Alguem tem coragem???


Casey Haynes

por Ed!!!

Salve!!! 

Hoje não vou falar sobre F1, mas falar de outra coisa já que neste blog falamos de tudo, ainda mais nós fufeiros que falamos tanto de leis, sobre a vida, ser ou não ser… queria falar do caso que chocou, mas que em minha opinião deixou muita gente orgulhosa, vamos falar de Casey Haynes, ou se preferirem “Zangief Kid”
 
Casey Haynes era um garoto que foi vítima de “bully”, ou seja, quando outros garotos intimidam um mais pacífico. Um dia ele não aguentou e revidou! Assistam o video mais abaixo.
 
Não sei quanto a vcs, mas o que esse garoto fez é algo que podemos chamar de histórico, claro que nós devemos pregar a não violência e coisa e tal, mas quantas vezes nós não passamos por esse tipo de situação sem ter poder para reagir??? Quantas pessoas não vimos passando por isso sem poder fazer nada??? Por causa de ego, por causa dos outros, ou por medo de ser o proximo, ou porque a coisa poderia piorar para o nosso lado??? Ele reagiu pois não aguentava mais, não aguentou mais dar a outra face, quantos de nós já não sonhamos em fazer algo parecido??? Em reagir diante de uma situação adversa como essa??? Eu como já fui vitima disso, por ser considerado “nerd” (coisa que nunca fui) fazia o impossivel para não reagir até que um dia resolvi, dei apenas um soco e foi o suficiente, mas no meu caso era diferente pois isso durou pouco, no caso do nosso “Zangief”, isso já devia acontecer há muito tempo, imaginem o que ele não deve ter passado durante esse longo periodo??? (pensou até em suicidio) Mas o dia dele chegou, não encarem isso como apenas mais um caso, mas como um grito de socorro que foi dado em nome de todos os que passam e passaram pelo o que Casey passou, pois no caso dele foi apenas um golpe que fraturou uma perna do agressor, em outros casos já teve gente que matou mais de trinta e depois se matou…
 
Acho que eles nunca vão ler isso, nem sei se o Trapi vai publicar no blog, mas algumas revistas elegem algumas pessoas (inuteis até) como influentes, acho que Casey se tornou um dos mais influentes nesse ano, sei que não devo pensar assim, mas eu me senti muito bem quando ele levantou aquele idiota o jogou no chão, seria melhor se isso não tivesse acontecido, pois parece que ao invés de evoluir, estamos voltando a estaca zero, e esse caso aconteceu num país desenvolvido como a Australia, imagina o que não deve acontecer por aqui em terras tupiniquins???
 
Não vou perguntar se alguem já sofreu algum tipo de preconceito, acho que todo mundo já sofreu algo, pode ter sido mais leve, ou pesado… Mas não vamos encarar esse caso como mais um, e sim como um caso especial, para mudarmos nossa postura em relação ao outro ser humano, em relação a educação (dos filhos e nossa também), e nos colocarmos na pele de quem sofre esse tipo de rejeição…
Valeu Casey!!!
O fantastico Casey (versão Jaspion)
 
Um grande abraço a todos!!!

Publicado em abril 20, 2011, em Atualidade e marcado como , , , , . Adicione o link aos favoritos. 64 Comentários.

  1. Euclides Palhafato (Perro de Cofap)

    Na F1 deviam tomar cuidado com o Hamilton. Alguma hora ele pode surtar com a ‘bolinação’ que sofre toda temporada.

  2. Eduardo Casola Filho

    Já removeram o vídeo…😦

  3. Já passei por isso, mas na minha época ou reagiamos como Casey Haynes ou esprávamos até que escolhessem outro parar perturbar.
    Hoje tenho um filho de 12 anos que passa por isso frequentemente pois não reage, e eu gostaria de dar um conselho “errado” pra ele, mas como pai não posso.

  4. Vital, eu tô na mesma situação que vc. Meu filho, de 13 anos, tb é vítima pelo mesmo motivo que eu fui no passado: não gostar/jogar futebol. Eu não posso me considerar vítima de bullying, mas sempre tinha treta nas “aulas” de educação física por causa do maldito (no meu caso) futebol. Com meu filho está acontecendo a mesma coisa, por isso nem me importo que ele frequente essas “aulas”. Neste caso, coloco toda a responsabilidade na direção da escola. Aulas de aducação física deveriam ser aulas mesmo, mas não são, os “professores” colocam uma bola na quadra deixam a coisa rolar solta… Por isso acontecem essas tretas. Ao contrário de mim, meu filho estuda em escola particular e eu já disse que vou reclamar na direção sobre isso. Claro que o problema é bem maior que nas “aulas de ginástica”. Mas esse é meu exemplo.

    • Salve Rebelc, eu tenho um garoto de 3 anos, eu vendo tudo isso fico com medo dessas coisas pois acad um de nós tem uma personalidade, ainda não sei como vai ser a personalidade do meu filho, mas sempre quando posso, vou a escola dele perguntar para os professores que sempre estão por perto como ele é na escola, pois não adianta deixar somente minha esposa cuidar dessas coisas, não sei se isso é machista mas o pai tem que estar por perto para observar essas coisas, ele perto de muitas crianças de 3 anos é muito mais inocente, é esperto como qualquer outro da idade dele mas as vezes esquece o proprio nome, é muito enrolado pra falar e é muito “na dele”, brinca muito com as outras crianças mas as vezes fica sozinho e detesta ser incomodado, mas o meu medo se estende aos dois casos, o de vitima e o de agressor, pois nunca se sabe, espero que minha forma de educa-lo não seja equivocada e tomara que a personalidade e o carater dele sejam fortes o suficiente para ele saber o que é certo e errado, infelizmente é o maximo que podemos fazer!!!

  5. Euclides Palhafato (Perro de Cofap)

    Meu moleque fará três anos muito em breve, o Geraldinho E.S. Palhafato.
    Não peço descrição do que rola, nem exijo que a escola filme o que se passa… pois bem: ele volta e meia vinha da escola com areia na cabeça, e sempre que perguntei, como foi isso, pq tem areia na cabeça? Caiu no chão? – ele não dizia.
    Dia desses perguntei sobre a reincidente areia e ele falou que o Pedro jogou.
    Pq? Vc deixou? Ele disse que o Pedro era um bebezão… e dpois disse que ele tb o chamou assim. Perguntei se não viram ele jogando areia, ele falou que sim, e que o Pedro ficou de castigo na cadeira.. perguntei se o Pedro já ficou de castigo outras vezes, ele disse que sim. Aí depois de algumas reflexões eu falei pro Geraldinho assim: “Olha, filhão, se ele vier jogar areia na sua cabeça de novo, não deixa, pode se afastar rápido, ou então empurrar ele, e pode tb bater nele, tá?” Ele falou assim: “bater nele? Aí eu fico de castigo…”, e eu emendei: “Não tem problema, melhor você ficar de castigo do que ele jogar areia na sua cabeça de novo. O castigo não está funcionando pro Pedro, filho – E se ele for jogar areia na sua cabeça e vc bater nele vai estar batendo nele com a força do seu coração, então não tem problema” Pode tb dizer que eu que falei pra vc bater.

    Acho que de uma forma ou de outra: se isso foi bullyng do aloprado do Pedro, (que tem cara de bocó, mas isso eu não diria jamais pro Geraldinho), ou mesmo se isso foi lorota do Geraldinho pra me explicar a areia, e na verdade ele que se joga areia alopradamente, o que eu disse está de acordo com os bom senso e passa longe do incentivo à violência.

    Que a força possa estar com seus moleques!

  6. Euclides Palhafato (Perro de Cofap)

    Há tb um exagero na estória desse garoto grandalhão. Um frisson que sobrou do video publicado. O moleque é enorme, um Judoca ou até um alterofilista mirim em potencial. E o sacaninha era um grilinho, um pangarézinho que cai com um peteleco. Quando o zuado é bem menor que o sacana e como não ensinam técnicas de autodefesa na escola, aí não tem muita saída pro coitadinho. Então, Herói naquelas, né?

    • Bem Euclides, eu vejo de outra forma, pois o proprio video mostra que ele não queria reagir, e só depois de tomar uns sopapos é que o Casey revidou, e se analisarmos isso, podemos perceber que para um rato daqueles encher o saco do “grandalhão” é porque isso já devia acontecer, acho que ele não foi o unico “menorzinho” a provocar o Casey, ele já devia saber que ele nunca reagiria, só que desta vez foi diferente…

      • Euclides Palhafato (Perro de Cofap)

        Só o que disse foi que em situação física reversa, ele não teria a opção de reagir com eficácia.

  7. Como aqui é um blog de F1, quero dizer que tenho sofrido bulliyng em todas as corridas recentes: tem uma escuderia humilhando um piloto brasileiro, com ajuda de um piloto espanhol, e isso arrebenta minha auto-estima. Tenho vontade de ir para interlagos levando faixa, cartaz, ovo podre, tomate idem, para me destravar. Não me passa pela cabeça arma e bomba caseira, mas que algo precisa ser feito, isso tenho certeza, ou então eu me expludo(thanks João Baptista de Figueiredo).

  8. Guilherme Diniz

    Bem, vamos lá….creio que vão dizer mais uma vez que sou polêmico, radical, etc.

    Acho hoje em dia uma grande frescura essa porcaria de bully, bullying ou o escambau. Desde que o mundo é mundo isso existe e só hoje que foram notar?
    Agora, toda merda que um cara quer fazer na vida, ele joga a desculpa que sofreu essa porcaria. Tenho certeza que alguns advogados agora, vão começar a usar em julgamento que seu ´´cliente´´ só traficou, matou, roubou, estuprou, porque sofreu ´´bully´´ ou bullying (tudo besteira) na infância.
    – Meritíssimo, ele só estuprou 54 mulheres porque ele sofrey bully na infancia feito pelas garotas da sala. Foi um desejo reprimido por elas, ele é uma vítima e não estas mulheres sádicas e zoadeiras.
    – Meritíssimo, ele só assaltou a mão armada e matou o frentista e o balconista pra roubar 30 reais, porque na infância ele sofreu bully ou bullying ou que diabo o seja, já que ele não tinha carro e seus amiguinhos zoavam ele. Ele se vingou, ele é uma vítima. Tente atenuar isso.
    – Meritíssimo, ele só traficou porque sofreu bully na infancia, sonhando um dia drogar os filhinhos de papai do asfalto pra se vingar de ficar olhando tudo do morro.

    E por aí vai….voces sabem que sempre que surge uma onda destas, logo vem alguém usar estar porcarias pra justificar tudo e se dar bem.
    E parem de proteger seus filhos excessivamente, preparem eles para o mundo…..isso sempre vai existir. Mande-os revidar sim. Isso não é violencia estimulada, é formação de caráter. Ensinem-os a ser homens, só isso. E quando digo homens me refiro a todos os sexos.
    Minha mãe me dizia: se voce apanhar na rua ou na escola, vai apanhar em casa de novo. Se brigar, bata, porque se apanhar vai apanhar aqui. Não é pra brigar, mas se acontecer não é pra abaixar!
    É isso…o mundo é cruel e se for um cordeirinho na infancia, depois quando adulto a sociedade te come vivo!

    • Não vi o seu coment antes de postar o meu, logo abaixo, mas concordo com você em gênero, número e grau.
      Aos cinco anos levei um tapão na cara de um vizinho. Fui chorando pra casa feito uma cadela chutada e por não ter reagido à altura fiquei medroso até os 11 anos de idade. Havia um colega que sempre debochava e me provocava e eu aceitava quieto. Um dia, durante uma pelada no campinho, ele veio querendo acabar com o jogo e levar a bola, que era de um amigo. Ameaçou a gurizada com uma faca toda enferrujada, dessas de ponta redonda (kkk). Foi então que meu sangue subiu à cabeça e mandei o infeliz para o hospital de tanto socar-lhe o nariz. O episódio passou e ficamos amigos, parceiros de futebol no mesmo campinho.
      Histórias como essas são comuns e ninguém é herói ou vilão por isso. Isso é vida real apenas.

    • GD, não acho errada a sua forma de pensar, e também concordo que isso não é justificativa para criminosos realizarem todas as barbaridades do mundo, mas vamos pensar assim, naquela epoca quando vc, eu e outros que temos a mesma faixa de idade frequentavamos a escola era diferente, pois quando reagiamos a algumas coisas, as brigas se resumiam a um contra um e acabava ali, hoje se vc não tomar cuidado, tem moleque que arruma até uma arma pra tirar a vida de outro da mesma idade porque ele te olhou e o outro não gostou, fora que muitos deles andam em grupinhos com vagabundos de 18, 19 anos que não querem saber de nada na vida, eu com três anos de idade, atravessava a rua perto de casa para ir ao mercadinho buscar pão, hoje eu duvido que alguem tenha coragem de deixar seu filho de três anos fazer uma coisa dessas, os tempos são outros GD, aconteciam muitas coisas naquela época que continuam acontecendo hoje, mas agora muita coisa piorou, um exemplo é: Como eram os portões das casas naquela época??? Os tempos são outros…

      • Guilherme Diniz

        Cara…o excesso de medo, leva ao desespero.
        Faça o seguinte…tranque seu filho e o proteja demasiadamente. Verá depois de 10 ou 15 anos o que acontecerá!
        Vai fundo!

      • Pois é, hoje o excesso de medo leva ao desespero, e o excesso de coragem pode levar a morte… tudo o que é demais faz mal… E eu não disse que vou trancar meu filho, pelo contrario quero que ele saiba como agir na vida, mas não cabe somente a mim, pois não sou eu que vou ensinar todas as coisas a ele, o mundo também ensina, coisas certas e erradas, vai depender do carater e da personalidade dele, ele vai querer o mundo dele assim como eu também quis o meu mundo…

    • Cavaleiro que diz NI!

      Tenho que concordar contigo. A gente cria filho para o mundo. Você não pode “abrir a guarda” para todo mundo. Como dizia o profeta (ou filósofo, sei lá) “o homem é o lobo do homem”, uma professora me disse isso na infância e eu não entendia… e só após uns 20 anos é que finalmente aprendi a lição.

      “E quando digo homens me refiro a todos os sexos”: Pqp! Você quer que as mulheres virem sapatão? Assim não vamos comer ninguém.

    • parabens GDemo, tenho a mesma opiniao q vc sobre o b… alguma coisa q nem traduçao existe, eu sempre fui sacaneado na escola e incorporei os apelidos todos para mim, e ate hj sou amigo daqueles q me apelidavam, o mundo ta muito chato, vc nao pode chamar ninguem de branquelo, negao, bicha, portugues, q é discriminatorio, tenho um tio homossexual e o chamo de bicha o tempo inteiro e nos nos adoramos. ou GDemo, bidart ( gaucho de pelotas) os apelidos do Zé bedeu, nao sao bullying?

  9. Uma vez, no MSN com o Mike, comentei alguma coisa sobre algo que me aconteceu no colégio que agora não me lembro e ele tascou: “Colégios…essas máquinas de moer gente…”
    Pois é, aquela frase de almanaque que diz que ‘o que não te mata, te fortalece’ tem seu fundo de razão, resta saber o que vai acontecer com essas crianças após toda essa exposição, todo esse show que nossa ávida sociedade do espetáculo preparou em torno de um fato tão corriqueiro. Todos os dias crianças são humilhadas e agredidas por bandos em escolas espalhadas pelo mundo. E todos os dias alguns deles reagem.
    É bem certo que a maioria se cala, sofre quieta, no entanto e ao contrário do muitos pensam, não é certo que essas mazelas sejam expostas na Internet, provocando esse tipo de repercussão. Trata-se apenas de mais um reality show plagado de exageros e apelações motivado por uma sociedade que vive do consumo de histórias estilo ‘Hollywood’.
    Abusos entre adolescentes sempre aconteceram desde que o mundo é mundo e o simples fato de que fiquemos vendo o replay de um desses abusos pela Internet não deveria tornar essa história um marco de coisa alguma.
    Pode até parecer contraditório este posicionamento vindo de alguém que defende a pena de morte. Contudo, na história de Casey e Richard, Richard aparece como vilão e Casey como herói. Ora, ninguém é herói nem vilão, são somente crianças tomando posicionamentos na vida, certos e errados. Pelo que o vídeo mostra, Casey decidiu dizer não ao assédio violento de colegas de escola. Depois ele dá sua versão do que o levou a ter essa reação. Richard, por outro lado, se defende e conta sua versão. Coube à direção da escola tomar as medidas punitivas cabíveis e ponto final, cada um seguiria com seu caminho, caso não existisse Internet e Youtube.
    Não obstante, o vírus que vem se espalhando na cabeça das pessoas fazendo-as confundir realidade com ficção começa a agir e logo, um episódio que ficaria restrito aos muros de uma escola, aos envolvidos e às famílias destes, toma uma repercussão gigantesca, grotesca, dantesca até. Um mito é construído em segundos e todos acham isso o máximo, bem ao estilo ‘american way of life’. Entrevistas se seguem, opiniões, estudos, análises, um verdadeiro circo. Tudo isso enquanto durar o interesse pelo caso, que costuma se esvair tão rápido quanto começou. Quando as cortinas se fecharem ficará somente Casey com sua vida estranhamente modifcada, Richard exageradamente crucificado e uma ou duas páginas do Facebook com centenas de milhares de ‘amigos’ que nem se lembrarão dos protagonistas ‘da maior história de superação de todos os tempos desta semana’ (tanx Titãs).
    Ridículo. Todos nós temos as nossas histórias sobre abusos e em algum momento tivemos que lidar com elas, vencendo-as ou não. A ‘obrigação’ de ter que conviver com outros seres humanos, anátema obsessivo da nossa evolução social, cultural e até política, é o preço que pagamos pela ciência da condição de espécie dominante neste planetinha aliás, esse traumático convívio, aliado a inteligência, nos deu a preferência momentânea nesta ‘casa’.
    Casey e Richard são apenas garotos em evolução. Contra eles havia, antes da notoriedade, apenas suas próprias frustrações ou superações, sempre randômicas. Agora recai sobre eles o peso das frustrações de milhões de pessoas. Não é demais para duas crianças?

  10. Guilherme Diniz

    E discordo quando falam que ´´se acontece na Austrália que é de primeiro mundo´´ imagine o que se passa por aqui em nossas terras…nada a ver caramba…..isso acontece no mundo todo em todas as classes e povos. Isso é natural do ser humano e até mesmo dos animais selvagens. É instinto.
    Pra mim, desculpa de viado….(logo virá alguém me chamar de homofóbico)…quando digo viado é em frescura, porque tem muito gay que não tem viadagem!

  11. Muito Bacana o seu post! Penso que existe uma linha muito tenue que separa a covardia da coragem e outra que separa a coragem da Arrogancia e da truculencia. Acho que a primeira coisa que devemos ensinar a nossos filhos é a corage, é enfrentar os medos .

  12. Acima contei a história de uma que ganhei e, para que vocês vejam como a vida ensina – basta deixá-la seguir seu rumo natural -, pouco tempo depois que me ‘libertei’ do meu opressor, caí na onda de uns moleques mais velhos da minha escola, que me atiçaram a brigar com um guri caladão, novo na aula deles (eu estava terminado o 5º ano e eles terminado o 6º primário, inclusive a futura ‘vítima’ do ‘machão’ aqui). Pois bem, sob a batuta dos veteranos, fiquei provocando o cara, que não reagia. Achei que ele era bem maior que eu, mas o pessoal dizia que ele era ‘cagão’ e que eu ia acabar com ele. Tanto provoquei o coitado que ele aceitou meu desafio, mas disse que depois disso era para deixá-lo em paz.
    Lá fui eu, feito galinho de rinha, na saída do colégio e rumo à ‘arena’ de luta. Resumindo, o cara me deu uma surra homérica. Ele nem bateu muito forte, pois não tinha a intenção de me machucar. Havia entendido a minha ‘motivação’. Depois que o ‘trem’ me atropelou, olhei pra cima (estava caído, com as costas no chão) e só vi a mão do meu ‘agressor’ estendida em minha direção, selando a paz. Depois que me levantou do chão e da minha bem apreendida lição, ele olhou em volta e perguntou para os ‘rinheiros’: “Alguém mais se habilita?”
    Todos assoviaram olhando para o horizonte e se mandaram. Acabou ali a história de um valentão.

  13. Fabio Nascimento

    Não acho que ensinar seu filho a se defender seja errado mesmo porque na vida, isso é necessário até em ambiente de trabalho e na vida pessoal, não de bullying necessariamente… achei legal o que o Ed falou de influência, realmente o “influenciômetro” utilizado nessas listas não tem nada a ver…

  14. Bom vamos lá, como disse o GD “bullyng” o escambau. Da 1ª a 4ª séries eu sempre fui zuado, mas um belo dia a luz brilhou e o sangue escorreu, arrebentei um maldito q me zuava a 4 anos, depois disso me tornei uma pessoa q não levava desaforo pra casa. Depois de muito treino de kung-fu passou a ser uma necessidade ficar longe de encrencas, então se alguem me zuasse ou tentasse me bater eu logo torcia uma mãozinha, ou cutucava um ponto de muita dor no imbecil e tudo parava, era lindo heheh.
    Tenho uma filha de 10 anos e por ser “gordinha” zuavam ela e batiam, ela reclamou comigo e eu disse a ela pra revidar, mas o conselho foi malefico, pois ela começou a bater em todos os “muleques”, ai já viu né só reclamações. Conversei com ela e pedi pra ela não levar desaforo pra casa, mas também não ficar espancando os outros.

    Mas isso de filhos, colégio, brigas tem limites que nem conhecemos muitas vezes, pois uma menina vivia batendo em minha filha, depois do meu “conselho” ela levou um sopapos e reclamou com a mãe, a atitude da mãe foi ameaçar matar, isso mesmo, matar minha filha. Eu tive que intervir de forma drástica (polícia, ameaça direta e até ir pra cima do pai e da mãe da criança).
    Isso tudo conto, pois precisamos pensar e muito no que dizemos. Minha mulher me diz sempre no transito; _ não faça isso, vc não sabe se o fulano ta armado e descontrolado.

    É amigos, a rapadura é doce, mas não é mole não!

    • Quanto ao excesso de “ela” no meu texto é a falta de revisão, perdoem-me😛

    • entao max vou ter dar uma soluçao para o transito, quando alguem fizer algo q o desagrade, nao busine por favor, desabafe da maneira q vc achar melhor, mas em pensamento nao em voz alta funciona. tenho um amigo q um dia meteu a mao na buzina comigo dirigindo fiquei fulo da vida pq o cara parou o carro e veio tirar satisfaçao comigo eo cara q buzinou ficou quieto olhando.

  15. Qdo nego me zoava, eu sempre dava o troco. Eu era franzino, mas esperto.

  16. 30 Sinais de Que Você Cresceu nos Anos 80

    De vez em quando alguma coisa que ouvimos ou lemos toca o alarme avisando que aquilo só pode ter partido de alguém que cresceu nos anos 80.

    1.Você lembra do Leo Jaime como cantor e não como Louro José da Fernanda Lima.
    2.Chama correr de fazer um cooper
    3.Assistiu a um show do The Cure ao vivo, e não ao vivo em DVD. (eu não assisti nem em DVD)
    4.Teve um VHS de show do U2. (não tive)
    5.Sabe o que é um VHS. (ooo como sei, cada filme q assisti)
    6.Lembra do Fábio Jr. como cantor brega e ator canastrão boa praça, não como pai do Fiuk.
    7.Viu Daniel-san lutando karatê e não kung-fu. (Lembro, mas a nova versão é muito melhor)
    8.Ia no supermercado pela manhã por que os preços subiam ao longo do dia. (essa era uma tarefa para meu manoo)
    9.Sua mãe era fiscal do Sarney. (nem trabalhava a coitada hehe)
    10.Você comprava dólar como investimento. (eu não tinha grana pra isso)
    11.Você achava o MacGyver um gato. (achava um excelente mandraque hahaha)
    12.Seu pai tinha um fusca. (o paelido era Herbie)
    13.Usava saia balonê para ficar parecida com a Madonna. (Bidart?)
    14.Usou Kichute. (um monte)
    15.Usou Conga. (esse só meu irmão)
    16.Usou Bamba. (tinha um mercado até com o nome perto de casa)
    17.Sabe o que são Kichute, Conga e Bamba.
    18.Teve Autorama, Playmobil e Atari.(não tive nenhum desses)
    19.Você tinha uma Caloi e invejava seu amigo que ganhou uma Monareta. (minha caloi só tive na decada de 90)
    20.Você sabe que a Monareta era melhor do que a Caloi.
    21.A poupança Bamerindus continuava numa boa.
    22.Você sabe de cor a letra do comercial da poupança Bamerindus. (não lembro mais)
    23.Odiava o sábado de manhã por que a Globo ficava passando Concertos para a Juventude, que não terminavam nunca. (não lembro disso)
    24.Você sonhava em fazer 18 anos, abrir uma conta no banco e pegar seu primeiro talão de cheques.
    25.Você já teve um talão de cheques.
    26.As lojas aceitavam cheques.
    27.Você ia no armazém e pedia um Mirabel. (preferia pão com mortadela)
    28.Achava a She-Ra a maior gata. (verdade)
    29.Fez curso de datilografia. (passei longe disso)
    30.Fez prova em folha mimeografada e ficava cheirando por causa do cheiro de álcool. (tinha droga melhor??hehe)

    Quero só ver quantos se identificam.

    • “O tempo paaassa, o tempo vooa…
      E a poupança Bamerindus continua numa boooa.
      (tum-tum)
      É a poupança Bamerinduuuuss!

    • 1- Lembro muito bem (eu vou comer a Madonna!!!)
      2- Não…
      3- Idem
      4- Idem
      5- Era legal, gravava os clipes do Clip Trip e do Kliptonita!!!
      6- Minha mãe adorava ele
      7- A versão nova é beeeem melhor
      8- Alem disso, aproveitavamos pra fazer algum estoque na ‘dispensa”
      9- Era…
      10- Dolar??? O que é isso??? hehehehe!!!
      11- Um chiclete era uma bomba atômica!!!
      12- Tinha um Corcel Del Rey azulão, e depois teve um Escort XR3!!!
      13- Bidart??? (2)
      14- Pra tudo, pra jogar bola, passear, ir pra escola…
      15- Também
      16- Também
      17- Alguem usou o Chineizinho???
      18- Atari e penava pra passar daquela maldita fase do River Raid!!!
      19- A Monareta era show!!!
      20- Nunca tive Caloi!!!
      21- Tinha aquele barbudo que fazia o comercial…
      22- Verde… eu acho!!!
      23- Siiiiiim, e o troço era chato!!!
      24- Siiiiiim
      25- Acho que ainda tenho um que nunca usei…
      26- Nem sinto falta disso…
      27- Só para ir pra escola…era caro!!!
      28- Gostava mais da Teela…
      29- Fiz, o barulho era insuportavel!!!
      30- Ficava dopado!!!
      E faltou um… Alguem ai assistiu Os Goonies (Sloth quer chocolate!!!)😀

    • Nem gostava do desenho da She-ra, mas não perdia um porque achava ela gata mesmo…hehehehe!

      1. Não lembro do Leo Jaime
      2. Chamava
      3. Nunca assisti um show deles.
      4. Não tive VHS do U2…mas ainda tenho todos os OVAs do Samurai X em VHS…rsrs.
      5. Esse eu sei, meu pai tem um velhinho, que funciona bem meia-boca ainda hoje…o primeiro filme que assisti nele foi Soldado Universal e Leão Branco do Van Damme!!!
      6. Lembro até dele comendo a Flor Branca. Fabio Junior era o pegador Jorge Tadeu….huahuaua!!
      7. Lembro com certeza…não vi a nova versão ainda.
      8. Desde os 6 anos eu ia no mercadinho, mas pra comprar pouca coisa…tipo acabou detergente da louça, minha mão me dava dinheiro pra ir comprar.
      9. Nem lembro disso.
      10. Ninguém em casa tinha grana e entendimento pra isso.
      11. Eu achava ele um gênio
      12. Meu pai não tinha carro…mas naquela época andei muito de fusca e brasília, e achava chique o corcel azul do meu tio e o chevette laranja do primo mais velho.
      13. Nem sei o que é saia balonê…se vi alguma menina com isso não lembro de chamarem a saia por esse nome…
      14. putz e como…pra mim era como a chuteira de um jogador profissional.
      15. várias…
      16. esse eu não lembro…
      17. Não conheço bamba…os outros dois sim
      18. Tinha uma porrada de playmobil, e no meu atari, eu e meu irmão tomavámos pau da minha mãe em River-Raid e Enduro…ela era muito boa!!
      19. Minha primeira bike foi uma monark com as cores do Brasil, sorteada pelo magazine luiza, na copa de 94. Um cara que trabalhava com meu pai, ganhou na promoção e rifou ela na empresa que ele trabalhava…e meu véio ganhou a rifa!!!
      20. Não lembro da Monareta…mas eu e meu irmão saiamos na porrada pra andar na monark da copa…era linda!!
      21. Todo mundo lembra qual banco comprou o bamerindus?? Ganha uma paçoca quem acertar.
      22. É a poupança Bamerinduuuuussss..dus dus dus!!!
      23. tbm não lembro…
      24. Sim!!
      25. Sim…
      26. E recebia um monte de “voador”
      27. eu tbm prefiro pão com mortadela…e tubaína…numa garrafa que vinha com a palavra “cerveja” escrita em relevo e o rótulo de tubaína da xereta.
      28. Verdade!!!!!!!!
      29. Não fiz, mas lembro que meu primo mais velho digitava os trabalhos escolares numa máquina de escrever.
      30. Acho que até a quinta série só fazia prova em folha mimeografada…e ficava doidão com aquele cheiro…rsrsrs…

    • Eu cresci nos anos 70, mas tem muita coisa aí que eu peguei. #30, hehe…

    • Vai à merda, Max, antes que eu me esqueça…

    • Cavaleiro que diz NI!

      PQP! Sessão sarcófago. Tive todos os LPs do U2, até o Hatle & Run. Meu VHS player era um Phillips, uma beleza, melhor que estes DVD players Made in China.

  17. Como vou viajar nesse fim de semana prolongado, desejo desde já uma feliz Páscoa para toda familia F1 Social Club!!!😀

    Muita cerveja (e não dirijam) e muita Coca Cola pra quem não bebe!!!😀

  18. Bom galera, me preparando para ir ao litoral, caso do meu pai sabe como é🙂
    Bom feriado a todos, e diversão conciente.

    Abraços!

  19. Cavaleiro que diz NI!

    Na moral. Minha filha veio se queixar de duas colegas e eu simplesmente disse que ela deveria revidar, mesmo não sendo ético e ficando meio preocupado com as conseqüências. As duas deram porrada em minha filha e porrada dada não se tira. Após o conselho minha filha revidou e deu uns “paus” em uma e disse: “agora que foi uma vai ser a outra depois”. A covarde da colega fez queixa a mãe, (neste caso aparece logo a mãe) e elas vieram falar para minha filha fazer as pazes. Digo que as pessoas devem ser respeitadas e não temidas.

  20. Cavaleiro que diz NI!

    Olha a FACA! Mexa com quem tá queto! Que “sequinho” desgraçado, parece um galinho depenado. Bonito o “Chuck Norris Roundhousekick”, apesar de eu ser contra a violência.

    Bem, minha mãe já dizia para eu evitar, ser o bonzinho, etc… as vezes fui covarde por tentar ser educado. Mas confesso que já arrebentei testa de moleque com uma pedrada, já apanhei, bati também. Já fiz um “sequinho” desses aí ser expulso de colégio: o cara quase quebrou minha perna num jogo de colégio, mas me vinguei denunciando os apelidos que ele escrevia no lugar das assinaturas dos colegas na lista de presença das provas. Tudo mundo ria e apagava. Mas eu não… Esperei friamente o final de ano para fazer isso. E como um promotor público o denunciei com indignação para forçar uma atitude do diretor. Hahahahahah… O negócio é ser frio e não se reprimir. Me pergunto: porque não fiz Direito?

  21. hahahahahaha, adorei. ja passei por isso pq eu nao sou muito alto, mas faço caratê desde os 7 anos e evitava reagir, mas quando reagia dava até pena dos caras, apanhavam muito.

  22. magicphil como estão os playoffs da nba? aqui no brasil ta fraquinho de se ver.

  23. sobre a violencia acima, os responsaveis sao os pais q acham bonitinhos seu filhos batendo em outras crianças, eu toda vez q bati em alguem sem motivo aparente, entrei na porrada dos meus pais, minha filha nao apanhou mas ficou de castigo e esse ano nao ganhou a mochila da barbie, hj em dia ela nao agride ninguem ,pois sabe q será punida.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: