Pilotos Célebres – Tazio Nuvolari


Tazio Nuvolari - Il Loco...

Fala galera! Estamos de volta com mais um post PILOTOS CÉLEBRES!!!!

(música de ação)

Vocês já se perguntaram o porque daquele site do UOL se chamar TAZIO? Já me perguntaram “O que é Tazio?” e a resposta não é “o que é“, mas sim “quem é“, ou melhor “quem foi” Tazio.

Ainda jovem

Tazio Nuvolari, Il Montavano Volante, o Mantuano Voador, o popular Nivola. Esse cara sintetizou coragem e ousadia, e por 30 anos surpreendeu o mundo das corridas com seu arrojo e suas façanhas sobre duas e quatro rodas.

Tazio nasceu em 18 de novembro de 1892, em Castel D’Rio, perto de Mântua, filho de um fazendeiro. Seu tio Giuseppe era um comerciante de Bianchi e apresentou ao seu sobrinho o esporte à motor.  Após servir no exército italiano como piloto de motos de corrida, ele começou a sério com 28 anos. Seu toque foi notado pela equipe Bianch, da qual se tornou um membro e, eventualmente, campeão italiano.

A Lenda

os braços estão bem, já as pernas...

No Grand Prix de Monza para motocicletas, Tazio caiu feio durante os treinos livres. Isto resultou em duas (2) pernas quebradas!!! Depois dos médicos colocarem gesso em ambas as pernas, ele foi informado de que seriam pelo menos um mês antes que ele pudesse voltar a andar e muito menos pilotar motos de corrida. No dia seguinte ele pediu aos mecanicos que amarrarem ele na motocicleta. Os mecânicos tiveram que botar ele sentado na moto, amara-lo e ligar a moto no início da corrida. No final, tb foi carregado pra fora da moto…e como vencedor da corrida. A lenda de Tazio Nuvolari começou naquele dia…

o voador

Nuvolari começou a correr em carros de corrida em 1924 com a idade de 32 e ainda competindo em motocicletas. Em 1927 ele começou sua própria equipe, comprou um par de Bugatti 35Bs que compartilhou com seu parceiro Achille Varzi que também era um famoso piloto da motocicletas. Esta parceria viria a transformar-se em uma intensa rivalidade.

Nuvolari começou a ganhar corridas e Varzi ficou enciumado, deixando a equipe. Varzi, o filho de um rico comerciante, pode comprar equipamentos melhores, e comprou um Alfa P2. Com este carro ele tinha um melhor do que Nuvolari. E começou a ganhar tb.

Mas em 1929, o destino os uniu de novo. Tazio assinou com a Alfa Romeo e teria como companheiro de equipe seu rival, Varzi.

sem os faróis...

E mais uma vez, a lenda fez história. A Mille Miglia de 1930 entraria para a história quando Nuvolari, correndo em segundo (com Varzi em primeiro) usou de muita coragem (e maluquice tb). Já era noite e Varzi vinha controlando os carros atrás dele pelos faróis. Tazio simplesmente desligou os faróis de seu carro e correu às escuras! Faltavam apenas 3 km para a chegada quando Tazio passou Varzi, acendeu os faróis, deu tchauzinho e assumiu a ponta para não mais perdê-la. Um momento HISTÓRICO!!

Segura, peão...

Bem, para o Targa Floria de 1932, (um ano em que Nivola ganhou 7 das 16 corridas disputadas), uma corrida em que se levava um mecânico junto, Nuvolari pediu ao Enzo Ferrari um mecânico que pesasse tão pouco ou menos do que ele. Nuvolari chamou o mecânico, jovem e inexperiente que a Ferrari tinha dado a ele, e lhe disse que ele iria avisá-lo quando eles se aproximassem de uma curva particularmente difícil, para não assustar indevidamente o jovem. Quando eles se aproximaram de uma curva, Nuvolari gritava para o mecânico para ele se cobrir sob o painel. Após a corrida e mais uma vitória para Nuvolari, a Ferrari perguntou ao mecânico como ele tinha feito. “Nuvolari começou a gritar na primeira curva e terminou na última”, respondeu o garoto.“Eu estava deitado no fundo do carro o tempo todo.”.

 

Nuvolari, Caracciola e Ferrari

No dia 17 de Abril daquele ano (1932), Nivola venceu em Mônaco com a Alfa 8C 2300. Foi uma das muitas vitórias históricas do Mantovano. Tazio largou bem atrás e teve que fazer uma corrida de recuperação. Em poucas voltas passou de nono para terceiro. Os dois primeiros colocados, Louis Chiron e Czailkowski abandonaram e Nivola assumiu a liderança. O Alfa estava quase sem gasolina ao final, mas a vitória ficou com Tazio. A equipe da Alfa em 1932 era espetacular. Além de Nuvolari, a Alfa ainda tinha um tal de Rudolf Caracciola, simplesmente um monstro. Caracciola, apesar do sobrenome italiano, era alemão, e a grande promessa da raça ariana nas pistas. Mas no pré-guerra, com todas as fábricas sendo convertidas para armas, a Mercedes liberou Caracciola para correr na Alfa e fazer junto com Tazio, uma das melhores duplas de pilotos que o mundo já viu. Esta dupla não teve similar na história do esporte a motor. Talvez apenas duas vezes uma comparação possa ser feita. Quando Fangio e Moss pilotaram para a própria Mercedes nos anos 50, e quando Senna e Prost pilotaram pela Mclaren nos anos 80, ou Piquet e Moreno na Benetton em 1991.

Nuvolari e o P3

A estréia do P3 foi no GP da Itália, e Nivola venceu espetacularmente. Os Bugatti de Chiron e Varzi e o Maserati de Luigi Fagioli eram os adversários da Alfa. Aliás o Maserati tinha 16cilindros (utilizava 2 motores de 8 cilindros em linha!) com 330cv e 4.9 cc. Um monstro de carro de corrida. Durante a prova de Monza os Bugatti de Chiron e Varzi abandonaram com quebra de motor quando lideravam, e Borzachini foi atingido por uma pedra. O italiano entrou nos boxes e Caracciola o substituiu ao volante do Alfa Monza. Nuvolari e Campari correram com o P3 para maximizar as chances de uma vitória italiana em casa. Na briga entre Fagioli e Tazio, o Maserati era mais rápido que o P3, e a média do carro era de 182km/h! Mas graças a soberba pilotagem de Nivola, e a velocidade em curva maior do Alfa, além de um grande trabalho de boxe nos pits, comandado por Vitorio Jano, o Mantovano voador ganhou uma de suas principais e mais disputadas corridas. A consagração total como o maior ídolo da Itália na época foi o prêmio maior para Tazio. Nas ruas todos já usavam a expressão “a Nuvolari…” ou “como Nuvolari…” Viver como Nivola, ousar como ele e,  mais do que tudo, vencer e vencer. Até músicas eram compostas em homenagem a Tazio, como um dos maiores sucessos da época “Arriva Tazio”, que prestava homenagem ao grande nome e orgulho da raça italiana.

"Não sou muito chegado à freios..."

Em 1933 ele cravou ainda mais vitórias, 11 no total, mas se desentendeu com o gerente da equipe de Enzo Ferrari e partiu para sua própria “equipe” (não era bem assim na época, tinha-se 1 piloto, 1 carro e 1 mecânico). Durante a temporada Nuvolari comprou uma Maserati, modificada e adaptada pelo preparador preferido e mecânico pessoal de Tazio, Decimo Compagnoni. Na Irlanda do Norte, para a Corrida Troféu de Turismo, dirigiu um supercharged MG K3 Magnette. Depois de totalmente dominar a corrida, alguém lhe perguntou se ele tinha gostado dos freios do MG. Nuvolari respondeu “Não sei dizer, quase não os usei…”

Em 1934 Tazio teve vários acidentes (novidade…) mas o mais importante no ano de 1934 – e que afetaria Tazio no futuro – foi a entrada em cena das alemãs Mercedes-Benz e  Auto Union, que dominaram a temporada  com carros fantásticos e pilotos como Caracciola e Hans Stuck. Tazio não negava que gostaria de dirigir pela Auto Union, mesmo sendo ela apoiada pelos nazistas. Mas em 1932, ninguém fazia idéia das atrocidades de Hitler. Ademais, os caras queriam mesmo era acelerar aqueles monstros.

Hans Stuck veta Nivola

Hans Stuck, o piloto favorito de Hitler...

O caso é que Nuvolari não via problemas em pilotar um carro alemão, e em 1934 testou o Auto Union Tipo A de motor traseiro na Espanha, em San Sebastian, na Tchecoslováquia, e em Brno. Mas Hans Stuck não queria a contratação de Nuvolari. Como aconteceu muitas vezes na história do automobilismo esportivo, um piloto vetou a chegada de outro ás do volante por “receio”. O resultado é que Tazio voltou a correr para Enzo Ferrari e com as Alfa Romeo.

A melhor corrida da história do esporte à motor….

O fodão do bairro Peixoto...

Em 1935 depois de “induzido” a voltar à Alfa Romeo, a Auto Union então contratou o eterno rival do Nuvolari, seu ex-parceiro Achile Varzi. Nuvolari venceu logo na estréia em 1935, com a Alfa Tipo B P3, com aumento de potência e modificações a cargo da Scuderia Ferrari. Mas o maior feito da carreira de Tazio ainda estava por vir: O GP da Alemanha de 1935 em Nurburgring, dirigindo uma Alfa totalmente obsoleta, e contra o poderío da nação alemã e das Mercedes. Nesta corrida HISTÓRICA, Nuvolari dirigiu na borda irregular e às vezes sobre ela. E a busca incessante da Mercedes em alcançar Nuvolari, fez com que a equipe do Fuher abandonasse a prova com os pneus completamente queimados, e Tazio cruzou a linha de chegada em primeiro, diante de um monte de enfurecidos dirigentes do partido nazista, que se retiravam da tribuna, enquanto a galera alemã aplaudia de pé o desempenho do Mantovano Voador. Esta é considerada a melhor corrida da história do esporte à motor por muitos experts (que, obviamente, dará um post “Corridas Célebres”, por isso a falta de detalhes aqui, hehe…). Uma palinha no vídeo abaixo:

Ainda teve a Copa Vanderbilt nos EUA. A equipe tinha como pilotos Antonio Brivio, Nino Farian e Tazio Nuvolari. Tazio venceu até com facilidade, e o famoso troféu da Copa Vanderbilt era tão grande que o Mantovano Voador entrou dentro dele! O prêmio foi milionário: 85.000 dólares. Caso curioso é que nas apostas da máfia dos Estados Unidos, Nuvolari não era o favorito e os “chefões”, apesar de italianos ou descedentes, queriam que Nivola perdesse. Quem perdeu foram eles…Quando voltou para a Itália, Tazio foi aclamado definitavamente como herói nacional.

O troféu era maior que ele

Já em 1936, Nivola teve um grave acidente durante os treinos para o GP de Tripoli, mas como piloto célebre que foi, fugiu do hospital e tomou um táxi para a corrida, alinhou e terminou em sétimo, dirigindo um carro B (reserva)!!! Lenda é sempre lenda, e tem que agir como tal.

Em 1937, Tazio na Alfa 12C 36 passou por muitas dificuldades. Mas o mais triste para o Mantovano foi o que aconteceu fora das pistas. Seu filho primogenito, Giorgio, faleceu após grave doença em 27 de junho. Nuvolari soube da noticia a bordo do navio Normandia, rumo aos EUA para disputar a Copa Vanderbilt daquele ano…

1938: Finalmente Tazio guia pela Auto Union

DKW, finalmente

Após a morte de Bernd Rosemeyer, em 1938 (que morreu na tentativa de bater o recorde de velocidade na estrada Frankfurt/Darmstadt), a Auto Union estava desesperada por um piloto que pudesse dominar o seu carro de corrida com motor central, bicho indomável segundo alguns pilotos. Por insistência do Dr. Ferdinand Porsche que optou pelo italiano, Nuvolari ganhou o Grande Prêmio da Inglaterra em Donington. Em 1939, Tazio continou na Auto Union. Venceu então o Mantovano a ultima corrida antes da segunda guerra mundial: O GP de Belgrado, no dia 3 de setembro, dias antes do início do conflito. Uma corrida histórica, óbvio.

Apenas a II Guerra Mundial poderia parar Nuvolari, mas depois que a luta parou, Nivola voltou a correr, com a idade de 53 aninhos. Era 1946, e Nivola reaparece em cena, com aspecto abatido e envelhecido. Além disso uma nova tragédia pessoal o atingiu. O filho mais novo, Alberto, faleceu no dia 11 de abril com apenas 18 anos. Tazio continuou a vencer com frequência, mas a idade e a sua asma aguda, resultado de anos de inalar os gases do escapamemnto, teriam finalmente cobrado o seu preço. A ultima vitória absoluta de Nuvolari aconteceu no dia 13 de julho de 1947, no circuito de Parma, pilotando a Ferrari 125 SC. Portanto Nuvolari foi um piloto que venceu com a Scuderia Ferrari já desligada da Alfa Romeo. Foi ainda, e com toda a certeza,  um momento histórico sem dúvida nenhuma.

O piloto mais arrojado que já existiu...

Sua última Mille Miglia, em 1948, foi um momento histórico na sua ilustre carreira. Dirigindo como se estivesse possuído, seu carro levando uma surra terrível, acelerando ao longo, o capô de alguma forma se soltou do carro, e uma rajada de vento soprou sobre a cabeça de Nuvolari. “Assim é melhor”, gritou Tazio para seu mecânico aterrorizado, “O motor irá esfriar mais facilmente.” Com seu carro literalmente caindo aos pedaços sob seu esforço super-humano, a equipe o aconselhou a abandonar a competição, era loucura continuar sob tais circunstâncias, e se alguém, Nuvolari não tinha nada a provar. Nuvolari respondeu com o famoso gesto e acelerou ao longo da Via Emilia. Em Modena Enzo Ferrari tentou implorar ao velho amigo para se aposentar com dignidade quando percebeu que os restos do carro não iriam aguentar. Um acidente e, finalmente atingido na próxima perna, todos os três carros da frente estavam fora da corrida, incluindo Nuvolari, que danificou a suspensão traseira em Livorno, quando seus freios falharam. Parando em Villa Ospizio Nuvolari foi levado para uma igreja próxima, em que ele pediu ao padre local se ele poderia descansar enquanto seu mecânico telefonava para todos para dizer que o grande Nuvolari tinha se aposentado e ordenou um carro de turismo para levá-lo para casa. Após a aposentadoria, Enzo Ferrari escreveu para consolar seu piloto. “Eu disse a ele para se animar, sua corrida será seu próximo ano“. Ele respondeu: “Comendatore, na nossa idade, não há mais muitos dias como este, lembre-se e tente aproveitá-lo ao máximo que você puder“.

Talvez o maior de todos...

Tazio Nuvolari sempre disse que queria morrer no esporte que ele tanto amava, mas este seu desejo lhe foi negado. No dia 11 de agosto de 1953, uma quarta feira as 6 da manhã, nove meses depois de sofrer um derrame, o grande Tazio Nuvolari estava morto. Como era seu desejo, ele foi enterrado em seu uniforme que sempre usou para correr – a camisa amarela e calça azul.

Mais de 50.000 pessoas compareceram ao seu funeral. Enzo Ferrari, chegando em Mantua, parou na loja de um encanador para pedir direções. Enzo disse que estava lá para o enterro de Nuvolari. O homem, desconhecendo a identidade do motorista, murmurou: “Obrigado por terem vindo. Um homem assim não vai nascer de novo.”

Tazio Nuvolari, um piloto CÉLEBRE!

por Trapizomba, Il Grasseto Audace.

Publicado em outubro 31, 2011, em Automobilismo, F1, Pilotos Celebres e marcado como , , , , . Adicione o link aos favoritos. 44 Comentários.

  1. Eduardo Casola Filho

    Se misturar num caldeirão o arrojo do Senna com o Gilles, talvez desse uns 60% do que este cara tinha. Grande Tazio!

  2. Excelente post Trapi!!! Muito bom mesmo, nota 10.

  3. CLAP CLAP CLAP CLAP CLAP!!!!!!!

    Grande texto (literalmente), chefe Trapi!

  4. Excelente post, mesmo pq, eu nunca tinha ouvido falar nesse piloto.
    Essa coluna “pilotos celebres” sempre traz alguma coisa interessante.
    Só uma dúvida: o Tazio Nuvolari é da sua época, Trapi? Ehehe, brincadeira.

  5. Eu nasci um ano e meio depois que ele se foi. Uma pena ele não ter vivido uns 100 anos para ser exemplo vivo de arrojo e coragem.

  6. Cirillo e Pasta,estão mais para Debie e Loide do que para o Gordo e o Magro

  7. Eduardo Casola Filho

    E não é só piloto que sofre para se arranjar na F1. Tomara que a Rachel tenha melhor sorte que os pilotos vêm tendo.

    http://esportes.terra.com.br/automobilismo/gtbrasil/noticias/0,,OI5430294-EI16750,00-Exengenheira+da+Toyota+brasileira+batalha+para+voltar+a+F.html

    • Como as equipes tem acordo de cavalheiros pra limitar o nº de funcionários, imagino ser bem difícil pra ela retornar (nem por questão de competência – deve ter muita -, mas a fila deve ser imensa!).

  8. Espero que vcs tenham tido o mesmo prazer lendo esse post HISTORICO que eu tive escrevendo-o.

  9. Eduardo Casola Filho

    Felipe que abra o olho. Rosbife vem aí!

    http://esportes.terra.com.br/automobilismo/formula1/2011/noticias/0,,OI5449130-EI17068,00-Jornal+irritada+com+briga+Massa+x+Hamilton+Ferrari+pensa+em+Rosberg.html

  10. Eduardo Casola Filho

    Esta edição da Warm Up conta mais sobre os feitos do Nuvolari.

    http://www.revistawarmup.com.br/edicoes/10/

    – Na vitória em Nurburgring, em 1935, os alemães sequer cogitaram a hipótese de um piloto não-ariano ganhar a corrida e só tinham o hino germânico para tocar. Mas o Tazio era precavido! Sempre andava consigo com um LP que tinha o hino italiano e Hitler teve que engolir esta. Foi uma derrota esportiva tão dolorosa aos nazistas quanto a que ocorreria no ano seguinte com Jesse Owens, nas Olimpíadas.

    -A vitória de Donnington Park, em 1938, o Tazio ganhou após atropelar um veado na pista! E como prova do feito, empalhou a cabeça do animal e colocou em sua casa. Lá parece ser um lugar muito bom para vitórias históricas.

  11. Eduardo Casola Filho

    E o direito de resposta do Johnny Herbert

  12. Parabéns Trapi. Muito bem pesquisado e redigido. Mas Piquet (em fim de carreira) e Moreno?? Tá parecendo o Galvão-ufano-bueno! 😈

  13. Excelente entrevista com Felipe Nars…
    Stop & Go: Felipe Nasr

    Sabemos que chegar à F1 é uma coisa complicada e, por mais que você seja um piloto talentoso ou que tenha um futuro promissor, tem muitas outras coisas que contam na hora de chegar lá. Mas eu acho que essa situação está difícil justamente porque está faltando a nossa base

    http://grandepremio.ig.com.br/outrascategorias/f3/2011/11/02/stop+amp+go+felipe+nasr+10528709.html

    Pitaco: Go Felipe Nars, go !!!!!!

  14. Eduardo Casola Filho

    Capacete do Hamilton para as próximas corridas?😈

    http://twitpic.com/79vnma

  15. Eduardo Casola Filho

    Kubica ainda tá com a tala no braço faltando poucos dias para o teste. Acho que não vai dar.

    http://grandepremio.ig.com.br/formula1/2011/11/02/foto+kubica+e+flagrado+ainda+debilitado+antes+de+renault+decidir+2012+10528719.html

    • Caramba, coitado do cara, esta com o braço todo quebrado.
      Pensem bem, se o acidente foi há quase um ano e ele ainda está com o braço imobilizado, imaginem o tempo de fisioterapia que será necessário.
      Acho que o retorno dele vai ficar para o segundo semetre de 2012, se tudo der certo (infelizmente!).

  16. Eduardo Casola Filho

    Vejam o que rolou neste mundo desde a última vitória do Massa e consequentemente desde o título do Hamilton. Acho que a única coisa que voltou foi a rivalidade entre eles, mas não pela briga pela primeira posição😈

    http://esporte.uol.com.br/album/111102massa_album.jhtm?abrefoto=1#fotoNav=1

    E duas coisas que podíamos nos lembrar, a gente se reunia no Fórmula UK do Lancenet! Lembram?

  17. Post excelente, piloto muito pH oda.

  18. Excelente post Trapi mas, muito longo…
    (kkkkkkkkkkk)

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: