RIP Syd Watkins


Dr. Syd Watkins (1928-2012)

Pessoal, uma péssima notícia chegou ao mundo da Fórmula 1. Faleceu nesta tarde na Inglaterra o Professor Syd Watkins, de 84 anos, doutor, que por 28 anos trabalhou com o circo e que foi um nome fundamental para a evolução da segurança da categoria, que deixou de ser uma fábrica de defuntos, como foi até os anos 70.

Watkins formou-se em medicina na sua terra natal, Liverpool, tentou se aventurar em ralis, mas sem sucesso e fez o doutorado em Nova York, na área neurológica. Com isso, trabalhou no circuito de Watkins Glen (Aos desavisados, o nome do circuito não tem nada a ver com ele), antes de voltar a Inglaterra em 1970.

Sua carreira médica seguia normal até, 1978, quando ele atendeu um baixinho milionário que mexia com automobilismo. Sim, era Bernie Ecclestone. Após o bom serviço, bernie não titubeou e ofereceu ao Doutor Syd a missão de ser o chefe de medicina da “Categoria Máxima do Esporte a Motor”, pagando 35 mil dólares pela profissão, além de manter o consultório. Aceito prontamente, tinha a missão de cuidar das vítimas da carnificina que era a categoria dos anos 70, onde o índice de mortalidade era terrível.

Estreou no GP da Suécia em 17 de junho. Seis corridas depois, veio o primeiro trabalho duro. No dia 1o de setembro, exatamente 34 anos e 2 dias atrás, houve um múltiplo acidente na largada e Ronnie Peterson estava no meio de um carro em chamas. A Organização não deixou Watkins se aproximar do Lotus em chamas por 16 longos minutos. apesar dos esforços, o sueco não durou mais que 24 horas.

A partir de então após a conversa entre Syd e Ecclestone, foi inserido um carro médico que segue as primeiras curvas depois da largada, além de anestesista e helicóptero, desde a corrida nos States, justo no circuito onde trabalhou. Três anos depois, criou-se a Comissão Médica da Fórmula 1 que estabeleceu normas para recuperação dos pilotos.

Atendimento a Gilles Villeneuve

Mas o ano seguinte foi bem difícil. Primeiro foi Gilles Villeneuve, em Zolder, que teve sua vida prolongada até o ponto onda se imaginava como crítica a situação do piloto canadense. Depois foi Riccardo Paletti, preso em um carro em chamas. Os sapatos do Doutor derreteram enquanto ele tentava tirar o piloto italiano da Osella destruída. Mas em vão. Apenas a vida de Didier Pironi foi salva depois que o francês ficou gravemente ferido em Hockenheim.

Mas no decorrer dos anos 80 e começo dos 90, foram poucas vezes que ele teve que atender acidentes com gravidade em corridas. Salvou as vidas de Nelson Piquet em 1987 e de Gerhard Berger, dois anos depois, após acidentes na Tamburello, além de Martin Donnely, após um seríssimo acidente em Jerez, onde o piloto britânico foi salvo milagrosamente. Com o impacto desta panca, a preocupação emergiu entre os pilotos e um em particular, tornou-se grande amigo dele.

Ayrton Senna tornou-se um grande aliado de Watkins na missão de proteger as pessoas envolvidas com a categoria e buscou sempre as alternativas para a Fórmula 1 tornar-se segura. Entretanto, veio o fatídico Grande Prêmio de San Marino.

O acidente que ele queria ter evitado!

Atendeu a Rubens Barrichello e conseguiu salvá-lo do pior, mas no sábado foi impossível evitar a perda de Roland Ratzenberger. Usando de sua experiência, tentou convencer Senna a não correr no domingo, mas os compromissos comerciais aliado ao pedido de Bernie Ecclestone, não foi capaz de deter o brasileiro. O resto da história todo mundo já sabe.

Após aquilo, foi nítido o trabalho de segurança que a Fórmula 1 fez para evoluir no quesito e muito disso foi por conta de seus esforços. Ele ainda atendeu pilotos como Karl Wendlinger, em 1994, em Mônaco, Olivier Panis, no Canadá, em 1997 e Michael Schumacher, na Inglaterra, em 1999. Mas o trabalho que julgou como mais bem sucedido, foi com Mika Hakkinen, após a batida do finlandês nos treinos do GP da Austrália de 1995. O socorro ao piloto da McLaren chegou 30 segundos após a batida e foi essencial para salvar esta vida.

Escreveu três livros, com destaque para “Viver nos Limites”, sua autobiografia que conta as histórias já descritas e mais coisas. Aposentou em 2005, três anos depois de ser condecorado pela Ordem do Império Britânico. Nos últimos anos acompanhava as corridas e  presidiu O Instituto de Segurança do esporte a Motor da FIA até o ano passado.

Syd Watkins deixa um grande legado, tornando o automobilismo mais seguro, com carros mais bem protegidos, os circuitos com mais espaço na área de escape e com recursos que protegem os pilotos de praticamente tudo. Cumpriu sua missão aqui neste mundo com louvor. Vá em Paz, Doutor!

Fonte: Continental Circus

Publicado em setembro 12, 2012, em Automobilismo, Carros Célebres e marcado como , , , , , , , , , , . Adicione o link aos favoritos. 18 Comentários.

  1. E agora? Quem vai salvar os pilotos?

  2. Parabéns Casola, muito bem redigido e pesquisado. O cara fez história, graças a ele muita gente ainda está viva. RIP!

  3. Em 2004 fiz um texto, quando trabalhava num jornal, sobre os dez anos da morte de Senna com foco em Syd Watkins. Bela homenagem, Casola. Texto primoroso, como sempre.

  4. Eduardo Casola Filho

    Valeu galera pelo apoio.

    Posts futuros vão entrar com as 6 horas de São Paulo. Quem for, a gente se vê lá! Quem não for, aguarde por novidades!

  5. (Um post de silêncio em homenagem ao Doutor)…

  6. Sid e os 2 melhores pilotos de todos os tempos:

  7. Semana Farroupilha aqui no sul. Baile em galpão, churrasco e comida típica – Vaca atolada, Espinhaço mexido de ovelha, Carreteiro de charque, etc…e o frio voltou junto com chuva e vento…que beleza!

  8. Olha que cabra safado. O cara nao conseguia voltar a pista e fingiu desmaiar para provocar a bandeira vermelha:

  9. Vejam esta: http://tazio.uol.com.br/f1/schumacher-minha-melhor-lembranca-de-senna-e-quando-o-forcei-a-rodar-em-94
    Este palhaço perde o viço mas não perde a pose. O bunda branca (thanx Bidart) correu metade do campeonato com controle de tração, controle de largada e bomba de reabastecimento adulterada, inclusive naquela corrida no Brasil… ai vem contar vantagem… cadê ele?? tomar pau do Rosberguinha? Precisar roubar do Rubinho? Senna nunca perdeu para companheiro de equipe e morreu andando mais que o carro, ah e na frente deste merda… porca miséria! Tá igual a clePTocracia e seu “guia” luiz inácio lula da silva: Uma mentira contada várias vezes acaba virando verdade! 😈

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: