Só porque eu sou negão?


por Marco Bidart

Como diria Caetano: "Eu sou neguinha"

Nem será preciso recorrer aos interstícios mais recônditos da minha mente para catar uma dúzia de situações em que fui (muito) politicamente incorreto, apesar de detestar essa terminologia.

Certa vez, ainda com dezenove anos, abusei da sinceridade para ganhar uma guria, negra, linda, boa pessoa, sensível e inteligente. Nunca fui do tipo conquistador, galanteador ou galinha, e até me orgulho de sempre ter falado a verdade para cada mulher que conheci, fato que sempre me rendeu amizade sincera do sexo feminino. Nada de grosserias, excessos, comentários indesejáveis mesmo que perfeitamente embasados. Até as verdades tem o momento certo de serem ditas.

Ou não.

Contudo, sempre há aquele momento em que você é forçado, instigado, convidado ao vacilo, e foi o que aconteceu naqueles tempos, quando detonei um rival dizendo a verdade, dura e inconveniente. Acontece que o coração – y otras cositas más – da moça estava balançando entre um amigo comum e eu. Como cheguei tarde na briga, corria com desvantagem. Fui à luta e na hora de decidir a moça queria saber porque o ‘outro’ havia desistido tão facilmente. Eu sabia, pois o cara me contou. “Porque você é negra”, disse-lhe. Ela se chocou? Claro. Suas dúvidas caíram por terra? Claro. Ela se jogou prontamente nos braços do Marcão? Claro.

O detalhe é que eu havia bebido e estava com um baita tesão. Na hora da decisão não hesitei nem um instante, até porque, como diz o ditado, #@*&#§!  não tem amigo. No dia seguinte contei pro cara o que fiz e ele levou na boa, mas me censurou por tê-lo entregado. Somos amigos até hoje.

Afrodescendente com problemas mentais...'dilícia'

O mesmo não aconteceu com as gurias da turma daquela época. Ficaram sabendo e viraram a cara pra mim. Uma, em especial, não podendo me catalogar como racista, espalhou aos quatro ventos que eu era um grosseiro, insensível e mau caráter. Coisa de pentelha.

O certo é que minha atitude, segundo os parâmetros atuais, seria ‘politicamente incorreta’. Na balança da época, vinte anos atrás, foi uma ‘apelação’. Sim, eu apelei, mas falei a verdade e me dei bem. Agora, como costurar a cueca rasgada da moral e da ética sob o olhar desavisado do começo dos anos noventa em comparação com a merda da opinião pública particular e tendenciosa dos dias de hoje?

Quando analiso os comentários do Luisinho World Champion, sobretudo este último que pareceria ter nuances de um racismo às avessas, mais me convenço que ele está tirando um sarro da nossa cara. “Pô, bixo! Só porque eu sou negão?” Globalizados que somos, caímos no conto do negro revoltado contra a Fórmula Branca e emitimos juízos de valor sobre algo que não tem valor nenhum, assim como nenhum valor tem para mim esta porra de mundinho politicamente correto, chato e covarde.

Sem querer usar Lewis Hamilton como exemplo de nada, até porque ele não o é, o que me motivou a escrever sobre um tema tão insosso é estar realmente cansado de toda essa baboseira midiática que cerceia e tutela nosso comportamento e a nossa expressividade natural.

Monteiro Lobato estaria 'fudido' hoje em dia...

Cara, a vida está se tornando um aquário de pó-de-arroz. Somos como peixes de plástico que ficam nadando a seco numa terra agonizante. E vejam só a bosta de analogia que escolhi! E percebam a quantidade de palavrões e frases de baixo calão que estou usando! Eu cheguei a postar uma foto minha cagando num blog que muitas mulheres lêem! Eu sou um monstro escroto!

Perdão, mulheres não cagam? …sorry, pensei que cagassem…

É, já tive bom senso uma vez, hoje apenas non sense. O problema de toda essa história, a verdade que a enfraquece e a torna patética é que o mesmo guru do bom mocismo que brada ao mundo o quanto este ou aquele sujeito é politicamente incorreto com determinada atitude que teve, filma uma transa com uma prostituta na penumbra, regado à Viagra 36 Horas, para postar depois na Internet, satisfazer uma tara doentia e dar uma de bonzão para os amigos online. Os politicamente corretos, acredite, são bem mais escrotos que este texto. A vida não é como querem nos convencer que deve ser. As novas tecnologias da informação piraram a cabeça de muito pai de família antes considerado modelo. Os adolescentes vendem seu corpo virtual para sites de pornografia todos os dias, bilhões de vezes por dia. Existe um submundo virtual nojento, sujo, degradado e degradante que está ao alcance de quem queira acessar. Basta ter banda larga.

Boa pedida, Fernandinho...

Como não será mentirosa a moral que tentam nos vender que até FHC quer que liberem a maconha. E ele está certo. Liberem tudo, despolitizem o que é correto e politizem o que é incorreto. Daqui a pouco estará comprovado definitivamente que usar celular todos os dias causa mais câncer que queimar canabis uma vez por semana. E a erva danada estressa bem menos.

O resultado dessa inequação de sexagésimo nono grau chamada Novo Milênio será algo tão imprevisível quanto previsível é cada reação dos bons moços da mídia, essas bactérias moralistas que sonham em evoluir e se tornar um foco infeccioso cada vez mais poderoso, prestes a apodrecer o que resta de bom no ser humano: sua liberdade de pensamento, sua espontaneidade, sua originalidade.

Quando vejo o filme pornô que se tornou nossa sociedade, na norma e na forma, quando vejo quão banal é se autodestruir, entendo que racismo, homofobia e certos tipos de preconceitos étnicos são atualmente nossos menores problemas, mesmo que sirvam, muitas vezes, como desculpas para guerras.

Que nada. Nem a guerra me preocupa, pois foi guerreando que chegamos até aqui. O que me preocupa, de verdade, não é a morte do corpo e sim a morte da alma e do coração da humanidade. Tenham certeza de que quando já não tenhamos mais pelo que nos matar, é porque já estaremos mortos, transando em vídeos de três minutos na Internet ou nos drogando em baladas plastificadas.

Concluindo, deixem o Luisinho em paz, fazendo piada da sua condição afroinglesa. Existem coisas bem mais importantes para nos preocupar.

O lado politicamente incorreto do politicamente correto

Publicado em junho 1, 2011, em Atualidade, F1 e marcado como , , , , , , , , , . Adicione o link aos favoritos. 42 Comentários.

  1. Opa, um post seu não poderia deixar de comentar.

    Essa regra de ser “bom moço” tá por fora. Quanto ao politicamente correto nunca fui e acho q quem o diz ser é mentiroso, pois todos tem suas idiossincrasias.

    Bom é isso ai fui pessoal e de novo tudo de muito bom pra vocês.

    Parabéns pelo seu dom Bidart!

    Pra quem tem meu msn estarei sempre on. abraços!!!!!

  2. Velhos amigos…!

    Outro dia estava no mercado quando vi no final do corredor um amigo da época da escola, que não encontrava há séculos. Feliz com o reencontro me aproximei já falando alto:

    – Oswaaaaaldo, sua bichona! Quanto tempo!!!!

    E fui com a mão estendida para cumprimentá-lo. Percebi que o Oswaldo me reconheceu, mas antes mesmo que pudesse chegar perto dele só vi o meu braço sendo algemado.

    – Você vai pra delegacia! – Disse o policial que costuma freqüentar o mercado.

    Eu sem entender nada perguntei:

    – Mas o que foi que eu fiz?

    – HOMOFOBIA! Bichona é pejorativo, o correto seria chamá-lo de grande homossexual.

    Nessa hora antes mesmo de eu me defender o Oswaldo interferiu tentando argumentar:

    – Que é isso doutor, o quatro-olhos aí é meu amigo antigo de escola, a gente se chama assim na camaradagem mesmo!!

    – Ah, então você estudou vários anos com ele e sempre se trataram assim?

    – Isso doutor, é coisa de criança!

    E nessa hora o policial já emendou a outra ponta da algema no Oswaldo:

    – Então você tá detido também.

    Aí foi minha vez de intervir:

    – Mas meu Deus, o que foi que ele fez?

    – BULLYING! Te chamando de quatro-olhos por vários anos durante a escola.

    Oswaldo então se desesperou:

    – Que isso seu policial! A gente é amigo de infância! Tem amigo que eu não perdi o contato até hoje. Vim aqui comprar umas carnes prum churrasco com outro camarada que pode confirmar tudo!

    E nessa hora eu vi o Jairzinho Pé-de-pato chegando perto da gente com 2 quilos de alcatra na mão. Eu já vendo o circo armado nem mencionei o Pé-de-pato pra não piorar as coisas, mas ele sem entender nada ao ver o Oswaldo algemado já chegou falando:

    – Que porra é essa negão, que que tu aprontou dessa vez?

    E aí não teve jeito, foram os três parar na delegacia e hoje estamos respondendo processo por HOMOFOBIA, BULLYING e RACISMO.

    Moral da história:

    Nos dias de hoje é um perigo encontrar velhos amigos !

  3. Salve Bidart!!!

    As vezes não sei o que pensar sobre o assunto… e não sou daqueles que pensa que tudo tem seu lado bom, pois acho que não é assim, quando aqui em terras tupiniquins tudo era proibido, o bicho pegava pela liberdade, agora que quase tudo é liberado, o bicho pega para que seja proibido… ontem assisti uma reportagem sobre o Funk, e uma coisa me surpreendeu muito, quando os homens funkeiros foram perguntados sobre o que acontece nos bailes funk, muitos diziam que lá só tem “coisa boa”, mas quando foram perguntados se deixariam suas filhas de 17, 18 anos irem ao baile, todos disseram não!!! Então o que é??? Faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço??? Lá não tem coisas boas??? Não existe apologia à nada??? Acho que até mesmo os mais liberais sabem muito bem onde o calo aperta e muitos que se dizem conservadores tem também o seu lado “Devassa”!!!

    Hoje faço aniversario, ultimamente tenho pensado em tratar essa data como qualquer outra, mas pensando bem é o unico dia do ano tirando as festas de natal e ano novo que eu posso tomar todas sem minha mulher no meu ouvido, e como estou sem carro hoje… feliz será o dono do boteco que irei beber hoje!!! 😀 :mrgreen: 😈

  4. Na verdade todos que querem ser politicamente corretos (frente a cameras de TV) na verdade são HIPÓCRITAS!

    É a mesma cambada de sempre querendo, ensinar o padre a rezar a missa, ou mesmo até o próprio padre rezando a missa de cuecas!

    As favas o tal “politicamente correto” e tava mais do que na cara que o Hamilton tava querendo aparecer com uma declaração dessas, isso é mídia na certa!
    Esse mundo tá é precisando dar uma “resetada” ou uma “formatada”.

  5. O cara não fez piada de sua condição de negro. Ele se aproveitou de um bordão de um personagem (Ali G) interpretado por Sacha Baron Cohen (Borat), que é BRANCO, para justificar as coisas que acontecem com ele no humorístico. Essa imprensa sebosa, na ânsia de conseguir audiência, distorce a notícia e nós, como bons burros de carga, engolimos isso sem sequer irmos atrás do que realemente é verdade ou mentira.

    Veja a foto de Ali G neste link e veja se não foi apenas uma piada irônica. Hamilton sequer suscitou racismo nesse caso. E ainda dizem que somos a “sociedade da informação!”

    • Tá bom, faço o mea culpa, também caí no conto da imprensa. Mas aí, quem nunca foi iludido?
      Aí é que está: ser “politicamente correto”, sem precisar tentar seguir isso, é aceitável (e muito!) quando é natural e autêntico da pessoa (afinal, estamos defendendo a autenticidade em lugar do fingimento), consequência de sua educação. O inaceitável é o sujeito ser correto só da boca pra fora, ser hipócrita. Se for correto com sinceridade, sendo verdadeiro, pra mim tá ótimo.
      Agora, o caso é que acho que o Hamilton tem algum complexo de perseguição, sim (não estou dizendo que ele ache que tem algo a ver com a cor da pele dele), pois faz as porcarias e depois reclama de ser punido. Mas isso é outra história.
      E fora a liberação da maconha, não tenho como não concordar com o Bidart, o Bidart que conhecemos.

  6. Marcelo (Cascavel)

    Sensacional o texto!!! assino embaixo

  7. Euclides Palhafato (Perro de Cofap)

  8. Bidart, mulheres além de “khr” fazem coisas piores:

    kkkkk

  9. Parabéns pelo post, Bidart !!!
    O que acho mais incrível é que, atualmente, vivemos um paradoxo… Uma onda de atos politacente corretos e a ditadura dos eco-chatos, mas em contra-partida vemos todos os dias atos de extrema intolerância, indivudalismo, falta de educação e desrespito ao próximo…
    É…. O ser humano é um bicho muito estranho mesmo !!!!

  10. Guilherme Diniz

    Bidart….amigo sincero de mulher é viado! Isso foi uma confissão?

  11. E como o relógio não para… Vamos às efemérides de hoje:

    Aniversário de Ron Wood, baterista do Rolling Stones e do finado The Jeff Beck Group

    E no dia de hoje, em 1967, os Beatles lancavam o mítico disco Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band, que mudou a história da música para sempre… http://www.youtube.com/watch?v=JOO8-Jp-xsg

  12. Cavaleiro que diz ní!

    “Eu cheguei a postar uma foto minha cagando”: sério, eu pedei enquanto lia esta frase. Hahahahah!…

  13. Cavaleiro que diz ní!

    “Eu cheguei a postar uma foto minha cagando”: sério, eu peidei enquanto lia esta frase. Hahahahah!…

  14. Euclides Palhafato (Perro de Cofap)

    A legenda do bolo é ótima…. e a charge do FHC, nem tanto… coitado dele, tá degustando uma folha, manda o Gil falar pra ele que é o grande barato é a fulô, manda, Caê!
    Lewis H. sempre é punido, não tem uma corrida que ele não seja punido, se não pelo regulamento, via difamação em comentários morféticos. Tá certo, ele, de continuar barbarizando. O Queixada tocou o foda-se durante bons anos e jamais gozou desse privilégio que o Hamilton tem, de ser punido em todas as fodas, e poder se satisfazer reclamando… o shucrute reclamaria talvez do assento da privada duro demais, do lanche sem o pão de centeio, mas acho que nunca teve nada do que reclamar. Se o cara tem do que reclamar, e faz por meio da cor, isso só pode ofender quem tem de fato algum preconceito. Puniram ele por um acidente imbecil do Massa sozinho, como pode isso? Quem é que não reclamaria? Se fosse eu, que não sou negro, falaria assim: ‘deve ser pq eu fumo maconha’. Se fosse outro (nao vou dizer quem), falava assim: ‘deve ser pq eu sou gay’. Mas o Bidart matou o bixo: deve ser delicioso ser o piloto mais foda, e ser chamado de irresponsável pelos tontos, quando o resto do mundo sabe que acidentes de corrida acontecem, mesmo. Isso pede a avacalhação… e ele avacalha, sem medo das bixinhas da BBC ou dos blogs.

    Vejam só que ironia – o único preto e o único japa são os que vão pra cima com tudo. Se o japa tivesse num carro melhor, aí o Hamilton teria que arrumar outra coisa pra falar. ‘Só pq eu namoro uma tremenda gostosa’.

    Mas eu acho que qualquer preto reclamando de preconceito é um ato honesto, seja pra se aproveitar, seja pra tirar o sarro, seja pro que tiver de ser. Pode ser covarde, sarrista, ou o que for, mas o fundamento é vivo. Até hoje a Africa é o continente-curral, e as balelas e baboseiras do tipo U2 bastam para sossegar os preocupados.

    A coisa da cota racial, pisoteada por um zé mané daqui, tem meu total apoio.

    • Concordo em gênero, número e grau com você. Se os caucasianos foderam com os negros por séculos, os negros tem é que nos foder mesmo e pra valer. Também concordo com as cotas. É o resgate natural de uma dívida histórica. Cabe a nós, brancos, herdeiros de uma dívida dos nossos antepassados, resgatar essa promissória. Não é o justo, porém é o certo.

    • Boa, Perro!!!

  15. Bidart simplesmente genial!

    É uma linha tênue entre a hipocrisia e o bullying. A gente não consegue acertar. Talvez se a hora de revermos o nosso estilo de vida as coisas podem mudar. Se colocarmos no lugar dos outros, até poderemos entender melhor como funciona a nossa sociedade. Este talvez seja meu desafio enquanto jornalista.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: