E acabou-se o que era doce


A Fórmula 1 chegou ao fim em 2013. O campeonato, que certamente não deixará saudades, terminou neste domingo em Interlagos. o Grande Prêmio do Brasil não foi o melhor da história, mas foi animado. Mesmo sem a chuva, a corrida foi bem movimentada e trouxe histórias e fatos marcantes no desfecho de uma era.

A turma que terminou o ano

Esta época terminou com mais uma vitória de Sebastian Vettel. A corrida foi mais uma vez fácil. Na largada, perdeu a liderança para Nico Rosberg, mas no final da primeira volta, estava na frente. O único susto foi por causa de uma lambança nos pits da Red Bull, mas no fim, a vitória estava assegurada e o alemão iguala a marca de nove vitórias seguidas pertence a Alberto Ascari.

Nota: Ascari conseguiu nove vitórias seguidas em corridas que ele participou, já que na contagem, não entra as 500 milhas de Indianapolis de 1953, já que os europeus da F1 não competiam na Brickyard.

Quem apareceu bem mais foi o segundo colocado. Mark Webber teve uma ótima atuação na sua corrida derradeira na categoria. Fez um bom duelo com Fernando Alonso e chegou em segundo. No final foi ele que roubou a cena, primeiro tirando o capacete no meio da volta de retorno para os boxes e depois levou um tombo, em meio às homenagens que recebia. Um desfecho bem interessante.

Capacete é para os fracos!

Fernando Alonso foi o terceiro colocado. Fez a corrida que se esperava e chegou onde dava mesmo: atrás das Red Bull. O problema mesmo é aguentar a Glenda Koloswski no pódio…

A dupla da McLaren apareceu bem, mas não evitou o vexame de fechar a temporada sem nenhum pódio. Mesmo assim, Jenson Button e Sergio Perez foram aguerridos e conseguiram fechar a corrida em quarto e sexto respectivamente. Que no ano seguinte a turma de Woking acerte a mão para equilibrar as coisas. Já para o mexicano, que procura um emprego, fica uma boa impressão para quem deseja alguns tacos.

Entre eles ficou Nico Rosberg. O alemão assumiu a liderança na primeira volta, mas despencou por causa do acerto ruim da sua Mercedes, que estava voando na chuva, mas que não andava na pista seca. Mais uma temporada que acaba aquém do esperado.

Em sétimo veio Felipe Massa, no seu adeus a Ferrari. O brasileiro recebeu aplausos do mecânico assim que saiu dos boxes e fez uma grande largada. Até sonhava com o pódio, mas uma punição controversa (apesar de estar na regra) acabou com suas chances. fez ainda uns donuts, assim como Vettel e deixou a Estaberria de Maranello de bem com a vida. (não em termos de resultado, mas na autoestima)

Palmas para o Felipe (merecidas?)

Em oitavo, Nico Hulkenberg fechando um ano em que se afirmou em termos de desempenho, mesmo com um carro bem aquém da sua qualidade. Que nos próximos anos, a sorte sorria mais para ele.

Logo a seguir veio Lewis Hamilton, que mais uma vez sofreu no autódromo José Carlos Pace. O britânico vinha sem muitas expectativas, mas quase botou o vice-campeonato da Mercedes a perder, quando deu uma fechada desnecessária em Valteri Bottas, tirando o finlandês da corrida e estourando o seu próprio pneu. Tomou um drive-trought pela patacoada, mas salvou dois pontos.

O último pontuável foi Daniel Ricciardo, substituto de Webber, que teve que segurar investidas de adversários e tomou alguns sustos, mas terminou em melhor forma que o companheiro Jean-Eric Vergne, justificando sua escolha pelos rubrotaurinos.

Na turma que sobrou temos muitas decepções. A começar com a Lotus, que viu suas chances de pontuar irem para o espaço por causa do motor Renault. Além disso, Heikki Kovalainen foi uma figura nula no fim de semana e terminou apenas em 14º. Um fim de temporada que mostra um futuro nebuloso pelos lados de Einstone.

E o futuro piloto da equipe preta e dourada não parece ser o mais indicado para mudar o panorama. Pastor Maldonado fechou o ano com uma rodada no S do Senna, em disputa com Vergne. Uma despedida triste do venezuelano da Williams.

Mas não tem coisa ruim só do fundão. No duelo das nanicas, festa para a Marussia, que conseguiu manter a vantagem para a Caterham (que teve problemas com Charles Pic) e terminou o ano como a décima colocada nos construtores. De quebra, o endinheirado Max Chilton conseguiu terminar todas as 19 provas de 2013. A melhor marca do ano.

Bom, e assim chegou ao fim a temporada 2013, terminando a era dos motores aspirados V8. Foi uma temporada bem inferior ao ano passado, não tem como negar. Que 2014 seja bem melhor, tanto no campeonato, como nas corridas. Abraço!

1º. Sebastian Vettel (ALE/Red Bull-Renault) 71 voltas em 1h32min36s300
2º. Mark Webber (AUS/Red Bull-Renault) a 10s4
3º. Fernando Alonso (ESP/Ferrari) a 18s9
4º. Jenson Button (ING/McLaren-Mercedes) a 37s3
5º. Nico Rosberg (ING/Mercedes) a 39s0
6º. Sergio Pérez (MEX/McLaren-Mercedes) a 49s1
7º. Felipe Massa (BRA/Ferrari) a 64s2
8º. Nico Hulkenberg (ALE/Sauber-Ferrari) a 72s9
9º. Lewis Hamilton (ING/Mercedes) a 1 volta
10º. Daniel Ricciardo (AUS/Toro Rosso-Ferrari) a 1 volta
11º. Paul di Resta (ESC/Force India-Mercedes) a 1 volta
12º. Esteban Gutiérrez (MEX/Sauber-Ferrari) a 1 volta
13º. Adrian Sutil (ALE/Force India-Mercedes) a 1 volta
14º. Heikki Kovalainen (FIN/Lotus-Renault) a 1 volta
15º. Jean-Éric Vergne (FRA/Toro Rosso-Ferrari) a 1 volta
16º. Pastor Maldonado (VEN/Williams-Renault) a 1 volta
17º. Jules Bianchi (FRA/Marussia-Cosworth) a 2 voltas
18º. Giedo van der Garde (HOL/Caterham-Renault) a 2 voltas
19º. Max Chilton (ING/Marussia-Cosworth) a 2 voltas
Abandonaram:
Charles Pic (FRA/Caterham-Renault) na 59ª volta
Valtteri Bottas (FIN/Williams-Renault) na 46ª volta
Romain Grosjean (FRA/Lotus-Renault) na 3ª volta

Volta mais rápida: Mark Webber (AUS/Red Bull-Renault) – 1min15s436

+++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++

Campeonato de pilotos


1 – Sebastian Vettel 397
2 – Fernando Alonso 242
3 – Mark Webber 199 (+2)
4 – Lewis Hamilton 189 (-1)
5 – Kimi Raikkonen 183 (-1)
6 – Nico Rosberg 171
7 – Romain Grosjean 132
8 – Felipe Massa 112
9 – Jenson Button 73
10 – Nico Hulkenberg 51 (+1)
11 – Sergio Perez 49 (+1)
12 – Paul di Resta 48 (-2)
13 – Adrian Sutil 29
14 – Daniel Ricciardo 20
15 – Jean-Eric Vergne 13
16 – Esteban Gutierrez 6
17 – Valteri Bottas 4
18 – Pastor Maldonado 1
19 – Jules Bianchi 0
20 – Charles Pic 0
21 – Heikki Kovalainen 0
22 – Giedo van der Garde 0
23 – Max Chilton 0

Campeonato de construtores

1 – Red Bull-Renault 596
2 – Mercedes 360
3 – Ferrari 354
4 – Lotus-Renault 315
5 – McLaren-Mercedes 122
6 – Force India-Mercedes 77
7 – Sauber-Ferrari 57
8 – Toro Rosso Ferrari 33
9 – Williams-Renault 5
10 – Marussia-Cosworth 0
11 – Caterham-Renault 0

++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++

Disputa em corridas:

Vettel 18 X 1 Webber
Alonso 17 X 2 Massa
Button 13 X 6 Perez
Raikkonen 11 X 6 Grosjean
Kovalainen 1 x 1 Grosjean
Rosberg 9 X 10 Hamilton
Hulkenberg 14 X 5 Gutierrez
Di Resta 11 X 8 Sutil
Maldonado 12 X 7 Bottas
Vergne 8 X 11 Ricciardo
Pic 14 X 5 Van der Garde
Bianchi 15 X 4 Chilton

Publicado em novembro 24, 2013, em Automobilismo, F1 e marcado como , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Adicione o link aos favoritos. 4 Comentários.

  1. A corrida foi boa, com muitas ultrapassagens. Eu só torço para que deixe de ser utilizadas as asas móveis, ou que seu uso seja bem restrito. Acho que o dispositivo só veio facilitar ainda mais para o Vettel.

  2. Asa móvel é só pra ultrapassar sem mérito, quem fez a regra não está nem aí! Fim das asas móveis!

  3. Felipe Lima :
    A ideia não é de todo o ruim. Só acho que juntando asa móvel + pneu farofa ultrapassar ficou “banal”.

    ainda tem o kers…

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: