonen em Schumacher foi sensacional. Fica aí o onboard dos dois e todo o desenho do lance:

Patacoada do ano: (94)

Grosjean provocando grande acidente na largada, na Bélgica 61%
Raikkonen errando o caminho, no Brasil 16%
Schumacher abalroando Senna, na Espanha 5%
Schumacher abalroando Vergne, em Cingapura 5%
Maldonado e Hamilton se estranhando na última volta, em Valência 4%
Vergne voando na chincane, na Itália 2%
Perez provocando panca com Grosjean e Webber, em Abu Dhabi 2%
Massa e Senna se enroscando na Austrália 1%
Grosjean acertando Webber, no Japão 1%
Maldonado acertando Perez, na Inglaterra 0%
Kobayashi acertando Button, na Coreia 0%

Outros 2% (2)

Senna em Vettel no Brasil 1
a maioria das corridas do Maldonado 1

Tivemos um pessoal saindo da linha, mas nada supera o feito de Romain Grosjean. A quase hecatombe na La Source serviu-lhe de gancho por uma corrida por conta da bobagem. Não tinha como outro ganhar.

Polêmica de 2012: (83)

Rompimento do lacre do câmbio de Felipe Massa, nos Estados Unidos 52%
Decisões da FIA pós-corrida 21%
Bico de “borracha” da Red Bull 13%
Ultrapassagens de Vettel supostamente sob bandeira amarela, no Brasil 7%
Corrida no Bahrein 5%

Outros 2% (2)

Ferrari e seu jogo de equipe (para variar) 1
quase todas as decisões da FIA 1

Por mais que tenha acontecido algumas coisas com qualquer um, principalmente com a Red Bull, foi justamente a Estaberria de Maranello que justificou sua fama de fazer as coisas que não se deve. Mais uma da Ferrari.

Momento mais marcante (99)

Raikkonen reclamando no rádio, em Abu Dhabi 24%
Kobayashi no pódio, no Japão 17%
Raikkonen errando o caminho, no Brasil 13%
Recuperação de Vettel, em Abu Dhabi 12%
Festa da vitória de Alonso, em Valência 8%
Massa chorando no pódio declarando sua emoção na entrevista de Piquet, no Brasil 8%
Vitória de Maldonado, na Espanha 6%
Batida na largada na Bélgica 6%
Vettel e Schumacher se cumprimentando após o GP Brasil 3%
Segundo lugar de Perez, na Malásia 2%
Vitória de Rosberg, na China 0%

Outros 1% (1)
Sauber dizendo para Perez NÃO ganhar na Malásia 1

O seu retorno na Fórmula 1 foi no melhor estilo Kimi Raikkonen. O seu jeitão foi decisivo nesse item. A bronca no engenheiro da equipe foi simplesmente o ponto alto da corrida em Abu Dhabi, e na visão da galera, também do certame. Pode abrir a champanhe, Matias!

Bom, é isso. Alguém discorda do veredito? Se sim, vai ter que esperar até o ano que vem, quando teremos a eleição do próximo prêmio. Obrigado a todos pela participação e até a próxima! Abraço!

FUFA Awards 2012

Quantos

Quantos “curtir” merece?

Salve galera! A temporada de 2012 entrou para a história da Fórmula 1 por feitos sensacionais ao longo do ano. E com tanta coisa que rolou, a gente vai fazer mais uma eleição dos melhores e piores do ano. Eis a edição 2012 do FUFA Awards.

Antes, um lembrete aos marinheiros de primeira viagem: O nome da premiação remete a FUFA (Formula UK Friends Association), a agremiação que se formou entre os frequentadores do finado blog Formula UK, de Mike Vlcek, e que deu origem a este humilde boteco, o qual veem atualmente.

Esta é a segunda edição desde a Era F1 Social Club, faremos a eleição para diversas categorias com as opções para escolher. Pode votar quantas vezes quiser. As categorias tem a opção “outros” caso ache que houve alguma injustiça no elenco das opções. Mas aqui não serão aceitos votos de protesto (Exemplo: Na categoria “Melhor Piloto” nada de votar em nomes como “Adrian Newey” ou “Rubens Barrichello”). Vale as opções que são convenientes à categoria. mas creio que a galera terá o bom senso e não tumultuará a votação. Contamos com cada voto para sermos justos.

Bom, agora é com vocês. Daqui a uma semana teremos o resultado. Bom voto a todos!!!:

Fórmula 1, não posso parar de te amar!!!

Grande trabalho, galera. Vocês fizeram um grande campeonato!!!

Não há outras palavras para descrever o GP Brasil. Uma das corridas mais sensacionais de todos os tempos. Um final digno da temporada que foi uma das melhores da história. Algo que Hollywood não poderia escrever melhor. É a despedida do certame sensacional. A chuva foi a aliada, caindo na medida certa e na hora certa das emoções. Se acham que exagero, perguntem a Nelson Piquet, o mestre de cerimônias no pódio de hoje.

O vencedor foi o simpático Jenson Button. A vitória veio meio que na sorte, mas o britânico teve a competência para se manter com slick no aperto do começo da prova e contou com o enrosco entre Lewis Hamilton e o surpreendente Nico Hulkenberg. Para Lewis, o fim da corrida foi o fim da sua era em Woking, sendo bem aplaudido nos boxes. mas a vitória deu um alento para a McLaren, que teve o carro mais rápido em muitos momentos, mas os acasos não a deixaram nem com o vice-campeonato.

A Ferrari conseguiu o vice nos construtores e nos pilotos. Fernando Alonso se aguentou o quanto pode e andou no ritmo que a Ferrari lhe permitia. Mas o segundo lugar não lhe foi o suficiente para fazer o caneco. É de fato muito injusto ele ficar sem a taça pelo nível de seu talento e nunca desistiu, lutou até o fim. Caiu em pé! Mas como só um pode ganhar, a dama do destino não quis assim. Fica para 2013.

Felipe Massa fechou bem a temporada. O brasileiro fez uma super largada, chegando a ficar em segundo, depois sofreu com os pneus, teve que fazer duas paradas quase que seguidas, mas se recuperou bem e andou num bom ritmo. Só não subiu mais, pois tinha de ajudar Alonso. Mas o terceiro lugar, um pódio em casa, é mais um grande resultado, simbolizando o bom final de campeonato que fez. Chorou no pódio e bateu no peito, como em 2008. Saiu de bem com todo mundo no autódromo.

Mark Webber ficou em quarto lugar, numa corrida sem brilho, com rodada e alguns problemas. Com isso fechou o ano em sexto lugar, bem longe de fazer qualquer ameaça na briga pelo título, como chegou a se pensar na metade do ano.

Já o Hulk fez uma bela corrida. Assumiu a terceira posição a partir da segunda volta e ficou no ritmo das McLaren. Passou Button por fora no S do Senna, assumindo a liderança e dominou a maior parte da prova. Com o retorno da chuva, o alemão deu uma escapada e perdeu a ponta para Hamilton, tentou recuperar enquanto o inglês estava enrolado com os retardatários e na tentativa, o piloto de Force India escorregou e tirou o campeão de 2008 da disputa. Tomou uma punição mas ainda somou pontos consistentes para a equipe.

Não é qualquer um para montar no Touro Vermelho

E chegamos ao principal personagem da corrida. Sebastian Vettel viveu uma epopeia. Levou um toque de Bruno Senna e rodou. Voltou em último, foi galgando posições e em poucas voltas voltou a zona de pontuação. Tomou alguns sustos, como a perda de parte da asa na metade da corrida, decorrência do toque, além de disputas ferrenhas com Kamui Kobayashi. Segurou a sexta posição. O safety-car causado por Paul di Resta na penúltima volta, depois de bater no Café, foi o alívio definitivo e o começo da festa da turma dos energéticos.

Vettel é o mais jovem tricampeão da história. Agora ele faz parte de um clube, com Jack Brabham, Jackie Stewart, Niki Lauda, Nelson Piquet e Ayrton Senna. Podem falar que é o carro com treta e tudo, é o Adrian Newey (tudo bem que o cara é gênio nas pranchetas), mas o fato é que o alemão corresponde na pista. Bem-vindo ao clube dos gênios, Sebastian!

Em sétimo, a posição que remete a quantidade de títulos na carreira, ele: Michael Schumacher. E ele até fez uma corrida de despedida interessante. Teve os velhos problemas de pneus, levou algumas ultrapassagens, mas fechou pontuando e sem cometer excessos. Foi uma despedida boa, se levar em conta a segunda passagem, E a título de curiosidade, o pódio da primeira despedida, em 2006 foi exatamente com Button, Alonso e Massa (não nessa ordem, já que a corrida daquele ano foi vencida pelo Felipe).

O oitavo lugar foi de Jean-Eric Vergne, somando mais pontinhos para a Toro Rosso e sendo mais eficaz que seu companheiro Ricciardo, apesar do australiano ser mais constante. Os dois ainda quase se enroscaram no começo da prova, mas no fim o francês teve uma melhor tática de pneus e terminou entre os dez primeiros.

O nono posto foi pouco para a corrida do mito Kamui Kobayashi. O japa andou de igual para igual até mesmo com os postulantes ao título trocando ultrapassagens com Alonso e Vettel. No final, tentou passar Schumacher e levou a pior. Somou dois pontos nesta que pode ser sua última corrida na Fórmula 1. tomara que os deuses do automobilismo permitam que haja verba suficiente de patrocinadores para colocá-lo no grid em 2013, de preferência na Force India, que é o melhor lugar disponível.

O último pontuável foi Kimi Raikkonen, que teve uma corrida muito estranha. Rodou e escapou algumas vezes. Uma muito comédia, inventando um novo caminho usando o velho traçado. Ainda somou um ponto, fechando a temporada num excelente terceiro lugar e terminando todas as corridas. Uma ótima marca no seu retorno.

Fora dos pontuáveis, batalha tensa e o 11º lugar de Vitaly Petrov garante além do melhor resultado da história da Caterham, garante a décima posição nos construtores para a equipe de Tony Fernandes, ficando à frente de Charles Pic por muito pouco. Pic, que estará na equipe verde a partir de 2013, enquanto a segunda vaga ainda está disputada por 237 pilotos diferentes.

Da turma que abandonou, além de Hamilton, ficou o Primeiro-Sobrinho, que quase arrancou Vettel da prova e deu o caneco para Alonso, junto com Sergio Perez, colhido na encrenca e terminando a temporada zerando em todas as provas depois que assinou na McLaren. Pastor Maldonado também se achou na primeira volta, embora a TV não tenha notado e Romain Grosjean achou os pneus na Junção, para confirmar a fama dos dois.

Bom é isso. Foi-se mais um ano e mais um campeonato. Que irá entrar para a história da Fórmula 1 como um dos melhores de todos os tempos. E a corrida final foi a representação desse ano. Espero que todos tenham curtido a nossa cobertura e em 2013 vem mais. Parabéns a todos que estão aqui e até 17 de março de 2013, com o GP da Austrália!

(P.S. Mas não deixem de frequentar o blog, pessoal, tem muito mais coisa a se falar durante a Silly Season e teremos muita coisa para falar, além da premiação do FUFA Awards 2012!!!)

Beijos e abraços!

1 – Jenson Button (ING/McLaren-Mercedes): 1h45m22s656 (71 voltas)
2 – Fernando Alonso (ESP/Ferrari): a 2s754 (71)
3 – Felipe Massa (BRA/Ferrari): a 3s615 (71)
4 – Mark Webber (AUS/Red Bull-Renault): a 4s936 (71)
5 – Nico Hulkenberg (ALE/Force India-Mercedes): a 5s708 (71)
6 – Sebastian Vettel (ALE/Red Bull-Renault): a 9s453 (71)
7 – Michael Schumacher (ALE/Mercedes): a 11s907 (71)
8 – Jean-Eric Vergne (FRA/Toro Rosso-Ferrari): a 28s653 (71)
9 – Kamui Kobayashi (JAP/Sauber-Ferrari): a 31s250 (71)
10 – Kimi Raikkonen (FIN/Lotus-Renault): a 1 volta (70)
11 – Vitaly Petrov (RUS/Caterham-Renault): a 1 volta (70)
12 – Charles Pic (FRA/Marussia-Cosworth): a 1 volta (70)
13 – Daniel Ricciardo (AUS/Toro Rosso-Ferrari): a 1 volta (70)
14 – Heikki Kovalainen(FIN/Caterham-Renault): a 1 volta (70)
15 – Nico Rosberg (ALE/Mercedes): a 1 volta (70)
16 – Timo Glock (ALE/Marussia-Cosworth): a 1 volta (70)
17 – Pedro de la Rosa (ESP/HRT-Cosworth): a 2 voltas (69)
18 – Narain Karthikeyan (IND/HRT-Cosworth): a 2 voltas (69)
19 – Paul di Resta (ESC/Force India-Mercedes): a 3 voltas (68)

Não completaram:
20 – Lewis Hamilton (ING/McLaren-Mercedes): 54 voltas
21 – Romain Grosjean (FRA/Lotus-Renault): 5 voltas
22 – Pastor Maldonado (VEN/Williams-Renault): 1 volta
23 – Bruno Senna (BRA/Williams-Renault): 0
24 – Sergio Perez (MEX/Sauber-Ferrari): 0

Volta mais rápida: Lewis Hamilton (ING/McLaren-Mercedes) 1:18.069 (38)

Campeonato de pilotos (final)

1. Sebastian Vettel 281
2. Fernando Alonso 278
3. Kimi Raikkonen 207
4. Lewis Hamilton 190
5. Jenson Button 188
6. Mark Webber 179
7. Felipe Massa 122
8. Romain Grosjean 96
9. Nico Rosberg 93
10. Sergio Perez 66
11. Nico Hulkenberg 63
12. Kamui Kobayashi 60
13. Michael Schumacher 49
14. Paul di Resta 46
15. Pastor Maldonado 45
16. Bruno Senna 31
17. Jean-Eric Vergne 16
18. Daniel Ricciardo 10
19. Vitaly Petrov 0
20. Timo Glock 0
21. Charles Pic 0
22. Heikki Kovalainen 0
23. Jerome D’Ambrosio 0
24. Narain Karthikeyan 0
25. Pedro de la Rosa 0

Campeonato de construtores (final)

1. Red Bull-Renault 460
2. Ferrari 400
3. McLaren-Mercedes 378
4. Lotus-Renault 303
5. Mercedes 142
6. Sauber-Ferrari 126
7. Force India-Mercedes 109
8. Williams-Renault 76
9. Toro Rosso-Ferrari 26
10. Caterham-Renault 0
11. Marussia-Cosworth 0
12. HRT-Cosworth 0

Disputas em corrida (final)

Disputas em Corrida

Vettel 13 X 7 Webber
Button 9 X 11 Hamilton
Alonso 18 X 2 Massa
Schumacher 11 X 9 Rosberg
Raikkonen 17 X 2 Grosjean
Raikkonen 1 X 0 D’Ambrosio
Di Resta 9 X 11 Hulkenberg
Kobayashi 10 X 10 Perez
Ricciardo 11 X 9 Vergne
Maldonado 9 X 11 Senna
Kovaleinen 10 X 10 Petrov
De la Rosa 15 X 4 Karthikeyan
Glock 13 X 7 Pic

R.I.P. Jacarepaguá

Vejam esse vídeo e chorem. Chorem como eu estou chorando agora. O único circuito que tive a oportunidade de guiar, de acelerar tudo, de quase perder a respiração na freiada retardada.

Chorem por perdermos um traçado único, lindo e feito para pilotos de verdade. Cada curva era um desafio.

Chorem tb por não termos o circuito de Deodoro, que nunca sairá do papel pois fomos enganados.

Nunca mais veremos os boxes com seus arcos tão peculiares.

Não haverá mais corridas por lá…Nunca mais.

Acabou.

%d blogueiros gostam disto: