Momentos Históricos da F1 – A Primeira Vitória do Brasil na F1


Emerson Fittipaldi

No dia 4 de Outubro de 1970, O Brasil ainda em extase pela conquista to tri-campeonato mundial de futebol da seleção canarinho, a formula 1 brasileira daria outro momento histórico ao Brasil: Sua primeira vitória na categoria. E ela viria das mãos e pés de um piloto iluminado, um predestinado, um grande piloto: Emerson Fittipaldi.

Foram apenas 3 corridas…É isso mesmo que voce leu: 3 corridas. Essa era a experiencia de Emerson na F1 naquele 4 de Outubro de 1970. Fazia 1 ano e meio que Emerson tinha saido do Brasil para tentar a sorte nos circuitos europeus.

Emerson havia sido chamado por Colin Chapman para ser o terceiro piloto da equipe Lotus, e dar um apoio a Jochen Rindt. Isso no meio da temporada, mais precisamente nas últimas 5 corridas da temporada. Era a chance de pilotar um Formula 1 pela primeira vez.

Mas as coisas não eram um mar-de-rosas. Seu companheiro de equipe e fantástico piloto Jochen Rindt, lider do campeonato, havia morrido durante os treinos para o GP de Monza daquele ano. O clima era tão pesado que, no começo de Outubro, o segundo piloto do time, John Miles, desistiu de correr. Colin Chapman chamou Emerson e disse: “Quero que você seu meu piloto número um. Vá para os Estados Unidos, faça uma boa corrida, dirija discretamente e termine a prova. Vamos começar do zero em 1971.”

Naquele 4 de Outubro de 1970 em Watkins Glen, EUA, Emerson acordou gripado. Teve febre alta durante a noite. E o pior: Estava chovendo. Emerson nunca tinha dirigido a Lotus 72 na chuva. Alías, nunca tinha dirigido nenhum formula 1 na chuva.

Emo e a Lotus 72C

Largando em terceiro no grid, atrás de Jacky Ickx, o pole, e Jackie Stewart, Emerson teve muita dificuldade de controlar o carro debaixo de chuva. Ao contrário dos outros pilotos, ele decidiu iniciar a prova com pneus para pista seca. Como resultado, perdeu várias posições e caiu para o oitavo lugar ainda na primeira volta. Mais tarde, com a pista já secando, foi recuperando pouco a pouco as posições, sendo beneficiado também pelas paradas de Clay Regazzoni e Chris Amon para a troca de pneus, subindo para o quarto lugar na 47ª volta, tendo o mexicano Pedro Rodríguez logo à sua frente.

Na volta 56, Emerson ganha mais uma posição com a parada de Ickx por causa de um problema na injeção de combustível. O piloto belga voltou à pista na 12ª posição, praticamente sem chances de garantir a pontuação necessária para continuar na disputa pelo título. A partir daí, Emerson precisou apenas administrar sua prova de modo a não permitir uma provável vitória de Ickx. Faltando oito voltas para o final, foi a vez de Rodríguez se dirigir aos boxes para reabastecer, cedendo lugar ao piloto brasileiro, que cruzou triunfante a linha de chegada em primeiro. “Eu assumi a liderança e, ao cruzar a linha de chegada, vi pela primeira vez o Colin pulando e jogando seu boné para o alto, algo que eu já tinha visto ele fazer para Jim Clark, Graham Hill e Jochen. E então disse a mim mesmo: ‘Ele está fazendo isso para mim! Eu venci a corrida! Venci o Grande Prêmio dos Estados Unidos! Foi inacreditável.”

Com a vitória, Emerson não só ganhou a sua primeira corrida para o Brasil, como também garantiu o título para seu ex-companheiro Jochen Rindt, tornando-o o primeiro campeão post-mortem da F1.

Um momento histórico!

Trapizomba, o histórico

Publicado em março 15, 2011, em F1 e marcado como , . Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: