Bar Esperança, o último que abre


Catito virtual

Este texto não é da porra do Bidart, é meu, é meu!!!!

Ah, melancólica e linda é a despedida desta vida de holograma, louca vida sem grana, vida breve; e se eu não posso mais postar sem um bom Credicard pelo que você me deve, me chame e se puder me escreva, pois acho bonita a palavra escrita ainda que seja gratuita, porque todos precisam verdadeiramente é de um moderador pra chamar de seu, mesmo que esse homem não seja eu, escriba profissional que vaga por este universo imenso sabendo que ninguém vai nos pagar, nosso crime não tem recompensa, mas sei que vale a pena porque a alma não é pequena, é do tamanho de uma galáxia que, se tivesse pica de crédito, seu esporro seria a Via Láctea Nestlé e sem nenhum escândalo, pois o som das moedas não se propaga no vácuo do Zeitgeist, o mar da tranquilidade do silêncio dos coments perdidos na meia lua inteira que agora é o manto negro que protege a sorte de um sexozinho tranqüilo, com sabor de fruta lambida, viagem de astronauta onírico sistematicamente defumado pela picanha lírica que prendeu meu intestino delicado e tropicalista, embora tenha sido salvo pelo dan regularis que é matéria prima do cocô do boi da cara preta que pega essas meninas malvadas da velocidade com medo da careta da hiena do Brejo Alegre, aquela que ninguém lembra da voz de mulher, mas dos cabelos…

Eu, que não sou boneca de vidro, quebrei o espelho meditabundo do meu blue mundo no Monday passado e me descobri sem casa para ser, porque eu sou aquele que é não sendo quem parece ser sem ter sido um ser abjeto, e sim o fruto da poesia concreta das esquinas pichadas da net underground repleta de blogs que não dão lucro na bolsa escrota dos bichos que saem dos lixos em que encontrei baratas que trocaram a borracha das patas que esfarelavam macarrãozinho miojo made in Bernie Wonka Inc., vencedor da licitação que chutou os sisudos Knightbridgestone em prol dos Nissinpirelli para cozinhar no asfalto em 5 minutos sem precisar molhar o molho ou bombardear a pista com carcaças de caças, dando início à caça às bruxas totalitárias do Oriente Médio.

Ora, bons e boas afastadas, acho lindo o som que imagino brotar do eco deste novo boteco que se insurge, pois urge navegar mesmo que por cima da carne morta e, como diria Muammar, dou o toco e me voy a la mierda de la Líbia sem saber o que é um ‘impávido colosso’ e se não posso lutar contra o sabor das manhãs de domingo celeradas, tempero minha rede com o sazón das conversas deste bar de esperança que não fecha nunca; uma vida virtual que é sinuca e me deixou de bico duro demais para pedir desculpas ao Telo por estar azedo no passado quando ele me pegou no momento em que eu estava mais carente e me disse que o cabeção estava fora e o Paul tava dentro…não suportei…meu cravo brigou com a rosa e fiz do meu mundo um moinho durante a crise das lavadeiras, consultei o Evangelho segundo Justin Bieber e descobri que cada um sabe a dor e a delícia de ser o que é, porque tem muita mandioca que de tanto querer verdurinha é tecnicamente uma fruta e meu pênis é quase um clitóris que de tão sensível que anda ultimamente, faz sexo doloroso.

Sem medo de ser feliz e da seca passageira, fiz como o Pelé e pedi calma ao ganso antes de afogá-lo, de encerrá-lo, de tirá-lo do ar e findar com as discussões heterogêneas pela qual já vi muitos homens brigando, ouvi seus gritos, estive no fundo de cada verdade encoberta e a coisa mais certa de todas as coisas é que, automaticamente, as pessoas se revelam contra as verdades que não são absolutamente certas, de modo que nada do que é absolutamente errado pode ser dado como verdadeiramente errado, o que faz o certo ser também errado e se é errado não faz parte das coisas que considero certas ou erradas.

Pesquisei muito e tive certeza que, procurando bem, todo mundo tem pereba; futucando muito, todo mundo tem piolho e um irmão meio zarolho. Não é possível que eu fosse a única bailarina de ciranda cirandinha online que não faturasse algum.

Mas agora não preciso falar com os amigos dengoso, assim; brigas? só para depois ganhar mil elogios, enfim, porque se engrossava o tom nêgo fazia beicinho e chorava baixinho e dizia que minha grosseria maltratava seu coração. Já não acreditava mais nos choros de quem vivia a postar, pois sabia que na verdade aforismos queriam ganhar, por isso um dia na lata da Fufa eu cancelei o blogão, quero ver vocês fazerem manha então, postem lá no Flavião…mentiras sinceras me interessam.

Entretanto, agora que o encontro deste fórum de notáveis se dá na infinita pequenez de uma mesinha de wordpress bar, deixarei que o tempo, tempo, tempo, o que menos temos, cimente a fé nos nossos novos planos, pois sabemos que por mais que saibamos que sem fé não há planos e sem planos naufragamos, ainda assim teimamos em querer saber a verdade das verdades sem inverdades e é por isso que em verdade vos digo, impreterivelmente, a semente demente do F1 Social Clube é uma flor tão bonita quanto a cara da minha filha; compositora do meu destino, tambor de todos o meus ritmos, o sol de todos os vínculos que hei de ter.

Tempo, tempo, tempo…perdoai os comentários passados e os atuais, eles não disseram nunca o que eu queria, de verdade, dizer.

Ou sim?

Publicado em março 6, 2011, em Diretoria e marcado como , , , , . Adicione o link aos favoritos. 21 Comentários.

  1. Putz! Juro que não fui eu! Eu juro!

  2. Eduardo Casola Filho

    Para entender o que foi dito, aperte a tecla SAP!😈

  3. Por isso que eu fiz exatas!

  4. E ainda falta a resposta…

  5. Putz !!!!
    Só sei que fui citado… Mas não entendi p… nenhuma !!! :mrgreen:
    Muita Canna Cola dá nisso…😈

  6. alguem traduz aí!

  7. Nelson Ayrton Fittipaldi

    Como diria o filósofo cearense Falcão:
    “What the p… is this?

  8. Guilherme Diniz

    Compro fígado com condição mínima de uso!

    • Cavaleiro que diz Ní!

      Tá difícil nesta época. Toma chá de hipérico (erva de São João), bouldo ou outra erva amarga, desde que não seja a erva do Bettega. Estou bebendo hipérico numa infusão de vodka com limão e estou me sentindo melhor. E o hipérico ainda ajuda a combater a depressão da ressaca. Sério! Isso que é unir o útil ao agradável.

  9. Erasmo é Deus. Valeu, Cae.🙂

  10. O importante e que mesmo numa segunda feira de carnaval, temos este boteco
    para frequentar

  11. Nao abusa da água de coco geneticamente modificada, Catito…

  12. oloko… transcendeu para a dimensão onde o infinito encontra com o lugar onde judas perdeu as botas….

  13. Cavaleiro que diz Ní!

    Não entendi nada, Caetano, mas foi superbacana e odara.

  14. Cavaleiro que diz Ní!

    EcRusiva: Nelsinho Piquet pega a cerveja do F1SC e diz que não sabia. Como ele não aprendeu a pilotar como o Kimi, resolveu beber como o filandes:
    http://globoesporte.globo.com/motor/noticia/2011/03/foto-de-folga-na-nascar-nelsinho-piquet-curte-carnaval-em-salvador.html

  15. Eu juro que um dia eu vou ler até o fim… hehehehe

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: