Surpresas no meio das dunas, exceto por um detalhe…


Como não é champanhe, dá para jogar nele

Fala pessoal! A corrida no Bahrein ocorreu tranquilamente dentro da pista e foi (por mais incrível que possa parecer) a melhor do campeonato até agora. Tivemos disputas por posição durante a corrida toda e os pegas ocorreram mesmo fora da zona do DRS. Mas apenas uma posição não teve tantas emoções neste duelo. Logo a primeira.

Isso por “culpa” de Sebastian Vettel e da Red Bull. O alemão ainda perdeu a segunda posição para Fernando Alonso, mas nem esperou a ativação da asa móvel para engolir o asturiano e o pole Nico Rosberg para disparar na frente e não tomar conhecimento de ninguém. Com isso, o alemão mantém a liderança no campeonato e mostra que os problemas na China foram mais um problema específico daquela pista.

O rubrotaurino só não fugiu muito no campeonato porque Kimi Raikkonen chegou em segundo. O finlandês partiu para uma estratégia de duas paradas e subiu na classificação com um bom rendimento. O piloto da Lotus vai somando os pontinhos necessários para permanecer vivo na briga pelo caneco.

O outro piloto da Lotus também fez bonito. Romain Grosjean foi arrojado e passou todo adversário que via pela frente. Beneficiando-se com a capacidade de economizar pneus do seu carro, lá foi o francês galgando posições e garantindo o lugar no pódio. Foi a melhor corrida dele em 2013, e, além de repetir o pódio do ano passado (aliás foi exatamente esta posição de pódio de 2012), o Groselha consegue subr na classificação do campeonato.

Paul di Resta foi outro que andou bem. Sempre esteve entre os ponteiros e esteve muito perto de subir ao pódio, mas não teve pneus suficientes para chegar em terceiro. Ainda assim, o escocês vai colocando a banca para cima de Adrian Sutil, que teve um toque na largada e ficou para trás. Agora é aguardar os próximos capítulos do duelo interno da Force India, mas o momento é favorável a Di Resta.

Lewis Hamilton esteve discreto, diante de um carro que não permitia muitas coisas, mas o campeão de 2008 cresceu de rendimento na parte final da corrida e salvou um quinto lugar necessário para manter a regularidade no campeonato.

Em sexto, vem outro nome desta corrida: Sergio Perez finalmente fez uma boa exibição. Está certo que teve aquele toque com o companheiro de equipe numa disputa de posição, mas o mexicano fez uma ótima exibição, arrojado e com ultrapassagens na marra, até jogando para fora da pista (como fez com Alonso). Pode ter comprado uma briga em Woking, mas quem sabe este resultado pode dar o ânimo necessário para mostrar a que veio.

Mark Webber vinha num ritmo tranquilo, mas perdeu muito rendimento na parte final e perdeu duas posições, perdendo pontos preciosos para ele e para a Red Bull nos construtores. Cada vez mais fica justificado o desrespeito ao “Multi 21” na corrida da Malásia. Não a melhor forma de festejar o GP de número 200.

Fernando Alonso conseguiu quatro pontinhos no campeonato, o que foi muito diante do problema no DRS no começo da corrida, obrigando a duas paradas forçadas e deixando o espanhol sem usar o artifício nas disputas por posição. Pelo ritmo de prova, dava para ter brigado com Vettel, o que deixa a sensação que a corrida foi desastrosa para a Estaberria de Maranello.

Lembram do pole Nico Rosberg?  Então, tomou passão de todo mundo e se segurou como pôde com os pneus no bagaço. Fechou a corrida num insosso nono lugar, sendo mais uma corrida aquém daquilo que a Mercedes É Rosbife, é hora de procurar uma benzedeira, que fase está braba.

Fechou os pontuáveis Jenson Button, que se deu mal nas estratégias desta corrida. O inglês ainda ficou na bronca com a briga com Sergio Perez, que o obrigou a um consumo maior dos pneus e prejudicou seus planos. Será que o Mr. Nice Guy vai ficar de boa com o Chesperito pelos lados de Woking? A conferir.

E Felipe Massa? Lembram-se daquela estratégia dos pneus citada ontem? Pois é, parece que não foi nada disso que imaginamos. Para começar massa parou em um stint junto com quem estava de pneu médio. Depois, O pneu traseiro direito estourou duas vezes. Para completar, perdeu muito rendimento na última volta e terminou num desastroso 15º lugar. Definitivamente corrida para esquecer.

Pior que o brasileiro, só Esteban Gutierrez, que conseguiu a proeza de terminar a corrida atrás da Caterham de Charles Pic. Tá certo que o carro da Sauber é bem pior que o do ano passado, mas o mexicano vai caprichando. Ouro que vacilou foi Jean-Eric Vergne, que se enroscou na largada com Giedo van der Garde e foi o único a abandonar.

Bom,. é isso. mais uma pausa de três semanas e a Fórmula 1 volta ao seu habitat natural: a temporada europeia vem aí, com a Pirelli prometendo resolver o problema da borracha perecível. Com isso vamos aguardar o que irá acontecer com os pilotos nas próximas etapas e quais novidades as equipes trarão para seus carros. Abraço!

Classificação Bahrein 2013

Publicado em abril 21, 2013, em Automobilismo, F1 e marcado como , , , , , , , , , , , , , , . Adicione o link aos favoritos. 23 Comentários.

  1. Tava torcendo pro di resta subir no podio, mas nao deu pra ele.

    A ferrada se ferrou grande, e o vettel deu mais uma dedada.

  2. Campeonato de pilotos

    1 – Sebastian Vettel 77
    2 – Kimi Raikkonen 67
    3 – Lewis Hamilton 50 (+1)
    4 – Fernando Alonso 47 (-1)
    5 – Mark Webber 32 (+1)
    6 – Felipe Massa 30 (-1)
    7 – Romain Grosjean 26 (+2)
    8 – Paul di Resta 20 (+2)
    9 – Nico Rosberg 14 (-2)
    10 – Jenson Button 13 (-2)
    11 – Sergio Perez 10 (+3)
    12 – Daniel Ricciardo 6 (-1)
    13 – Adrian Sutil 6 (-1)
    14 – Nico Hulkenberg 5 (-1)
    15 – Jean-Eric Vergne 1

    Campeonato de construtores

    1 – Red Bull-Renault 109
    2 – Lotus-Renault 93 (+1)
    3 – Ferrari 77 (-1)
    4 – Mercedes 63
    5 – Force India-Mercedes 26 (+1)
    6 – McLaren-Mercedes 23 (-1)
    7 – Toro Rosso Ferrari 7
    8 – Sauber-Ferrari 5

    +++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++

    Disputa em corridas:

    Vettel 4 X 0 Webber
    Alonso 3 X 1 Massa
    Button 2 X 2 Perez
    Raikkonen 3 X 1 Grosjean
    Rosberg 0 X 4 Hamilton
    Hulkenberg 3 X 1 Gutierrez
    Di Resta 2 X 2 Sutil
    Maldonado 2 X 2 Bottas
    Vergne 2 X 2 Ricciardo
    Pic 4 X 0 Van der Garde
    Bianchi 4 X 0 Chilton

  3. Cara, vai chover canivete hoje:

    16:10h – Gol do Rhayner!
    19:40h – Vitória de TAKUMA SATO na Indy!!!!

    http://www.indycar.com/News/2013/04/4-21-Sato-wins-at-Long-Beach

  4. Contnuo afirmando que o pneu deveria durar a corrida toda, quiça, o fds todo. Nas corridas de endurance os pneus duram, em média, 500 KM. E são carros mais pesados, com os Peugeot e Audi. Pq não? Tõ cansado desses chicletes avacalharem as corridas. Tá pior q as bandeiras amarelas na Indy.

    • Bom, eu até gostei da corrida, mas concordo contigo quanto aos pneus P-Zero Durabilidade. Só acho que durar a corrida inteira pode não ser tão legal (lembrei de Indianapolis 2005, com o autorama de 6 carros).

    • Pode crer, assino embaixo. Sem o problema-pneu, neguin enfiaria o pe’ e assim o melhor piloto ganharia…Mais ou menos.

      Esse negocio de asa traseira ta’ fudendo as coisas (o pessoal diz que o certo e’ “fodendo”, mas nao consigo entender, me soa como paulista ou gaucho falando). Os caras vem na reta, abrem a asa e, pica. Fica dificil de defender e meio artificial.

      • Eu acho que quando resolveram implementar a asa móvel, não esperassem tanta facilidade pra ultrapassar – visto que nos anos anteriores os pilotos com carros de ritmo semelhante não conseguiam tirar a diferença na pista, era quase uma constante. Com os pneus P-Zero Durabilidade, grandes distâncias entre pilotos são pulverizadas até com facilidade, aí o artifício do DRS se torna quase uma rotina na corrida (tal como trocar marcha).

        • Nunca gostei da asa (só o kers já estava de ótimo tamanho, podendo ser usado pelo piloto independentemente da posição), e acho que os pneus podiam ser três opções por corrida, sem obrigatoriedade do piloto usar mais de um tipo. Ah, e que o piloto já entrasse no Q2 e Q3 com o seu melhor tempo no Q1 e Q2, respectivamente.

    • Eu não concordo. Acho que os pneus que duram demais diminuem muito o espetáculo. Vale lembrar os tempos de Brigdestone, onde tínhamos verdadeiras procissões.

      Por exemplo o ponto de vista do Kimi Raikkonen mostra que nem tudo é ruim. Aqui tem uma análise do Verde que fala muito sobre isso. (fica no final do texto)

      http://bandeiraverde.com.br/2013/04/17/o-boletim-de-shanghai-equipes-e-o-resto/

  5. De novo, não vou escrever sobre o vencedor, porque não precisa. Uma corrida solitária à parte, parece videogame no modo Easy.
    Raikkonen venceu a disputa pelo lugar que na verdade é o lugar que está sendo disputado, ele vem muito consistente.
    Groselha até foi surpresa, mas se pararmos pra pensar não deveria ser. Existem três tipos de carros na Fórmula 1 atual: a Mercedes, que devora pneus como esfomeados americanos em concurso de quem come mais cachorro-quente, a Lotus, que os consome num ritmo anoréxico, e as demais, que gastam pneu num ritmo médio, como a maioria das pessoas se alimenta. A Lotus sempre vem de trás e vai avançando, e a Mercedes é sempre coelho de maratona, começa na frente e vai caindo.
    Por isso, minha torcida pela Jordan (pra quem não lembra, a Force India é a Jordan, após três mudanças de nome por compras e vendas, assim como a Red Bull é a Stewart – depois Jaguar -, a Toro Rosso é a Minardi, a Lotus é a Toleman depois Benetton depois Renault, e a Mercedes é a Tyrrell depois BAR depois Honda depois Brawn) no pódio também não deu certo. Pena, mas a Lotus é quase um adversário “imbloqueável”.
    Hamilton não tem muito o que fazer corrida, com um carro de treino. Fica nisso.
    Perez fez boa corrida, e ainda acho mais graç torcer pela evolução dele, com a incerteza que é, do que pelo Butão.
    O australiano não merece nem comentário. Aposenta!
    Já o asturiano tem o costume de tirar leite de pedra. Mas contra um piloto de mesmo nível com carro superior, não basta. Vai mostrar sempre um talento ímpar, mas sem levar campeonato.
    Chora Button! Tá reclamando do quê? O único prejudicado na colisão seria o Chesperito, então, senhor campeão do mundo, olha e aprende como se piloto com garra, com emoção, do jeito que os fãs gostam, e não como quem pilota com um ábaco e uma Maracujina dentro do cockpit.
    Nem vou tentar entender a corrida do Massa, mas o lado bom é que também não vou culpá-lo.
    Mas preciso faze um comentário sobre o Gutierrez (acreditem!). Claro que não é bom. Sabem a única coisa pior que o desempenho dele? É pensar que ele está no lugar de um dos 10 melores pilotos da última temporada (no mínimo). Imaginem se o Koba-San estivesse no lugar do Sato na Indy? Já teria umas 20 vitórias… aliás, uma categoria bem fraquinha em termos de matéria humana, tanto ele quanto Pérez ou Di Resta ou Hulkenberg ou Massa ou daí pra cima, com o devido tempo de adaptação e um carro minimamente decente (coisa que o Barrica não teve) seria campeão com um pé nas costas (vide Mansell já em forma de aposentado).

  6. [OFF-Topic]

    Quem viu a Nationwide ontem?
    Piquet Jr “encarnou” o pai!

    http://www.lancenet.com.br/motor/Nelsinho-Piquet-braco-adversario-Nascar_0_908909126.html

    Outro.

  1. Pingback: 34 - Bahrein - Tempestade no Deserto, Ferrari Gives You Open Wings e muito mais | Podcast F1 Brasil

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: