Momentos Históricos: Dois milagres brasileiros nas ruas do principado


Moreno fez o impossivel

Outro momento marcante nas ruas de Mônaco também completa aniversário de data redonda neste ano de 2012. Foi exatamente dez anos depois do confuso final de 1982, a Fórmula 1 chegava à Monte Carlo em um ambiente bem diferente daquela vez. Se não havia nenhuma perda  no ambiente da categoria e a preocupação com segurança não era um assunto dos mais comentados, a temporada não tinha o equilíbrio da década passada, com um carro superando todos os outros.

A Williams FW14B era o carro a ser batido. Nigel Mansell e Riccardo Patrese estavam muito à frente dos seus adversários nas cinco primeiras corridas. Especialmente o leão usou tudo do câmbio semiautomático, da suspensão ativa e do controle de tração para disparar na liderança do mundial, enquanto sua concorrência naufragava na tentativa de acompanhá-los.

A McLaren era um exemplo. Ayrton Senna sabia que havia perdido terreno  no topo desde o ano anterior e sabia que o já defasado motor Honda não fazia mais frente ao s potentes Renault do Tio Frank, sem contar a vantagem nos apetrechos, que a equipe de Working não conseguiu adaptar em seus carros. Não tinha como vencer os carros de outro mundo, como o próprio Silva denominou.

A Benetton vinha em ascensão, mas Michael Schumacher ainda era um piloto cru para liderar a equipe e Martin Brundle nunca foi um exímio acertador de carros. Pior estava a Ferrari. Desde a saída de Alain Prost, o carro daquela temporada era uma verdadeira bomba. Jean Alesi não conseguia fazer muita coisa, enquanto Ivan Capelli descobriu amargamente a fria em que se meteu.

O Brasil ainda tinha mais três brasileiros. Christian Fittipaldi, sobrinho de Emerson, fazia sua estreia pela Minardi, tentando aprender os macetes da categoria em uma equipe pequena, mas estável. Maurício Gugelmin saiu da March/Leyton House depois de quatro temporadas e vinha para tentar a sorte na Jordan, depois da boa estreia da equipe irlandesa no ano anterior, mas Tio Eddie enfiou os pés pelas mãos com o motor Yamaha, que parecia ser da Factor…

Mas a pior situação era a de Roberto Pupo Moreno. Depois de quase atingir o olimpo na Benetton ao lado de Nelson Piquet nas ultimas temporadas, topou um desafio que podemos dizer que foi para pagar os seus pecados: A Andrea Moda. A equipe era uma várzea total. O carro tinha tudo, menos estrutura de um carro. A equipe era cheia de fanfarronices. Alex Caffi e Enrico Bertaggia abandonaram o barco a tempo. Sobrou ao brasileiro e ao britânico Perry McCarthy a missão de “pilotar” a carroça.

WTF???

Nas primeiras corridas, o carro tomava cerca de 10 segundos em média dos adversários mais próximos. McCarthy passou por um papelão na corrida da Espanha, quando ficou parado há 18 metros da saída dos boxes, quando seu carro quebrou após a partida e o futuro “The Stig” (ele foi o primeiro) tentou tragicomicamente empurrar o bólido de novo aos boxes. Inacreditável.

Mas no principado, o tipo do traçado permitia à equipe italiana sonhar em colocar o carro os 30 que disputariam a classificação (no grid havia 34 para classificar, sendo que os quatro piores da sexta eram eliminados e os outros quatro da classificação também caíam fora, formando 26 no grid). Moreno conseguiu o feito, deixando para trás a Larrousse de Ukyo Katayama. Um feito incrível, mas ainda faltava a classificação.

E eis que surge o primeiro milagre brasileiro. Moreno só tinha condições de dar uma volta, senão o calhambeque iria se desmanchar todo. Ele foi lá e cravou o 19º tempo. Conforme o tempo ia passando, era torcer para que os outros não melhorassem. A segunda parte de uma da classificação (a primeira era na sexta e a segunda no sábado) se encerrava e o placar registrava: Roberto Moreno em 26º! Ele estava dentro! Salvou a barra da equipe e garantiu a chance de receber um pouco de grana da FOCA (atual FOM) por esta participação na corrida monegasca.

Lá na frente, nada de novo. As Williams sobrando, fechando a primeira fila com a dupla Mansell-Patrese. Senna partia de terceiro e sabia que suas chances de vencer pela quinta vez e igualar o feito de Graham Hill eram pequenas.

O domingo de 31 de maio parecia destinado a mais um show da equipe de Grove e dos carros de Adrian Newey, mas a sorte começou a mudar logo na largada, quando Senna superou Patrese e ficou em segundo lugar. Enquanto Mansell de distanciava da liderança, o tricampeão segurava a investida inicial do italiano e de Schumacher, mas conseguiu abrir uma vantagem confortável e se estabilizou na vice-liderança.

Já Moreno, não foi além das 18 voltas que o carro permitia sem quebrar algo, mesmo assim já tinham sete carros que pararam antes. Pelo menos deu para fazer aquela que seria a única vez que a sua escuderia estaria em um grande prêmio. Já fez demais! Gugelmin também ficou pelo meio do caminho, já Christian foi até o nono lugar naquela corrida.

Para a prova. O domínio do “Red Five” era absurdo. Tinha uma vantagem muito confortável para seus rivais, enquanto seu companheiro sofria as investidas do jovem alemão pelo lugar no pódio.

Já a Ferrari naufragava profundamente. Jean Alesi parava com problemas de motor, assim como Gerhard Berger, companheiro do Silva. Já Capelli abandonou depois de rodar na entrada da Rascasse, de um jeito bastante inusitado. Vejam vocês:

Senna ficou na dele, até a hora do aperto

Fora isso a corrida seguia sem grandes surpresas, quando de repente, a câmera foi mostrar Mansell e se deparou com o brasileiro na frente. (WTF???) Ninguém que não estivesse prestando atenção no inglês conseguia entender o que havia acontecido com ele.

O que aconteceu foi que o Leão deu um esbarrão no guard-rail, provavelmente entre a chincane e o S da Piscina e precisou parar nos boxes para trocar um pneu furado. O prejuízo estava feito e a transmissão da TV simplesmente perdeu TUDO!

Atrás na corrida, o britânico foi com tudo pra cima do tricampeão, afinal tinha um carro melhor e pneus novos em folha. Em poucas voltas, a vantagem de Senna foi completamente dilacerada. Faltavam três voltas e a Williams tinha mais ação, com as melhores possibilidades de ganhar a prova.

O que aconteceu foi uma das disputas mais incríveis da história. Senna usou todo o espaço da pista para se defender e Mansell ziguezagueava para pular na frente. Um duelo épico.

Senna venceu com muito esforço. A “McLaren mais larga da história”, como afirmou o Leão no fim da corrida não deu uma brecha sequer ao carro de outro mundo. Ao igualar as vitórias de Hill no charmoso circuito, o brasileiro marcava de vez o seu mito naquelas ruas. Mesmo sem ter o melhor carro, ele conseguiu a melhor de suas seis vitórias (viria outra em 93, para se isolar como o maior vencedor do GP monegasco), foi o segundo milagre daquele fim de semana.

Mais uma corrida histórica contada aqui. Abraço!

Publicado em maio 30, 2012, em Automobilismo, F1, Momentos Históricos e marcado como , , , , , , . Adicione o link aos favoritos. 17 Comentários.

  1. Duelo histórico do Silva com o Leão!!!!

  2. A velha piada do Fiat 147 animada em 3D:

  3. Parabéns pelo post Casola! Me fez reviver novamente este momento histórico. Eu de pé, copo de cerveja em uma mão, agarrado na cintura da namorada na outra e pulando feito um maluco, eheh demais!!! Depois da vitória só chamego… eheheh Valia a pena ver F1!! Abraços.

  4. A foto de cima nao esta aparecendo, so…

  5. Eduardo Casola Filho

    E o Matias também será Andry Bird

  6. Eduardo Casola Filho

    E descobriram TRETA no carro da Red Bull, mas a FIA já cortou as asinhas da turma dos energéticos.

    http://tazio.uol.com.br/noticia/fia-proibe-assoalho-polemico-da-red-bull-partir-do-canada/

  7. Moreno é BRASIL!!!… Pô, quando li que o Moreno fez o impossível pensei que ele tinha ido ao pódio na “Moda”. Andreia Modas é uma lojinha que tem aqui em um beco, no meu bairro.

  8. Uma de minhas memórias mais valiosas! Como eu vibrei naquelas 3 ultimas voltas! que saudade!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: