Pilotos Célebres – Gilles Villeneuve


Joseph Gilles Henri Villeneuve nasceu no dia 18 de Agosto de 1950, em Quebec, Canadá. Ele cresceu no meio de corridas de snowmobile e a Formula Atlantic. Gilles inclusive creditava alguns de seus talentos ao snowmobile: “Todo inverno, dava pra lembrar de uns 3 ou 4 saltos na neve, isso à uns 160km/h! O snowmobile escorregava pacas, o que me ensinou controle de direção. E a visibilidade era péssima, a não ser que voce fosse o lider. Bom treino para as reações! E me ensinou a não me preocupar em correr na chuva.”

Em 1976, Villeneuve dominou o campeonato de Formula Atlantic correndo por uma equipe tão pobre que o deixou a pé de algumas corridas, por não ter a grana nescessária para a inscrição. Tanto talento em situações tão adversas, despertou o interesse da McLaren, que o contratou.

Gilles e El Comendatore

Na temporada de 1977 Gilles estreiou em Silverstone, fazendo parceria com James Hunt e Jochen Mass. Durante a temporada, Gilles foi bem e já despertava interesse em outros times de ponta. Com a Malboro apertando o orçamento, Teddy Mayer não teve outro jeito se não dispensar o jovem talento. Mas em Agosto de 77, Gilles recebeu um telefonema de Maranello. O “Comendatore” Enzo Ferrado ligou para Gilles e disse que ele o lembrava do grande Nuvolari (Tazio Nuvolari, outro completo maluco. Correu de moto com as pernas quebradas e dirigiu na Mille Miglia de 1930 com os faróis desligados a noite…). Começava a breve mas intensa parceria entre Gilles e Ferrari.

Gilles

Na Ferrada, Nikki Lauda estava queimado na parada (e já tinha anunciado que sairia ao final da temporada) e o comendatore botou Gilles pra correr no GP do Canadá de 77. Gilles chegou em 12, na frente do atual campeão James Hunt. Nada mal. Mas depois, os percalços já começavam a dar as caras. Saiu da pista algumas vezes por escorregar no óleo de outros carros. No Japão, de novo o carro saiu da pista, desta vez vitimando alguns espectadores…

Em 1978, em casa no Canadá veio a primeira vitória. Essa corrida foi uma corrida HISTÓRICA! pois foi não só a primeira vitória de Gilles, mas tb porque foi a primeira corrida de Nelson Piquet pela Brabham, sua primeira chance com um carro bom. Um momento HISTÓRICO!!!!!

"Se me concedessem 3 desejos, um seria correr de carro, o segundo correr na F1 e o terceiro correr pela Ferrari"

Mas voltando ao Villeneuve…Depois da vitória no Canadá, a primeira das suas 6 vitórias na Formula 1, Gilles foi se firmando como um dos pilotos mais arrojados do grid. Em 1979, ele foi o vice-campeão, perdendo o título para seu companheiro de equipe Jody Scheckter. O problema é que todos sabiam que Jody tinha um carro muito melhor e a preferência da equipe. O vice-campeonato veio com gostinho de campeão. A imprensa toda o aplaudiu, apesar de também o criticar por não saber economizar o equipamento.

O estilo “tudo-ou-nada” de Villeneuve era sua marca registrada. Em Watkins Glen, EUA, no primeiro dia de classificação, sob forte chuva, Gilles chegou a andar 11 segundos mais rápido que os outros pilotos! Em 79, no GP da França em Dijon, Gilles participou do maior pega da história do automobilismo, ao disputar o segundo lugar com Arnoux e seu Renault turbo pelo segundo lugar. E levou. Outro momento histórico.

Gilles em Mônaco

Lauda disse sobre Gilles: “Ele foi o demônio mais maluco que já cruzou a Formula 1…e ao mesmo tempo uma pessoa super doce fora das pistas”. Gilles sempre corria o risco em proporções enormes, mas os pilotos sempre o admiraram por nunca ter posto a vida de nenhum deles em risco, só a própria.

Na última volta em Imola, 1982, Gilles lidarava folgado, ou assim ele achava, quando foi ultrapassado por Didier Pironi. Gilles sentiu o golpe e, 2 semanas mais tarde, em Zolder, querendo apagar o segundo lugar da corrida anterior, num sábado de classificação,  Gilles vinha voando baixo quando numa curva, deu de cara com a March bem lenta de Jochen Mass, que tentou desviar, mas Gilles não conseguiu desviar, esfarelando seu carro no muro. Gilles foi reanimado no local, mas faleceu ao chegar no hospital.

Mesmo sendo algo que não poderia ser classificado de surpresa, sua morte chocou a todos na Formula 1. Seus adversários o respeitavam. Arnoux depois confessou que chorou no dia de sua morte, e no também no dia seguinte.

"Eu não consigo pensar que posso me machucar seriamente. Se voce acredita que isso possa acontecer, como voce pode fazer o seu trabalho? Se voce pensar nisso, voce não dirige 100%, só dirige pela metade."

Gilles Villeneuve, um piloto célebre…

por Trapizomba, um autor célebre.

Publicado em junho 23, 2011, em Automobilismo, F1, Pilotos Celebres e marcado como , , , , , , . Adicione o link aos favoritos. 15 Comentários.

  1. Eduardo Casola Filho

    Tô achando que o GD vai aparecer por aqui a qualquer momento para armar o barraco em relação ao Gilles.😈

    Brincadeiras à parte, o Gilles foi um piloto especial. Quis o destino que não fosse campeão, pois a Ferrari não deu um carro confiável nas suas mãos, embora a forma alucinada de dirigir um Fórmula 1 fosse capaz de destruir qualquer bólido. Mesmo assim, foi diferenciado de tudo que houve na categoria. Por isso marcou aquela época e ficará marcado eternamente

    • Vc confirma q o motor será V6? Vi uma matéria em que se afirma que o V6 foi descartado. Outra coisa, se será V6 melhor seria 1.8 pois aí era só tirar dois canecos e a bagaça estaria pronta, claro que limitando os giros mais embaixo pq 1.8 turbo dá potência para assustar a maioria dos moleques que estão na F1. Vamos ver o desenrolar disto.

      • Eduardo Casola Filho

        Pelo que sei o motor seria de 4 cilindros. E nem seria em V. Vai saber o que vai sair deste mato!

      • A ultima informação disponível é que o motor de 2014 foi alterado para V6 turbo com 1,6 litros, injeção direta de combustível, auxiliado por um KERS.

        O desejo inicial da FIA era que fosse um 4 cilindros em linha 1,6 litros como nos anos 80, mas houve pressão da Ferrari e Mercedes para que fosse adotado a configuração em V e 6 cilindros.

        A Ferrari não deseja desenvolver uma tecnologia de motor 4 cilindros em linha, pois não usaria nos seus carros de rua.

  2. Apesar de diferentes, o cara que me lembrava mais o Gilles era o Senna.

  3. Parabéns pelo post. O Gilles merece qq lembrança e homenagem. Ele era de outro planeta e fazia a F1 espetacular na época.
    Nomes como Fangio, Jochen Rindt, Emerson, Villeneuve, Senna, Piquet, Mansel, Montoya, Cirilo, Petterson, etc dão tempero à categoria top do automobilismo.
    Lembrar de Prost, Damon Hill, Jaqques(aquele canadense que não merece o sobrenome que tem qdo o assunto é F1) e tantos outros é pura perda de tempo e gasto de memória.

  4. Eduardo Casola Filho

    Antecipando ao Telo, uma efeméride! Há exatos 20 anos era criado Sonic The Hedgehog, para o Mega Drive. O ouriço foi tema para um post recentemente. Lembram-se?

    https://f1socialclub.wordpress.com/2011/05/31/sega-e-williams-irmas-de-luta/

  5. El Chueco,Villeneuve I.
    Só faltam agora o Jim Clark,o ,Jochen Rindt,o Alberto Ascari…….

  6. Grande post, Trapizomba. Lembro pouco de Gilles ao vivo, pois morreu apenas no segundo ano em que eu acompanhava F1 e eu tinha apenas 9 anos, mas o material disponível dele na net mostra que foi um grande piloto e acho que acabaria sendo compeão do mundo.

  7. Tempos e pilotos que não voltam mais. Pilotar um f1 a 270km/h trocando as marchas com uma das mãos e segurando o carro com a outra… Bons tempos. Verdadeiros Deuses.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: