QUEM IRÁ PARAR BOLSONARO?


Bom dia, cabras! (acho que todo mundo vai saber quem escreveu isso, né?)🙂

A clonagem é uma realidade!

Há alguns dias atrás, escrevemos aqui, nesse mesmo batlocal, um post crítico sobre a estarrecedora entrevista que o deputado jair bolsonaro (com minúsculas mesmo), concedeu ao programa jornalístico-humorístico CQC. (O post pode ser lido neste link: http://migre.me/4wSyU ).

Não satisfeito com a repercussão negativa daquela entrevista e com a consequente justificativa que deu (cagou e limpou a bunda com canjica!), bolsonaro, após a aprovação da união estável dos homossexuais, mandou publicar 50.000 exemplares de uma cartilha já conhecida popularmente como cartilha antigay, onde critica o Plano Nacional de Promoção da Cidadania e dos Direito Humanos de LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais e Travestis).

A arte de rasgar a Constituição.

O inqualificável deputado mais uma vez vem a público expressar suas idéias que ferem frontalmente a Constituição Brasileira e, consequentemente o Tratado de Direitos humanos (do qual somos signatários) sem nenhum constrangimento. E o faz não por ser um destemido, mas sim porque possui prerrogativas legais para tal: a imunidade parlamentar.

A imunidade parlamentar, em linhas gerais, foi criada para proteger os legisladores , dando autonomia e e independência no exercício de suas funções, contra abusos cometidos pelo chefe do executivo e pelo judiciário, principalmente para não se repetir o que aconteceu durante o governo militar.

No entanto, como podemos perceber, a imunidade simplesmente perdeu a finalidade. Vivemos em um Estado Democrático de Direito consolidado, e esse tipo de prerrogativa está dando liberdade para que alguns legisladores, em especial o deputado em questão, pratiquem crimes (racismo), como o visto na entrevista dada ao CQC e firam a carta política de nosso país.

Parece até brincadeira que, após tantas manifestações contrárias ao posicionamento desse sujeito, ninguém parou para refletir sobre o mal que a tal imunidade causa à sociedade e à ordem pública. O que deveria ser um representante do povo está incitando a violência contra outras pessoas, em nome da “moral e dos bons costumes”. Como ficam as liberdades e garantias previstas na Constituição?!

Precedente para a volta da repressão!

A liberdade com a qual o referido deputado está agindo abre precedentes perigosos. Suas palavras irresponsáveis estão fomentando a violência contra os homossexuais. Pelo visto, até a quebra de decoro parlamentar é protegida pela imunidade parlamentar.

Um viva à ditadura!

Dessa vez nem eu poderei os defender!

Torcedor.

Publicado em maio 13, 2011, em F1. Adicione o link aos favoritos. 32 Comentários.

  1. Cada ser humano é livre para viver da forma que lhe bem entender! Pré-conceitos são uma forma de irracionálidade,e eu sou evoluído o suficiênte para não os ter! Viva a vida,o que importa é o sorriso no rosto! : )

  2. Mais um post campeão de audiência!🙂

  3. O padrinho da minha filha é bissexual não devidamente assumido por conta da hipocrisia, aliás, o que muitos denominam pré-c0nceito, pra mim é pura hipocrisia mesmo. Esse mesmo senhor tem dois filhos adotivos, sendo um deles portador de necessidades especiais. Ou seja, meu amigo ‘viado’ é mais ‘homem’ que muito machão que anda por aí dizendo que arrota caldo de b…!
    Desculpem, mas nossa sociedade é muito hipócrita mesmo. Na cidade em que moro, pequena, com 80 mil habitantes, repleta de ‘homens com H’, os travestis andam de carro zero quilômetro comprado só com o lucro do ‘ponto noturno’. Detalhe, trabalhei num jornaleco local e numa matéria que não me deixaram publicar entrevistei dois dos mais conhecidos ‘profissionais liberais da noite’, onde eles explicam que seus melhores clientes são os enrustidos de classe alta casados que mandam seus empregados ‘recolhê-los’ no começo da noite, cedo mesmo, e os levam para cafofos de subúrbio onde os seus ‘clientes’ os aguardam, prontos para serem enr…(!) por ditos profissionais. Tais enrustidos preferem os serviços das bonecas da noite pois assim não se sentem culpados de terem relações com homens. Doentio como nossa sociedade.
    Tive acesso a nomes (claro que nunca revelei) e fiquei espantado com o que ouvi, pois muitos desses cavalheiros eu conheço e sei que tratam as mulheres como lixo de consumo, alardeando sua macheza e virilidade. Bull shit!
    São vítimas? Nesse caso são, pois se o pré-conceito que muitos deles estimulam por falta de coragem para se assumir fosse realmente uma coisa não aceita pelas pessoas, homens e mulheres, não seria necessária sequer uma lei para punir.

  4. Patrick, é o Lula apanhando na foto?:mrgreen:

  5. Democracia é uma merda. Esse grana-no-Bolsonaro é a maior prova disso. Esse negócio do povo no poder é a maior roubada.

    Quando pobre toma o poder, acontece isso aí, vide o Lula. É champagne, muito desvio de verba, e por aí vaí…Ninguem é honesto nessa porra.

    Dito isto, teremos que acabar com o voto obrigatório! Isso já ajudaria um monte…Sim, pq o pobre não quer saber quem está lá em cima mamando. Ele vota por uma dentadura nova, ou uma cesta básica. Daí eles elegem esses merdas e o círculo vicioso fica impossível de ser quebrado.

    • Só discordo quanto a pobre toma o poder, pois pobre nunca chega ao poder a não ser que se torne rico ou com boas condições.
      Concordo em dizer com espírito de pobre, ai sim!

    • Olha, dentadura eu tenho natural ainda; cesta básica tá dando pra levar sozinho tb; mas eu votaria por uma ferrari, usadinha mesmo, tvz até uma réplica bem feita. E viva o Brasil corrupto. E olha que eles aprovaram (bolsonaro junto) aquela safadeza do aumento do valor da energia para o companheiro Lugo, o ex-bispo come-quieto. Não fizeram a hidroelétrica, nunca pagaram a parte deles e o lulinha, paz e amor, triplicou a fatura dos hermanos. Kd minha bolinha vermelha de colocar no nariz??????

  6. Sou um cara que não tem nenhum tipo de preconceito e inclusive tenho varios amigos assumidos e alguns enrustidos também. Não concordo que seja uma doença e também não concordo que a pessoa nasce homossexual, pra mim é tudo questão de escolha e não vejo mal algum nisso.

    Uma vez vi uma boçal perguntando a ul outro da mesma raça o que ele tinha contra “viado”, a resposta foi uma PT e uma cartucheira. Esse brasilzão ta froid, com tanto preconceito e machismo, o pior é que a violencia só aumente e não somente contra homossexuais, mas também a nordestinos e pessoas “diferentes” se é que exista diferença quando estão no banheiro cagando.

    • Maxd a identidade humana é muito mais do que uma questão de escolha ou de uma determinação biológico. É um fenomeno comphlexo q

      • É um fenomeno complexo que envolve muitas variáveis. è por este motivo que o termo orientação sexual se torna mais adequado, na medida em que congrega estas distintas variávies da existencia Humana.

    • Maxd a identidade humana é muito mais do que uma questão de escolha ou de uma determinação biológico. É um fenomeno comphlexo que envolve milhares de variávies, pos est motivo o termo orientação se torna mais adequado, porque neste termo está embutido uma série de variáveis que norteiam a nossa existencia

  7. Google entries de ontem:
    chimarrao em 8 segundos (modalidade dos rodeios gauchos)
    eu queria saber se aqui em campo grande tem campeonato de videogame (alguem mora em campo grande? responda por favor)
    historia do canaã social clube (eita estamos no deserto haha)
    para choque da brasilia amarela (deixaram cair na esquina hehe)
    modelo marcela prado (estão a caça)
    fufeiros (estão nos procurando)
    vazamento de óleo no carro de lewis hamilton (mecanico da mclaren perdido)
    carro para seres de outros planetas (o q leva um cidadão a procurar isso na net)
    drs f1 quem inventou (????)
    chamar alguem de playmobil mé buling? (vai depender do tamanho da cabeça do cabra)
    lotus 49 (quem explica esse modelo?)
    e lá vamos nós (me parece fala de um desenho q não to conseguindo lembrar)
    invenção da roda ate o carro de formula 1 (caminho longo q tu nem imagina)
    tempo de matar filosofia (assassino pesquisando, pois o filme eu não assisti)

  8. Na verdade o que era para er uma conquista na verdade se torna uma vergonha ” porque demoraram tanta para chegar a unanimidade”PARABÉNS aos que lutam pelos seus direitos. Quanto menos o Estado intervir em nossas escolhas melhor. Me envergonho em saber que uma figura como esta é meu representante no Estado. Eita povinho de merda!

  9. Torcedor, você teve conhecimento de que uma lei em Uganda com o intuito de agravar as sanções contra os homossexuais foi “engavetada” hoje?

    Recebi tal notícia em meu e-mail, numa petição. O objetivo seria o de condenar homossexuais à pena de morte (!). Por ora, a pressão internacional parece ter conseguido forçar o “engavetamento”. Pura coincidência?

    E então Bolsonaro ataca nos holofotes novamente. Para mim ele se assemelha àqueles texanos (alguns!) ultra-conservadores e retrógrados. O que muito me incomoda é a legião de pessoas que o apoiam tendo como justificativa os “bons costumes”. É uma ambigüidade incrível, parece que vivemos a verdadeira filosofia do “8 ou 80”. Um jornalista fez uma análise que achei bastante interessante, de que se por um lado somos tão liberais com o carnaval, a nudez, a liberdade; do outro lado da moeda somos ortodoxos, puritanos e também radicais, vide Bolsonaro.

    Embora saiba que esteja andando em terreno espinhoso, também havemos de reconhecer a parte que cabe às religiões na difusão desse pensamento mais conservador. Digo isso porém sem imputar culpa, pois as religiões têm suas ideologias e não podem ser mudadas. A questão aqui é a de que não haja incitação à violência e desrespeito contra os homossexuais. Não faz sentido algum que eles cumpram com os seus deveres cívicos e não recebam o mesmo tratamento e direitos que os demais.

    Sou pouco entendida de política, mas realmente a imunidade parlamentar não lhes põem “rédeas”, então estarão livres para o que bem entenderem. Qual político abdicaria de tal benesse?
    “Pelo visto, até a quebra de decoro parlamentar é protegida pela imunidade parlamentar.” – disseste bem, cabra.

    Contribuição para a audiência, Ok? 😉
    Já são 2 dias consecutivos…. assiduidade, hein!
    Abraços fufanos!:D

    • Cara! Ficou longo, foi mal!

      • Ficou longo, mas ficou uma beleza!🙂

        Aline, não soube desse lance em Uganda. Mas não poderiamos esperar nada diferente de um país onde os governantes dia a dia rasgam todos os tratados de direitos humanos.
        Sobre a Igreja, concordo que ela tem papel importante nesse processo discriminatório e discordo em um ponto do que você disse: a ideologia da Igreja pode ser mudada, sim.
        Se formos analisar friamente, a Igreja nada mais é que um importante instrumento de controle social, tal qual as leis. Sendo assim, ela deveria usar sua força persuasiva para promover o bem e a igualdade e não fomentar atos desumanos, de forma tácita ou explícita, como o preconceito aos homossexuais.

        Fico feliz por você mostrar interesse nesses assuntos “mais chatos”.🙂

        • Que bom que gostastes!

          Na verdade me refiro a qualquer religião, é só um detalhe. Não que eu não creia numa possível mudança, mas o fato dos princípios me parecerem tão arraigados me faz ver o conservadorismo como uma forma de preservação. As religiões são seculares, milenares, e parecem querem manter seus dogmas, percebo muita resistência. Acredito ser mais fácil as próprias pessoas serem mais flexíveis em suas crenças, o que já é difícil.

          “Se formos analisar friamente, a Igreja nada mais é que um importante instrumento de controle social, tal qual as leis”- sem dúvida, a Idade Média “que o diga”!

          “…ela deveria usar sua força persuasiva para promover o bem e a igualdade e não fomentar atos desumanos,…” – aí é que está, mas como mudá-la? Se eu fosse responsável, já o teria feito, rs.

          Às vezes o conservadorismo é tamanho que as pessoas questionam, e felizmente, como na época em que a igreja condenava o uso de preservativos. Os próprios cristãos viam isso como algo descabido, não apenas pelo fato de ser contraceptivo, mas principalmente por proteger contra a AIDS. Acho que é uma prova de que a análise de cada indivíduo pode fazer a diferença, embora exija esforço e mente aberta.

          Talvez me interesse pelos assuntos chatos por me identificar com eles, sacou? Péssima piada. E Patrick, muito prazer!rs. 🙂

  10. Futilidades para contrastar com o post…
    Hoje é o dia da buzina, sexta-feira. Povo aqui no bairro encomendando pizza adoidado, menos eu! Ouvem? Bibi…….Bibi……… só perde pro domingo.

    Ontem descobri que mudaram a voz do carro da pamonha, pode uma heresia dessas?!! Pro mundo acabar só falta o caminhão de gás parar de tocar aquela musiquinha de Beethoven, aliás, faz tempo que não ouço…

  11. Até temos a chance de mudar a pessoa que colocamos em Brasíila, mas foi no ano passado e agora só em 2014…

    O fato é que o ser humano precisa conviver consigo mesmo e aceitar que nem todo mundo é igual. Será que a gente ainda consegue evoluir…

    • Temos de ser otimistas. O Brasil é um país jovem, ainda há um longo caminho, mas já percorremos um bocado. E tocaste num ponto importantíssimo, realmente as grandes mudanças começam do “micro para o macro” e não o inverso. Pelo menos são as mais importantes, acho.

  12. Guilherme Diniz

    Esse deputado é um boçal sim, mas a comunidade gay também está passando do limite.
    Agora querem um projeto de lei que garanta cotas de contratação em empresas e cotas públicas para homossexuais. Peraí…..é demais. Vá concorrer pela competência, porra!
    Outro dia vi que o governo quer implantar uma cartilha sobre homossexulidade nas escolas públicas, para as crianças.
    Sou totalmente contra. Kit gay???
    Não precisa discriminar, mas também não é necessário fomentar. Imagina seu filho, de 9 aninhos, vendo um filminho na escola onde um outro menino passa esmalte, se descobrindo, etc. E vendo imagens de casais homo andando de mão dada, etc. Isso é fomentar e sou contra.
    Acho que os dois lados estão exagerando. A sociedade gay está passando dos limites querendo exigir um monte de privilégios onde não tem que ter privilégio para ninguém, apenas tolerancia.
    Na verdade não querem fim do pre-conceito, nem direitos iguais (precisa???), nem respeito, nada….querem mesmo é ser vip!
    O primeiro passo também que precisam, se querem respeito, é respeitar.

    • O direito de reinvindicar por igualdade é indiscutível. Sou contra a constituição impor diferentes regras sobre uma mesma questão tomando por base diferenças de caráter sexual, classe econômica ou o que quer que seja.

      Por outro lado, realmente virou praxe qualquer grupo em manifestação jogar essa história de “cotas” só para ver no que vai dar. É a velha mania de tentar tirar proveito da situação no calor das discussões, buscando extrair até a última gota do que for possível. Não é a primeira vez nem será a última. As más lideranças de determinados grupos da sociedade agem assim, desvirtuando o foco daquilo que realmente é prioritário, defendendo idéias toscas que acabam por gerar descrédito na população. Perdem mais do que ganham; mas o que custa tentar, não é mesmo? Afinal, sempre surgem políticos dispostos a abraçar causas de uma hora para outra.

      A responsabilidade por essas bizarrices, portanto, não é só deles. Os parlamentares também dão a sua contribuição se aproveitando da visibilidade para apoiar o movimento, criando propostas ridículas em tempo recorde visando garantir alguma simpatia por parte do eleitor. A briga por interesses particulares é o que constrói esse cenário todo. Quanto à questão do respeito individual, isso de resolve com a educação; só que esta já sofre em frangalhos há muito tempo. Nosso maldito ciclo vicioso.

      Sou favorável à que eles tenham os mesmos direitos na oficialização da união e o que isso acarreta. Cotas e bolsas realmente são absurdos, não há sentido nisso. E esta história do “kit gay” é só uma ilustração patética de como os governantes tentam “conscientizar” a população. São panfletos, campanhas, kit isso e aquilo; agora, fornecer condições para que as minorias tenham acesso aos serviços de forma igualitária, nada. Os educadores mal preparados não sabem lidar com o aluno portador de deficiência, o homossexual, então estes são segregados e abandonam os estudos, perdendo a oportunidade de trabalho mais à frente – eis aí que surge a idéia das cotas! O convívio entre pessoas diferentes e o ensino da cidadania cabe muito bem no currículo escolar, mas não é implementado. Pudera, nem as disciplinas básicas são bem lecionadas.

      E sobre as cotas, só um adendo: se “necessitar” delas já é algo ruim, prova da incompetência na gestão pública ao longo dos anos; pior é que esta perca o seu caráter temporário (paleativo), para se tornar uma medida permanente. Se a causa do problema não for trabalhado, as cotas jamais serão abolidas. No Brasil isso lamentavelmente ocorre com certa frequência. E assim seguimos adiante…

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: